Segmento evangélico pode compor secretariado de João Campos na PCR
Autor
Adriano Roberto

Segmento evangélico pode compor secretariado de João Campos na PCR

Passadas às eleições do segundo turno no Recife, o novo Prefeito eleito João Campos deve ter um olhar diferenciado para o segmento que foi decisivo para sua eleição. O afago entre os socialistas e o Diretor da Rádio Maranata, André Carvalho, é um sinal que às coisas para segmento será bem diferente do que foi no governo anterior.

O filho do ex-Deputado e Presbítero Salatiel Carvalho estaria em alta com o Palácio e com a gestão municipal. João Campos (PSB), em entrevista recente destacou o apoio do segmento e creditou á liderança do amigo esse importam engajamento.

Outras lideranças evangélicas da base do PSB, como Deputado Cleiton Collins, e sua esposa, também deverão ter importante participação na elaboração de um trabalho mais forte para o segmento.

Mas foi o empresário da comunicação André Carvalho que, mesmo sem ser um político de mandato, saiu em direção oposta a de outras lideranças evangélicas, que ficaram com Marília Arraes (PT).

Procurado, André Carvalho disse que não vai comentar sobre o assunto. Por meio de nota, falou que é preciso deixar o Prefeito João Campos conduzir o processo a vontade e desejar boa sorte na cirurgia mppsicao da equipe do governo no Recife.

“Nesse Momento não podemos interferir em qualquer decisão do Prefeito eleito. Meu amigo João Campos, tem toda capacidade de ajustamento e diálogo, ele sabe e vai fazer o melhor pelo Recife. Estou, e estarei sempre em oração e crendo que Recife vai ter uma excelente gestão”. pontuou Carvalho.



Empresa terceirizada assume operação e administração nos aeroportos de Caruaru e Serra Talhada
Autor
Adriano Roberto

Empresa terceirizada assume operação e administração nos aeroportos de Caruaru e Serra Talhada

Duas equipes de especialistas em operações aeroportuárias da empresa INFRACEA foram enviadas aos aeroportos para iniciar os procedimentos de start up dos aeródromos. Dentre deveres da empresa com a Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos do Governo do Estado de Pernambuco está a elaboração de um plano de trabalho, que deverá conter a previsão de entrega dos documentos, manuais, procedimentos operacionais, treinamentos e demais assuntos relacionados ao planejamento operacional da empresa para estes aeroportos.

A INFRACEA é expert no assunto, tendo inclusive prestado assessoria para grandes operadoras multinacionais sobre este assunto, que são itens que compõem as boas práticas requeridas pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), seguidas com excelência por todas empresas que entendem o grau de responsabilidade que um aeroporto exige.

Aeroporto de Caruaru (SNRU) e região

Aeroporto Oscar Laranjeira é um aeródromo público localizado no munícipio de Caruaru, situado a 138 km da capital Recife – 2h em um trajeto de carro com trânsito normal. A maior e principal cidade do interior de Pernambuco. Segundo maior centro comercial/produção do mercado/indústria têxtil do Brasil.

Com uma faixa de pista de 1800 metros de comprimento por 30 metros de largura, e localizado em uma cidade polo, o aeroporto serve todo o agreste de Pernambuco composto pelo Vale do Ipanema, Vale do Ipojuca, Alto e Médio Capibaribe, Garanhuns e Brejo Pernambucano.

INFRACEA Equipe Start up Aeroporto de Caruaru PE

Equipe de startup do Aeroporto de Caruaru PE

Aeroporto de Serra Talhada (SNHS) e região

Aeroporto Santa Magalhães é um aeródromo público localizado no município de Serra Talhada, situado a 412 km da capital Recife – cerca de 6h em um trajeto de carro com trânsito normal.

Com uma faixa de pista de 1800 metros de comprimento por 30 metros de largura, localizado à 35,7 km (50 min) da região do Pajeú principalmente pela concentração de hospitais, clínicas e escolas de medicina, indústrias como a de cimento, empresas de serviços, comércio e instituições de ensino.

INFRACEA start up Aeroporto de Serra Talhada PE

Equipe de startup do Aeroporto de Serra Talhada PE

Com o início da operação desses dois novos aeroportos, a INFRACEA consolida sua presença no Nordeste do Brasil.

Contando agora com oito terminais aeroportuários, 3 no sul do país, 1 no sudeste e agora 3 no nordeste do país. Com um total de 20 bases operacionais pelo Brasil em outros aeroportos, em 57 cidades distribuídas em 11 estados e Distrito Federal – onde está localizada a sede da empresa. Com contratos em mais outras 20 localidades, desde projetos, obras, consultorias e serviços pontuais em aeroportos regionais e internacionais.

