21 Abril 2018

"É fácil bater no Michel Temer, quero ver fazer", diz presidente na TV

O presidente Michel Temer aproveitou seu pronunciamento em rede nacional nessa sexta-feira (20) para fazer uma defesa mais contundente de seu governo e garantir que as eleições deste ano transcorram, em suas palavras, "na maior tranquilidade".

No discurso gravado na quarta-feira (18), no Palácio da Alvorada, o presidente fala em "torcida organizada pelo fracasso" e "disputa irracional que tenta jogar uns contra os outros", numa espécie de reação velada a seus adversários.

Na avaliação do emedebista, eles exploram sua baixíssima popularidade (70% de rejeição, segundo o Datafolha) e o avanço das investigações de corrupção no setor portuário -que têm ele e seus amigos mais próximos como alvo- para fragilizar seu governo e suas pretensões eleitorais.

"É fácil bater no Michel Temer, é fácil bater no governo, é fácil só criticar. Quero ver fazer, quero ver conquistar. Quero ver construir e realizar o que conseguimos, avançar em tão pouco tempo", afirma o presidente. "A torcida organizada pelo fracasso tenta bater bumbo, tenta perder o jogo todos os dias. A verdade é que o Brasil virou esse jogo", completa.

A retórica firme é uma tentativa de tentar reposicionar Temer no xadrez político, visto que ele deseja concorrer às eleições deste ano, mas o avanço das investigações, inclusive com a prisão de seus amigos, parece ter transformado esse plano em mero instrumento de preservação pessoal.

O presidente aprovou o conteúdo e as imagens do pronunciamento, criados pela equipe do marqueteiro Elsinho Mouco, na manhã desta sexta. É a primeira vez ele gravou o vídeo sentado em sua mesa na biblioteca do Alvorada, o que, na avaliação de Mouco, confere um caráter "mais estadista" ao presidente.

Durante o discurso de cerca de cinco minutos, Temer fala que é preciso respeitar a Constituição para não criar "insegurança e instabilidade entre pessoas e instituições".

Apesar disso -e dos rumores criados após a reação pública nos quartéis na véspera do julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula pelo STF (Supremo Tribunal Federal)-, Temer diz garantir que as eleições vão ocorrer "na maior tranquilidade".

"Este é um ano de eleições, é um ano de escolhas, e elas deverão transcorrer na maior tranquilidade. E é isso que quero garantir-lhes a partir das minhas competências como Presidente da República Federativa do Brasil", afirma.

Ainda em sua defesa, o presidente elencou o que avalia serem conquistas de seus quase dois anos de governo, como a queda nos juros e na inflação e a retomada do crescimento econômico. Temer destacou ainda a criação do Ministério da Segurança Pública e a intervenção federal no Rio, decretada em fevereiro. Ação, porém, ainda não trouxe resultados positivos, e as autoridades não concluíram as investigações sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e de seu motorista, Anderson Gomes, em 14 de março.

Em referência ao Dia de Tiradentes, comemorado no sábado (21) e o motivo oficial para seu pronunciamento em rádio e TV, Temer citou uma passagem -com o livro em mãos-  do "Romanceiro da Inconfidência", de Cecília Meireles, sobre liberdade.

Ele termina lembrando que Tiradentes foi "acusado e condenado por lutar e defender um Brasil livre, forte e independente". "Ao final, a história lhe deu a vitória maior", diz o presidente. O pronunciamento custou R$ 70 mil.

Confira a seguir o vídeo do discurso: