05 Junho 2020
Secretário de Paulo Câmara mente descaradamente aos servidores de PE

Secretário de Paulo Câmara mente descaradamente aos servidores de PE

O secretário da fazenda de Pernambuco, Décio Padilha, não fica nem vermelho em mentir tanto para os servidores estaduais. Está distribuindo uma pauta a para mídia vendida, e esta publica imediatamente no Ctrl-C - Ctrl-V, dizendo que sem dinheiro, Pernambuco pode atrasar salário de servidores. 

Décio afirmou que a crise provocada pelo novo coronavírus causou uma perda de mais de R$ 1 bilhão na arrecadação para o estado. 

MENTIRA

Conversando com alguns dirigentes logistas e alguns empresários de ponta do Estado pra saber que é só ver nos portais de transparência de Pernambuco e do Governo Federal o montante de dinheiro enviado pela União e ainda resta saber onde estão a emendas parlamentares que foram encaminhadas aos rodos (testemunhadas publicamente pelos próprios deputados estaduais e federais). Lembrando que dia 09/07 está chegando mais ajuda financeira federal. É claro que a arrecadaçaõ diminuiu, mas nunca a ponto de sacrificar a folha de pagamento. 

MATÉRIA DIVULGADA

O Governo PE não pode enganar o servidor dessa forma. Sabe-se que muito dinehiro federal veio carimbado para ser usado só na saúde, mas também veio bilhões para ajudar a completar a arrecadação dos cofres estaduais. Veja a matéria enviada pela assessoria do Governo:

O secretário da Fazenda de Pernambuco, Décio Padilha, afirmou em entrevista ao programa Passando a Limpo, da Rádio Jornal, nesta quinta-feira (4), que podem acontecer atrasos no pagamento de fornecedores e servidores do estado, por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Segundo o chefe da pasta, pernambuco registrou uma queda na arrecadação de R$ 1 bilhão no ICMS desde março

“Perdemos, em três meses, mais de R$ 1 bilhão, e a arrecadação de junho vai ser muito ruim. Então, há, sim, um risco de aumentar o atraso e de voltar os atrasos que tinham antes. Porque a ajuda federal é bem insuficiente, e não estou reclamando do tamanho dela, mas há uma possibilidade de voltar os atrasos, sim, mesmo com a ajuda federal. 

A suspensão do pagamento de dívidas seria um fôlego para o os governadores, mas ele [Bolsonaro] vetou, por insistência de Paulo Guedes. Então, em virtude desse veto, como [Pernambuco] voltou a pagar dívida, há um risco muito grande dos atrasos ficarem bastante significativos”, disse Padilha.

Segundo o secretário, a folha de pagamento dos servidores estaduais é de cerca de R$ 1 bilhão por mês. O chefe da pasta da Fazenda explicou ainda que o auxílio federal que começará a ser dado no próximo dia 9 – de parcelas fixas de R$ 269 milhões por quatro meses – não será suficiente para cobrir o rombo causado pela falta de arrecadação.

“Não se sai de uma crise dessa sem um grande ajuste fiscal. A gente vai ter que se endividar e com a pandemia achatando a curva, vem um grande programa de controle fiscal, segurando o grupo 1, que é a despesa de pessoal, segurando operação de crédito para ninguém se endividar, obrigando a reduzir custeio, obrigando a aperfeiçoar a máquina, isso faz parte. 

Mas, dentro da pandemia, não dá. Esse veto foi mais uma vez uma sinalização de arrocho fiscal em um ambiente em que a gente precisa fazer expansão de gastos.”

Dá muita tristesa ver a mentira encampando esse governo sofrível do PSB no nosso amado Estado de Pernambuco.