Felipe Siqueira, Diretor de Operações comenta:

“A INFRACEA vem desenvolvendo, antes mesmo de serem laçados os editais para operação destes dois aeroportos, Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA), em outro Processo de Concorrência Pública do Estado, que corre em paralelo. Além disso, fomos os responsáveis pela elaboração dos PBZPA de diversos aeroportos do Estado (para saber o que é um PBZPA acesse o Portal do PBZPA).

Por este motivo, nos tornarmos experts na região e nas especificações técnicas destes dois Aeroportos, o que nos permitirá uma operação alinhada com as premissas de desenvolvimento do aeródromo pautadas pela Secretaria de PE (SIRH), atingindo um elevado padrão de Segurança Operacional exigido pela Agência Nacional de Aviação Civil para a categoria deste aeródromo, além de alto nível de eficiência das operações aeroportuárias em terra.

Cabe destacar que a operação destes Aeroportos é atendida pela Azul Linhas Aéreas, uma gigante do transporte aéreo regional e até internacional e, por isso, segue rigorosos padrões de segurança e procedimentos técnico-operacionais.

Por fim, destaco que estes municípios só tendem a ganhar com o início da operação de uma linha aérea, que trará desenvolvimento conectando Caruaru e Serra Talhada às grandes capitais do Brasil; e das capitais de nosso país, ao mundo!”



Toffoli derruba decreto de Bolsonaro dizendo que fragiliza inclusão de deficientes
Autor
Adriano Roberto

Toffoli derruba decreto de Bolsonaro dizendo que fragiliza inclusão de deficientes

O ministro Dias Toffoli, do STF (Supremo Tribunal Federal), suspendeu nesta terça-feira (1) o decreto do governo federal que instituiu a Política Nacional de Educação Especial.

O magistrado afirmou que a norma "fragiliza o imperativo da inclusão de alunos com deficiência" e deu uma decisão liminar (provisória) para sustar os efeitos do texto.

Os demais ministros decidirão na sessão virtual que começa no próximo dia 11 se mantêm o entendimento de Toffoli.

O decreto foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro em 30 de setembro em uma cerimônia que contou com a presença de diversos ministros e com o discurso da primeira-dama, Michele Bolsonaro.

O projeto é uma das principais bandeiras da mulher do presidente, que é intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras) e atua na área. No discurso de lançamento, Michele ressaltou que o programa é "um passo significativo rumo a um país justo e com igualdade de oportunidades".

Toffoli, no entanto, interpretou o decreto de forma diversa. O despacho do ministro foi dado em uma ação do PSB, que acionou o Supremo sob o argumento de que a medida do governo federal, ao prever o incentivo à criação de escolas e classes especializadas para esse grupo, "teria como real objetivo discriminar e segregar os alunos com deficiência".

Toffoli concordou com a tese do partido. Ele citou a previsão de implementação de escolas "em contexto de aprendizagem separada dos demais educandos" e destacou referência às "escolas especializadas, classes especializadas, escolas bilíngues de surdos e classes bilíngues de surdos".

Para o ministro, o decreto não respeitou a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, que veda a exclusão de pessoas com deficiência ou necessidades especiais do sistema geral de educação.

"O Brasil internalizou, em seu ordenamento constitucional, um compromisso com a educação inclusiva, ou seja, com uma educação que agrega e acolhe as pessoas com deficiência ou necessidades especiais no ensino regular, ao invés segregá-las em grupos apartados da própria comunidade", disse.

Toffoli ressaltou que a Constituição não proíbe a existência de classes e escolas especializadas, mas que a medida não pode ser adotada como regra.

Segundo o magistrado, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional expressa a excepcionalidade da medida de exclusão e estabelece como primeira hipótese a matrícula de todos os alunos no sistema geral.

"Salta aos olhos o fato de que o dispositivo trata as escolas regulares inclusivas como uma categoria específica dentro do universo da educação especial, como se houvesse a possibilidade de existirem escolas regulares não-inclusivas", frisou.

O ministro argumentou que a educação inclusiva não significa a implementação de uma nova instituição, mas a adaptação do sistema de educação regular a fim de reunir todos os alunos na mesma proposta de ensino.

Para Toffoli, é "problemática" a previsão de implementação de escolas bilíngues de surdos na condição de ensino regular para quem faz uso da Libras.

O ministro justificou que a pressa em analisar individualmente a ação se justifica devido à proximidade do início de um novo ano letivo, que "pode acarretar a matrícula de educandos em estabelecimentos que não integram a rede de ensino regular, em contrariedade à lógica do ensino inclusivo".



