Marcelo Santa Cruz e mais 30 se desfiliam do PT de Olinda

Data:10 de Fevereiro de 2017 Autor: Adriano Roberto

Marcelo Santa Cruz e mais 30 se desfiliam do PT de Olinda

Do DPNet - Indignados com a decisão da direção do PT municipal de Olinda de ter aberto um processo ético disciplinar, por supostamente terem apoiado a então candidata Luciana Santos (PCdoB) à Prefeitura de Olinda em detrimento da deputada estadual Teresa Leitão (PT), o ex-vereador Marcelo Santa Cruz, junto com seu filho, Fernando Santa Cruz, e outros seis militantes históricos do partido oficializaram suas desfiliações ontem. Hoje, o grupo protocola a decisão junto à Justiça Eleitoral de Olinda. 

As divergências se arrastam desde a eleição passada. Na ocasião, além Santa Cruz, outros 17 petistas foram enquadrados no processo ético disciplinar do PT. Após a notificação, oito deles pediram desfiliação de imediato. Neste sábado, o diretório municipal marcou uma reunião para discutir o caso e dá sequência ao processo que poderia culminar com a expulsão do grupo. 

Marcelo negou seu apoio a Luciana para Prefeitura de Olinda. Ele garante que não teve um único panfleto de sua campanha a com a imagem da então candidata do PCdoB, mas que vários deles foram produzidos ao lado da candidata do PT.  “Eles juntaram duas ou três fotos para me acusar injustamente. O PT estava junto com o PCdoB há 16 anos numa aliança em Olinda. Eu era líder do governo de Renildo Calheiros (ex-prefeito). Tinha pessoas no governo que estavam me apoaindo como também apoiavam Luciana”, justificou.

O ex-vereador disse que mesmo sem filiação partidária vai continuar sua militância nos movimentos sociais e em defesa da democracia. Além de Marcelo e seu filho, também deixaram a sigla ontem Edneida César, Antônio Carlos, Vera Santos, Ozanildo Alves, Dominici Maior e Roberval Veras. A irmã de Santa Cruz, Rosalina Santa Cruz, militante do PT desde a fundação e filiada ao PT de São Paulo, encaminhou carta ao PT nacional, estadual e municipal comunicando sua desfiliação. Na carta, ela acusa o partido local de autoritarismo e perseguição política.