09 Fevereiro 2019
Filho de ex-militante comunista, novo presidente da OAB já pediu cassação de Bolsonaro

Filho de ex-militante comunista, novo presidente da OAB já pediu cassação de Bolsonaro

Fernando Santa Cruz era membro da Ação Popular Marxista-Leninista (APML), grupo que militava pela ditadura do proletariado no Brasil na década de 60. O revolucionário, que desapareceu no ano de 74, se casou com a militante Ana Lúcia Valença e dessa união nasceu Felipe Santa Cruz, atual presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Fernando Santa Cruz atuou em grupos de militância comunista durante o regime militar. O esquerdista desapareceu em 1974.

Em 2016, Felipe chegou a pedir a cassação do atual presidente da República, Jair Bolsonaro, na época deputado federal. O advogado alegou “apologia à tortura” para justificar a perseguição. O motivo da ação teria sido o discurso de Bolsonaro na Câmara dos Deputados durante a votação pelo impeachment da ex-presidente Dilma Roussef. Na ocasião, o parlamentar homenageou o Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra.

Agora, no exercício do cargo máximo da OAB, Felipe deu declarações consideradas preocupantes pelos apoiadores da Operação Lava Jato. Em entrevista à Folha de São Paulo, o filho de Fernando Santa Cruz tocou em assuntos polêmicos.

“O Judiciário, assim como qualquer outro poder, deve responder pelos seus erros. Não devemos fazer da Lava Jato um livro em fascículos interminável. Para nós é preocupante a paralisia do poder público, um apagão das canetas diante da insegurança jurídica. O país está parado como se estivesse num grande processo de acompanhamento de investigações sem fim”, disse.

Santa Cruz também opinou sobre pacote anticrime do ministro da justiça, Sérgio Moro. “[…] me preocupa que se crie com a legítima defesa do agente policial uma ordem para aumentar a letalidade de uma polícia que já é a que mais mata no mundo”.

Ao que tudo indica, o viés ideológico do presidente da OAB deverá causar fortes dores de cabeça ao governo nos próximos anos.