Câmara pode votar hoje MP que libera dinheiro para vacina de Oxford contra Covid-19
Autor
Adriano Roberto

Câmara pode votar hoje MP que libera dinheiro para vacina de Oxford contra Covid-19

A Câmara dos Deputados pode votar hoje, em sessão marcada para as 13h55, a Medida Provisória 994/20, que destina crédito extraordinário de quase R$ 1,995 bilhão para viabilizar a compra de tecnologia e a produção de vacinas contra o novo coronavírus.

O dinheiro se refere a contrato entre a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), vinculada ao Ministério da Saúde, e o laboratório AstraZeneca. A empresa desenvolve uma vacina contra a Covid-19 em parceria com a Universidade de Oxford, no Reino Unido.

Os recursos virão da emissão de títulos públicos (operações de crédito). Do total, R$ 1,3 bilhão corresponderá à encomenda tecnológica. Bio-Manguinhos – a unidade da Fiocruz produtora de vacinas – receberá investimentos de R$ 522 milhões.

A vacina de Oxford está em fase de testes com voluntários no Brasil e em outros países. A intenção é produzir 100 milhões de doses, com previsão de distribuição da vacina por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Casa Verde e Amarela
Também na pauta do Plenário consta a Medida Provisória 996/20, que cria o programa habitacional Casa Verde e Amarela para financiar a construção e pequenas reformas de residências para famílias com até R$ 7 mil de renda mensal na área urbana e com até R$ 84 mil de renda ao ano na área rural.

O programa substitui o Minha Casa, Minha Vida, criado em 2009 no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As principais diferenças entre os dois programas são o financiamento de melhorias em habitações já construídas e o aumento dos valores totais dos imóveis que poderão ser financiados.

As taxas de juros devem ficar em torno de 5% ao ano, mas para os estados do Norte e do Nordeste podem chegar a 4,5% ou mesmo 4,25%, a depender da faixa de renda familiar. Outra novidade é o financiamento da regularização fundiária urbana.

De acordo com o parecer preliminar do relator da MP, deputado Isnaldo Bulhões Jr. (MDB-AL), rendimentos temporários, como os do auxílio emergencial, não contarão para se encontrar a renda familiar usada na seleção dos candidatos.

Apesar de o programa separar o público-alvo em três faixas de renda (até R$ 2 mil; de R$ 2 mil a R$ 4 mil; e de R$ 4 mil a R$ 7 mil), somente aqueles com renda até R$ 4 mil em área urbana e com renda anual de até R$ 48 mil na área rural poderão contar com ajuda da União para adequar as parcelas ao orçamento familiar (subvenção).

Navegação
Com urgência constitucional, o terceiro item da pauta é o Projeto de Lei 4199/20, do Poder Executivo, sobre navegação de cabotagem.

O projeto libera progressivamente o uso de navios estrangeiros na navegação de cabotagem (entre portos nacionais) sem a obrigação de contratar a construção de embarcações em estaleiros brasileiros.

De acordo com o texto, já a partir da publicação da futura lei, as empresas poderão afretar uma embarcação a casco nu, ou seja, alugar um navio vazio para uso na navegação de cabotagem.

O parecer preliminar do relator do projeto, deputado Gurgel (PSL-RJ), aumenta de três para quatro anos o tempo de transição depois do qual o afretamento de navios estrangeiros será livre. Assim, depois de um ano da vigência da lei, poderão ser dois navios; no segundo ano de vigência, três navios; e no terceiro ano da mudança, quatro navios.

Daí em diante, a quantidade será livre, observadas condições de segurança definidas em regulamento. As embarcações deverão navegar com suspensão da bandeira de origem. A bandeira do país vincula diversas obrigações legais, desde comerciais, fiscais e tributárias até as trabalhistas e ambientais.

 

Empresas brasileiras também poderão operar com esses navios estrangeiros sem precisar contratar a construção de navios no Brasil.

Outra novidade no relatório é a dispensa de autorização para afretar navio estrangeiro por viagem ou por tempo a ser usada na navegação de cabotagem em substituição a outra que esteja em reforma nos estaleiros nacionais ou estrangeiros.?

Fonte: Agência Câmara de Notícias



Reino Unido é o primeiro país a aprovar uso da vacina da Pfizer
Autor
Adriano Roberto

Reino Unido é o primeiro país a aprovar uso da vacina da Pfizer

O Reino Unido é o primeiro país no mundo a aprovar o uso generalizado da vacina desenvolvida em conjunto pela Pfizer e pela BioNTech contra a Covid-19, divulgou a BBC. A reguladorabritânica, a Medicines and Healthcareproducts Regulatory Agency (MHRA), anunciou que as inoculações poderão começar nos próximo dias para pessoas que façam parte de grupos prioritários.

