17 Novembro 2020
Jornalista Oswaldo Eustáquio é levado pela PF

Jornalista Oswaldo Eustáquio é levado pela PF

Na manhã desta terça-feira (17) Oswaldo Eustáquio recebeu novamente a Polícia Federal em sua residência, segundo informou a assessoria de comunicação do jornalista. Em primeiro lugar vai aqui nossa solidadriedade ao jornalista e amigo Oswaldo, que exerce de forma independente e idonia a nossa profissão e está sendo injustiçado por esses violadores da nossa constituição instalados criminosamente no STF.

Por volta das 7h30, a assessoria informou que o Oswaldo foi conduzido à Superintendência da Polícia Federal em Brasília, com mandado de prisão expedido pelo ministro Alexandre de Moraes do Supremo Tribunal Federal (STF). Aparentemente ele terá que usar tornozeleira eletrônica.

Ainda conforme a assessoria, a motivação foi as denúncias da suposta trama do golpe de Luciano Bivar (PSL) e o laranjal de Guilherme Boulos.

Há poucos dias, Eustáquio denunciou o candidato à prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos, através de um vídeo em seu canal no YouTube. A denúncia “O laranjal de Boulos” apontava que o PSOL utilizaria empresas fantasmas para lavar dinheiro na corrida eleitoral em SP.

O jornalista afirmou que candidato do PSOL lavou dinheiro por meio da contratação de empresas falsas. Além disso, Oswaldo imputa a Boulos a prática do crime de falsidade ideológica eleitoral, afirmando que o dinheiro destinado às duas empresas seria oriundo de recursos públicos apropriados pelo psolista.

Após essa denúncia a conta de Eustáquio no YouTube foi suspensa no domingo por uma decisão judicial.

O jornalista já foi preso no âmbito do inquérito que investiga o financiamento de “atos antidemocráticos” contra o Congresso Nacional. Por ordem de Moraes, Eustáquio não poderia sair de Brasília, nem utilizar as redes sociais, mas teria ido a São Paulo para levantar os dados que utilizou na denúncia.

Oswaldo Eustáquio está sendo conduzido à Superintendência da Polícia Federal com mandado de prisão expedido pelo ministro Alexandre de Moraes. Aparentemente a motivação foram as denúncias da trama do golpe de Luciano Bivar (PSL) e o laranjal de Guilherme Boulos.
ASCOM, OE.