01 Fevereiro 2019
Vergonha: Senado edita ato que impede rival de Renan de presidir sessão

Vergonha: Senado edita ato que impede rival de Renan de presidir sessão

A Secretaria-Geral da Mesa Diretora do Senado publicou na manhã desta sexta-feira (1º) ato em que regulamenta o rito da eleição na Casa. A tese que prevaleceu no documento acata uma interpretação do regimento que delega a condução da disputa a José Maranhão (MDB-PB).

A definição é importante porque há forte movimentação da oposição a Renan Calheiros (MDB-AL) para fazer com que Davi Alcolumbre (DEM-AP) possa comandar a sessão.

Alcolumbre é um dos candidatos anti-Renan e defende a adoção de voto aberto para a escolha do próximo presidente -hipótese que foi rejeitada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), mas que o grupo anti-Renan tenta reverter no plenário da Casa.

O democrata é suplente da última Mesa Diretora, mas o fato de ele querer concorrer e conduzir os trabalhos ao mesmo tempo causa polêmica.

Segundo o regimento, na impossibilidade de os membros da Mesa conduzirem os trabalhos -quadro atual, já que todos os titulares estão deixando seus mandatos- o senador mais velho deve assumir a sessão. Este é Maranhão.

A norma não diz que a convocação de suplentes da Mesa é válida para a sessão que elegerá o próximo comandante do Congresso, mas aliados de Alcolumbre advogam que, por ser o substituto de um dos integrantes titulares, ele poderia reivindicar a presidência da sessão.

A forte ofensiva de Davi para comandar os trabalhos no Senado divide a Casa. Eunicio Oliveira (MDB-CE), hoje já ex-presidente do Senado, encerrou o mandato deixando a questão em aberto.

Foi nesse cenário que a Secretaria-Geral da Mesa Diretora editou o ato que determina a convocação do senador mais velho, José Maranhão.

Maranhão é do partido de Renan e tem 85 anos. O ato é assinado por Luiz Fernando Bandeira de Mello, secretário-geral da Casa nomeado por Eunicio. Com informações da Folhapress.