O governo liderado por Boris Johnson já encomendou 40 milhões de doses desta vacina - o que permitirá vacinar 20 milhões de pessoas, uma vez que esta vacina requer duas injeções.

Cerca de 10 milhões de doses devem ficar disponibilizadas em breve, pois o primeiro lote vai chegar ao Reino Unido no espaço de dias.

O governo britânico já falou da aprovação da vacina da Pfizer e da BioNTechpor parte da MHRA. O ministro da Saúde, Matt Hancock, comemorou no Twitter o fato do Reino Unido ser o "primeiro país no mundo" a aprovar esta vacina para distribuição pela população.

"A ajuda está a caminho. A MHRAautorizou formalmente o uso da vacina da Pfizer/BioNTechpara a Covid-19. O NHS(o serviço nacional de saúde britânico) está pronto para começar a vacinar no início da próxima semana", afirmou Hancock.



Ministro da Justiça pede mais rigor contra agente público que vazar dados sobre lavagem de dinheiro
Autor
Adriano Roberto

Ministro da Justiça pede mais rigor contra agente público que vazar dados sobre lavagem de dinheiro

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, defendeu sanções mais rigorosas para agentes públicos que vazarem informações sigilosas relacionadas ao combate à corrupção e à lavagem de dinheiro. Ele participou nesta sexta-feira (13) de reunião da comissão de juristas encarregada de revisar a Lei de Lavagem de Dinheiro.

“Precisamos de mecanismos sérios, sem corporativismo, para [combater o] uso indevido da informação. Assim como devemos sancionar com todo rigor um traficante de drogas, um agente corrupto que está lá com um processo de lavagem, eu também tenho que, com todo rigor, sancionar as autoridades que fazem uso indevido da informação, às vezes até para desqualificar agentes públicos que, ao final, sequer são objeto de uma sanção por parte do Judiciário”, propôs.

André Mendonça também defendeu maior objetividade nas regras para compartilhamento de informações e uma estrutura que evite o monopólio de decisão das autoridades que vão conduzir o processo. “Quem tem poder tende a abusar dele. É preciso haver limites. Se não forem respeitados, que sejam sancionados”, ponderou.

Coaf
O ministro da Justiça sugeriu a criação de mecanismos de gradação, à luz das evidências, para ingressar no sigilo bancário e em outros dados sigilosos. Ele apoia o compartilhamento de informações com agentes que precisam atuar na recuperação do produto do ilícito. “A Advocacia-Geral da União tinha dificuldade de receber informações porque não participa da investigação”, lembrou.

O papel do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) no compartilhamento de informações com outros órgãos foi destacado pelo ministro. Ele defendeu a transferência do órgão para o Banco Central.

“Via com muita preocupação a transferência do Coaf para o Ministério da Justiça. Não pela figura do [então] ministro da Justiça, Sérgio Moro, mas em um balanço histórico de ministros da Justiça e da Fazenda, o da Justiça sempre foi mais político e o da Fazenda, mais técnico”, comentou. “Já o Banco Central tem carreira consolidada e está acostumado a lidar com informações sigilosas.”

André Mendonça ainda apontou para necessidade de focar a ação e legislação na prevenção do crime de lavagem de dinheiro, e não na repressão. “Devemos construir um marco legal que nos permita prevenir situações em que o infrator se beneficie do produto do ilícito”, afirmou.

Devedores
O ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), José Levi Mello do Amaral Júnior, observou que os procuradores têm trocado o foco de investigação de dívidas para devedores. Ele observou que a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) aumentou a recuperação de ativos depois que passou a ranquear os devedores e intensificar suas cobranças em casos com maior probabilidade de sucesso.

“A recuperação deu um salto de R$ 14,5 bilhões, em 2016, para R$ 26 bilhões em 2017”, comemorou. Em 2019, foram recuperados R$ 24,5 bilhões pela PGFN. “Realmente mudou de patamar”, disse o ministro da AGU.

Reprodução/TV Câmara
Ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), José Levi Mello do Amaral Júnior, em reunião da comissão de juristas sobre a Lei de Lavagem de Dinheiro
José Levi: o combate à lavagem de dinheiro requer convergência de esforços

A distribuição de ações pelo ranking permitiu que o órgão intensificasse a investigação para prevenir ilícitos. “Claro que isso passa pelo desenvolvimento de sistemas e cruzamento de dados”, afirmou José Levi.

“A lavagem de dinheiro é criminalidade de elevada sofisticação. Não comporta abordagens simplistas ou protagonismos isolados. Requer convergência de esforços de todos os setores e agentes públicos que possam prevenir e reprimir a criminalidade”, disse o ministro da AGU.

