21 Novembro 2020
A delação que vai infectar Brasília em 2021

A delação que vai infectar Brasília em 2021

A delação que a Procuradoria-Geral da República está fechando com José Seripieri Júnior, fundador da Qualicorp, empresa que mudou o jogo dos planos de saúde no Brasil, promete muito.

O plano de negócios de Júnior, como é conhecido, para criar a gigante dos planos de saúde envolvia propina para políticos de todo o espectro político, além de burocratas da Agência Nacional de Saúde Suplementar.

Júnior conquistou ótimas relações na cúpula dos governos Lula e Dilma. Também se aproximou de lideranças partidárias que pudessem beneficiá-lo no Congresso. As canetadas das quais a Qualicorp precisava na ANS e em outros órgãos públicos também tinham, regularmente, um custo não republicano.

Como Júnior foi preso por atos ilícitos junto à gestão do tucano José Serra, a plateia menos atenta logo inferiu que o empresário era operador do PSDB. Longe disso. Tinha relações descritas como promíscuas até com líderes do PCdoB.

Se interesses políticos não prevalecerem na cúpula da PGR, do Supremo , do governo e do Congresso, a delação de Júnior, aliada ao acordo com um de seus principais assessores operacionais, pode jogar luz em esquemas na área de saúde suplementar - e não só nela.

Procuradores já planejam várias fases de operação mediante o avanço dessas delações. É coisa para animar o primeiro semestre de 2021. Informação do site O Bastidor.