28 Abril 2021
Estados Unidos abre fronteiras para estudantes e jornalistas brasileiros

Estados Unidos abre fronteiras para estudantes e jornalistas brasileiros

Os estudantes brasileiros que fazem ou irão realizar cursos nos Estados Unidos já podem se preparar para viajar graças a uma nova medida de Exceções de Interesse Nacional (NIE). Os alunos que viajam do Brasil para iniciar seus estudos no outono norte-americano, alguns acadêmicos e jornalistas podem se qualificar para uma NIE.

Brasileiros que tiverem visto de estudante válido (categorias F e M) e iniciarão os estudos a partir ou depois de 1º de agosto de 2021, poderão viajar ao país sem consultar a Embaixada ou os Consulados no Brasil, mas estão proibidos de chegar ao país mais de 30 dias antes do início das aulas. Aqueles que necessitam de um visto de estudante devem consultar o site da Embaixada ou dos Consulados mais próximos. As entrevistas de visto para as categorias dessa exceção devem ser retomadas em meados de maio se as condições permitirem.

Acadêmicos, jornalistas e outros que possam se qualificar para uma Exceção de Interesse Nacional, incluindo aqueles com vistos válidos e ou com a Autorização de Viagem (ESTA), precisarão solicitar um NIE. Tendo a NIE aprovada, os indivíduos podem viajar com um visto válido ou a autorização ESTA.

Os viajantes devem cumprir integralmente as regulamentações sanitárias nos EUA, e devem entrar em contato com as autoridades locais de saúde nos Estados Unidos para mais detalhes Os viajantes internacionais são obrigados a fazer um teste viral três dias antes do embarque aos EUA e fornecer documentação por escrito do resultado de teste (papel ou cópia eletrônica) à companhia aérea.

“Os Estados Unidos estão extremamente orgulhosos de ser o destino preferido de tantos estudantes e acadêmicos brasileiros e de ter tantas parcerias de longo prazo entre universidades e organizações de mídia. Estou excepcionalmente satisfeito que as condições permitam agora que viagens e estudos sejam retomados, e estamos ansiosos para aumentar a expansão destes vínculos”, ressalta o embaixador dos EUA, Todd Chapman.