Peritos
Também na reunião da comissão de juristas, o representante da Associação dos Peritos Criminais Federais Otávio Andrade Allemand Borges, que faz parte do quadro de peritos da operação Lava Jato, apresentou uma série de sugestões para aperfeiçoar a legislação contra a lavagem de dinheiro. Entre elas estão:

  • preferência de perícia oficial na avaliação de bens que são produto de crime. “A perícia oficial atende à Justiça com rigor científico, e não figura como parte processual”, justificou Borges.
  • proibição de que bens, valores ou qualquer proveito que comprovadamente veio do ilícito seja apto a integrar espólio de herdeiros ou terceiros.
  • sujeitar a mecanismos de controle pessoas que comercializam bens de origem florestal. “A perícia vem desenvolvendo técnicas de rastreamento isotópico para identificar a origem de madeira extraída, mesmo que esteja figurando como um ativo no estrangeiro.”
  • a investigação de casas que comercializam criptomoedas (exchanges) e plataformas digitais que concedem crédito para pessoas físicas e jurídicas (fintechs).
  • fim do limite de R$ 20 milhões para multas administrativas para transações irregulares no sistema financeiro. “Existem transações em bancos e doleiros que superam essa quantia. Dentro de um cálculo econômico, se a pessoa achar que pode ganhar mais do que isso, o crime pode compensar”, alertou o perito.

Mudanças na lei
A comissão de juristas está promovendo diversas reuniões virtuais para ouvir sugestões de mudanças na legislação sobre lavagem de dinheiro. Instalada em setembro pela Câmara dos Deputados, a comissão é formada por 19 integrantes, entre magistrados, membros do Ministério Público, acadêmicos e especialistas.

Ao final dos trabalhos, será apresentado um anteprojeto para análise dos deputados.

Confira o ato de criação do grupo e a lista completa de integrantes

Fonte: Agência Câmara de Notícias



Eleitor tem 60 dias para justificar ausência em votação
Autor
Adriano Roberto

Eleitor tem 60 dias para justificar ausência em votação

O eleitor que não compareceu às eleições realizadas no último domingo (30) tem até 60 dias para justificar a ausência na Justiça Eleitoral. A justificativa deverá conter a documentação comprobatória da impossibilidade de comparecimento ao pleito. 

A requisição pode ser feita por meio do aplicativo de celular e-Título, pelo Sistema Justifica ou por meio do comparecimento a um cartório eleitoral para a entrega do Requerimento de Justificativa Eleitoral (RJE), que pode ser preenchido aqui . O requerimento pode ser enviado pelos correios ao juiz da zona eleitoral na qual o eleitor for inscrito, acompanhado da documentação comprobatória da impossibilidade de comparecimento ao pleito. Veja a relação das zonas eleitorais.

O eleitor que deixou de votar e não justificou a ausência no dia da eleição poderá apresentar justificativa até 14 de janeiro de 2021 (ausência no primeiro turno) e até 28 de janeiro de 2021 (ausência no segundo turno).

O acolhimento ou não da justificativa apresentada ficará a critério do juiz da zona eleitoral em que o eleitor for inscrito. Enquanto não regularizar sua situação com a Justiça Eleitoral, o eleitor não poderá, entre outras coisas, obter passaporte ou carteira de identidade e renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial.



Conta de luz fica mais cara com volta de tarifa extra a partir de hoje
Autor
Adriano Roberto

Conta de luz fica mais cara com volta de tarifa extra a partir de hoje

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu, em reunião extraordinária realizada nesta segunda-feira (30/11), reativar o sistema de bandeiras tarifárias a partir de dezembro devido à queda no nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas. Ficou estabelecida a bandeira vermelha patamar 2, com o custo de R$ 6,243 para cada 100 quilowatts-hora consumidos.

De acordo com comunicado da Aneel divulgado nesta noite, em virtude da pandemia do novo coronavírus, a agência tinha decidido, em maio, manter a bandeira verde acionada até 31 de dezembro deste ano. "Contudo, a queda no nível de armazenamento nos reservatórios das hidrelétricas e a retomada do consumo de energia levaram à revisão da decisão hoje", destacou a nota.

O sistema de bandeiras tarifárias funciona como uma sinalização para que o consumidor de energia elétrica conheça, mês a mês, as condições e os custos de geração no País. Quando a produção nas usinas hidrelétricas (energia mais barata) está favorável, aciona-se a bandeira verde, sem acréscimos na tarifa. Em condições ruins, podem ser acionadas as bandeiras amarela, vermelha 1 ou vermelha 2.

