11 Março 2019
Blitz da oposição encontra rato, barata e até escorpião no Otávio de Freitas

Blitz da oposição encontra rato, barata e até escorpião no Otávio de Freitas

Em nova blitz da oposição, desta vez ao Hospital Otávio de Freitas, o grupo de deputados encontrou novas surpresas e velhos costumes. Participaram da blitz, o líder da oposição, deputado Marco Aurélio (PRTB), a deputada Clarissa Tércio PSC) e os deputados Antonio Coelho (DEM), William Brigido (PRB) e João Paulo Costa (AVANTE).

As pessoas mudam mas as cenas bizarras se repetem e novas aparecem. Parece mentira mas assim como no Hospital Agamenon Magalhães, apenas uma cadeira de banho quebrada para todos os funcionários da emergência.

“Pacientes com doenças comuns misturados com pacientes tuberculosos, inclusive foi nos dado máscaras pelas enfermeiras e fomos alertados pelo risco que estávamos correndo”, informou Marco Aurélio.

O parlamentar William Brigido alertou indignado: “funcionários terceirizados continuam a três meses sem receber”, 

Os deputados João Paulo Costa e Clarissa Tércio afirmaram que o quadro não é diferente dos outros hospitais que foram visitados pelos parlamentares da Blitz. 

“É lamentável o cinismo e a cara de pau do governo. Novamente uma cadeira quebrada para todos de uma emergência tomar banho, ver o estado degradante dos banheiros e mistura de pacientes com doenças ou traumas comuns misturados com portadores de tuberculose, episódios que já havíamos denunciados antes é a prova que o governo tá se lixando pro povo e pra saúde pública”, disse Marco Aurélio.

Mas a novidade do Otavio de Freitas, que não havia sido relatado aos deputados em outras visitas, foi que durante a noite, ratos, baratas e escorpiões disputam espaços com as crianças no setor de trauma.

“Houve também o relato de um sapo 'cururu' que visita os pacientes a noite emitindo seu som brejeiro mas não o vimos. E para completar o hospital não possui lençóis cada paciente que leve o seu. Esse foi mais um hospital administrado pelo PSB que diz que a saúde está bem, pra quem não sei , mas com certeza não é pro povo”, conclui Marco Aurélio.