18 Abril 2018
A economia brasileira atual

A economia brasileira atual

Por Alexandre Luiz Oliveira - A economia brasileira com todas as dificuldades em que está passando, está melhorando e crescendo. Mesmo com o Governo Federal não estar ajudando muito. 

Em vez de utilizar todas as suas energias para gerir o País, está tratando os meios em que dispõe para se manter no poder, como: emendas, cargos, ministérios e muito dinheiro, por exemplo. Mesmo sem condição política para comandar as reformas, é melhor que o governo Temer conclua o mandato, porque outra ruptura agora só iria agravar ainda mais nossa economia e nossa credibilidade perante o mercado.

Nas próximas linhas irei explicar um pouco o que está acontecendo com a economia do nosso país, nesse momento.

O pagamento do serviço da dívida interna e a Previdência  Social consomem mais de 2/3 de tudo o que o País arrecada, assim as contas do governo estão caminhando a cada dia para o abismo, e até agora não foi jogada ainda nenhuma corda ou bóia salvadora  para tirar o Brasil da queda.

Até hoje todas as iniciativas que foram debatidas para ajustar as contas do Governo estão paradas, como a reforma da Previdência e repactuação dos juros e alongamento da dívida interna, gerando assim um porcentual de investimentos maior em relação à arrecadação.

O que está acontecendo hoje? Os brasileiros estão trabalhando o ano inteiro para pagar os dois rombos, que só aumentam.

Se não houver ações claras e objetivas para resolução desses dois gargalos, o nosso País irá ficar patinando sem rumo, enquanto os países emergentes e até vizinhos nossos como o Peru, Colômbia e Uruguai estão em um caminho estável e de crescimento em bases sólidas.

A carga tributária, burocracia, os custos trabalhistas e a infraestrutura do país emperram a economia e agravam o Custo Brasil e deixam às pequenas e médias empresas vulneráveis perante às megaempresas brasileiras e multinacionais, aumentando ainda mais concentração dos meios de produção.

Outro fator que deve ser corrigido imediatamente é a forma como os bancos de fomento federais nacionais e regionais  financiam as empresas. Hoje existe uma concentração muito grande da participação dos empréstimos para as grandes empresas, preterindo as pequenas e médias que não têm as garantias exigidas para tais transações.

Já que a maioria de nós brasileiros não quer se mudar do Brasil, que tal mudarmos o nosso país?

Alexandre Luiz Oliveira é publicitário e consultor da Agência Marco Zero.
alexandre.oliveira@marcozeroag.com.br