“Com o anúncio da bandeira vermelha patamar 2 é importante que os consumidores busquem evitar o desperdício de água e energia”, disse o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, em nota divulgada pela agência.

Dados do ONS

Conforme dados da página do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o nível dos reservatórios dos sistemas está abaixo de 50% em praticamente todas as regiões do país até o último dia 29. A exceção ficou com o Subsistema Nordeste, composto pelas bacias dos rios Jequitinhonha e São Francisco, com média de 52,32%.

O subsistema mais crítico é o Sudeste-Centro-Oeste, composto pelas bacias dos rios Grande, Paraíba do Sul, Paraná Paranaíba Paranapanema, São Francisco, Tietê e Tocantins, com média atual dos reservatórios em 18,11%. Na sequência, o Subsistema Sul, composto por reservatórios nas bacias dos rios Capivari, Iguaçu, Jacui, Paranapanema e Uruguai, com média de 18,63%.



Balanço das eleições hoje no Ponto de Vista
Autor
Adriano Roberto

Balanço das eleições hoje no Ponto de Vista

Ouça o Ponto de Vista nesta segunda-feira 30/11/2020, às 18hs. Especial do balanço das eleições com os jornalistas especiais.

Ricardo Antunes

Noélia Brito

e Wanderson Medeiros 

E mais! Todas as informações políticas do dia com nossos outros comentaristas do programa.

Tudo isso vc acompanha no Ponto de Vista, programa que apresento, das 18 às 19 horas, pela Agência PE de Rádio.

Você pode ouvir:

www.agenciape.radio.br 

www.adrianoroberto.blog.br 

Acompanhe ao VIVO pelo Facebook 

facebook.com/adriroberto11

No meu canal do YouTube

https://www.youtube.com/c/AdrianoRobertoarpruducoes

Ouça também pelas emissoras espalhadas em todo o Estado:

Rádio Triunfo FM 87,9

Rádio Tabajara FM 104,9 - Petrolina

Rádio Betânia FM 87,9

Rádio Parnamirim FM 104,9

Rádio Terra Nova FM 104,9

Rádio Lider FM 87,9 - Jupi

Radio Associativa FM 104.9 - Jurema

Rádio Vale FM 104,9 - Buíque

Rádio Top FM 97,9 - Igarassu

Rádio Candelária FM 98,3 - Jaboatão

Rádio Tupanatinga FM 104,9

Rádio Templo FM 88,1 FM - Região Metropolitana Recife

Baixe o aplicativo do Android para ouvir a partir das 18 horas clicando abaixo:

https://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.williarts.radio.redepederadio59

 



André Carvalho, uma das primeiras lideranças  evangélicas a declarar apoio, comemora vitória de João Campos
Autor
Adriano Roberto

André Carvalho, uma das primeiras lideranças evangélicas a declarar apoio, comemora vitória de João Campos

Ao declarar a vitória de João Campos (PSB),  Carvalho destacou a importância da eleição do socialista para o segmento evangélico que deve ser pautado segundo ele por muito diálogo e respeito.

"Estive conversando com João, ele garantiu trabalhar por todos os cidadãos Recifenses o que inclui a comunidade evangélica e cristã como um todo". Disse André Carvalho.

O Diretor da maior emissora Evangélica afirmou que o segmento está a disposição do novo Prefeito. "Nosso segmento é ordeiro, e organizado, o que  se deseja é ser  coadjuvante no processo de melhorias  sóciais para toda sociedade. Nossa luta não é contra às pessoas, mas contra às  ideologias que afetam a nossa fé.

O recado foi dado nas urnas pela comunidade evangélica e cristã". Pontuou Carvalho. Por fim o diretor falou do apoio de políticos evangélicos, a candidata do PT.

 "Quem deu o apoio a quem defende aborto, legalização das drogas entre outras pautas esquerdistas, que deve se explicar a população Evangélica.

Lamento profundamente que tenhamos pessoas que não pense no conjunto, porém não cabe a mim o julgamento. Estarei orando para que  o nosso segmento esteja cada vez mais unido".

André Carvalho foi candidato  a Deputado Federal em 2018 e teve na época mais de 25 mil votos, tento uma importante votação em todo o Estado.

Carvalho afirmou que não vai ser candidato a cargo público nas próximas eleições, sua missão é a propagação do evangelho. 

" Meu futuro está nas mãos de Deus, estou aqui para servir a ele e fazer sua obra. Sobre política, prefiro deixar que o tempo cuide de tudo.

O foco agora é contribuir em oração pela vida dos eleitos, entre ele o João Campos que tem grande responsabilidade com a belíssima capital Pernambucana.

Vou está sempre a disposição de Pernambuco, pois está no meu sangue,faz parte do DNA da família Carvalho".  

A Rádio Maranata está concorrendo a mais um importante troféu e pelo que parece, o diretor está focado em mais uma possível grande conquista para a emissora.



Definidos os prefeitos de mais 18 capitais e outras 39 cidades brasileiras
Autor
Adriano Roberto

Definidos os prefeitos de mais 18 capitais e outras 39 cidades brasileiras

Cidadãos de 18 capitais e 39 municípios com mais de 200 mil eleitores escolheram seus prefeitos neste domingo (29), no segundo turno das eleições de 2020. Apenas Macapá (AP), prejudicada pelo apagão elétrico que afetou o estado no mês de novembro, fará a escolha de prefeito e vereadores em 6 de dezembro.

Às 20h40, 99,99% das seções do país já tinham sido totalizadas, contrastando com a lentidão do primeiro turno. O comparecimento foi de 70,50% do eleitorado, e a abstenção foi de 29,50%.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, considerou a “missão cumprida”. Ele frisou que a abstenção foi maior do que o tribunal desejaria, mas, considerando o cenário de pandemia de covid-19 que já ceifou a vida de mais de 170 mil brasileiros, a eleição foi bem-sucedida, pois temia-se uma abstenção “colossal”.

— Com 70%, posso dizer que houve um comparecimento maciço às urnas — disse.

Em entrevista coletiva pouco depois das 20h, Barroso detalhou as providências necessárias desde o início da pandemia, do adiamento até a garantia de eleições em condições de segurança sanitária, minimizando os riscos de contágio pela covid-19. Ele explicou as tentativas de ataques ao sistema do TSE.

— Não houve ataques bem-sucedidos — garantiu.

Barroso também destacou dois números: a eleição de 649 mulheres para prefeitura e de 885 vice-prefeitas, e o “aumento relevante” de 29% para 32% de candidatos pretos e pardos eleitos.

Foram 97.024 urnas para votação em todo o país, com a substituição de 713 delas, ou 0,49% do total. Uma seção eleitoral de São Paulo precisou fazer a votação manual, porque a urna eletrônica instalada teve problema. Os tribunais regionais eleitorais também promoveram duas auditorias em urnas sorteadas, para demonstrar a transparência e a confiabilidade dos equipamentos e para a verificação dos programas instalados e das assinaturas digitais dos sistemas lacrados pela Justiça Eleitoral. O processo foi acompanhado por jornalistas e representantes do Ministério Público e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Neste segundo turno, houve a participação de 5.157 militares em 40 municípios de Maranhão, Ceará, Amazonas, Acre e Rio de Janeiro, atuando no transporte e proteção de urnas e trabalhadores. Eles se somaram aos 93 mil agentes de segurança (policiais militares, civis, federais, agentes rodoviários) que trabalharam para garantir a segurança das eleições em todo o Brasil. No primeiro turno, 601 cidades contaram com o apoio das Forças Armadas. 

Agilidade

O primeiro nome confirmado, pouco mais de 40 minutos após o encerramento da eleição, foi o de Edmilson Rodrigues (PSOL) para a prefeitura de Belém (PA). Com 51,76% dos votos, ele derrotou o candidato Delegado Federal Eguchi (Patriota), que teve 48,24% dos votos.

A segunda capital com a eleição confirmada foi Vitória (ES), que escolheu Delegado Pazolini (Republicanos) com votos de 58,50% do eleitorado. O adversário, João Coser (PT), teve 41,5% dos votos.

João Pessoa (PB) foi a primeira capital com 100% das urnas apuradas. O ex-senador Cícero Lucena (PP) foi eleito prefeito com 53,16% dos votos, contra Nilvan Ferreira (MDB), que obteve 46,84% da votação.

A maior cidade do país, São Paulo, confirmou a renovação do mandato de Bruno Covas (PSDB), que recebeu 59,38% dos votos, contra Guilherme Boulos (PSOL), escolhido por 40,62% do eleitorado.

Porto Alegre (RS) escolheu Sebastião Melo (MDB) por 54,63% dos votos, contra 45,37% destinados a Manuela D’Ávila (PCdoB).

O Rio de Janeiro (RJ) não quis renovar o mandato de Marcelo Crivella (Republicanos), elegendo Eduardo Paes (DEM) prefeito com 64,07 % dos votos. Crivella obteve 35,93%.

A maior parte dos candidatos que chegaram à frente no primeiro turno confirmaram o favoritismo no segundo turno, com raros casos de virada, como em Manaus (AM). Na capital do Amazonas, David Almeida (Avante) foi eleito prefeito com 51,27% dos votos, contra 48,73% de Amazonino Mendes (Podemos). No primeiro turno, Amazonino teve 24,31% da preferência do eleitorado, e David Almeida, 22,74%.

Goiânia

Único senador que concorria a uma prefeitura no segundo turno, Vanderlan Cardoso (PSD-GO) permanece em seu mandato no Senado Federal, já que perdeu a disputa pela prefeitura de Goiânia contra o ex-senador Maguito Vilela (MDB-GO).

Foram 52,60% dos votos para Maguito e 47,40% para Vanderlan. É a segunda vez que Vanderlan disputa a prefeitura da capital, pois também foi candidato em 2016, sendo derrotado no segundo turno pelo atual prefeito, Iris Rezende (MDB). O ex-senador Wilder Morais (PSC) foi seu companheiro na chapa atual, como candidato a vice-prefeito.

Covid-19

O prefeito eleito em Goiânia, Luís Alberto Maguito Vilela, testou positivo para o novo coronavírus em 20 de outubro, e seu estado de saúde até hoje é preocupante. Desde 15 de novembro, dia do primeiro turno, ele está internado na UTI do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, intubado, inconsciente, contando com o auxílio de uma máquina para a oxigenação do sangue.

Em comentário para a Rádio Senado, o consultor legislativo Gilberto Guerzoni disse que Maguito vai acordar com uma grande surpresa, ao saber de sua eleição. O consultor lembra que a chapa é a vencedora e se Maguito não tiver condições de assumir a direção do município, caberá ao vice-prefeito eleito administrar a cidade até que o titular se recupere.

O vice é o atual vereador de Goiânia Rogério Cruz (Republicanos), de 54 anos. Natural de Duque de Caxias (RJ), ele chegou à cidade em 2010, é pastor e está em seu segundo mandato na Câmara Municipal goiana. Foi eleito pela primeira vez em 2012.

— Tivemos um fato similar a esse, na posse de Tancredo Neves na Presidência, que adoeceu no dia da posse — lembrou Guerzoni.

Confira a lista dos prefeitos eleitos nas capitais.

Mapa_2oTurno.jpg

 

Prefeitos eleitos no 2º turno                                                                                 

 

Cidade

 

Aracaju 
(SE)
Edvaldo (PDT) - reeleito

Belém
(PA) 

Edmilson Rodrigues (PSOL)

Boa Vista
(RR)

Arthur Henrique (MDB)

Cuiabá
(MT)

Emanuel Pinheiro (MDB) - reeleito

Fortaleza
(CE)

José Sarto (PDT)

Goiânia
(GO)

Maguito Vilela (MDB)

João Pessoa
(PB)

Cícero Lucena (PP)

Maceió
(AL) 

João Henrique Holanda Caldas (PSB)

Manaus
(AM)

David Almeida (Avante)
Porto Alegre 
(RS)
Sebastião Melo (MDB)

Porto Velho
(RO)

Hildon Chaves (PSDB) - reeleito

Recife
(PE)

João Campos (PSB)

Rio Branco
(AC)

Tião Bocalom (PP)

Rio de Janeiro 
(RJ)

Eduardo Paes (DEM)

São Luís
(MA) 

Eduardo Braide (Podemos)

São Paulo
(SP)

Bruno Covas (PSDB) - reeleito

Teresina
(PI)

Dr. Pessoa (MDB)

Vitória
(ES)

Delegado Pazolini (Republicanos)

 

Fonte: TSE
Mapa_1oTurno_eleitos.jpg

Prefeitos eleitos no 1º turno                                                                       

Belo Horizonte
(MG)

Alexandre Kalil (PSD) — reeleito 

Campo Grande
(MS)
Marquinhos Trad (PSD)
Curitiba 
(PR)
Rafael Greca (DEM) — reeleito
Florianópolis 
(SC)
Gean Loureiro (DEM) — reeleito
Natal 
(RN)
Álvaro Dias (PSDB) — reeleito
Palmas
(TO)
Cinthia Ribeiro (PSDB)
Salvador 
(BA)
Bruno Reis (DEM)
  Fonte: TSE

Fonte: Agência Senado



MDB, PSDB e DEM vão governar a metade das capitais brasileiras
Autor
Adriano Roberto

MDB, PSDB e DEM vão governar a metade das capitais brasileiras

Três partidos vão comandar a metade das capitais brasileiras a partir de 2021. O MDB venceu em cinco das sete que disputou neste domingo, no segundo turno das eleições municipais. PSDB e DEM comandarão quatro cada, já somadas as vitórias no primeiro turno.

O MDB reelegeu neste domingo o prefeito de Cuiabá (MT), Emanuel Pinheiro. Já o vice-prefeito Arthur Henrique, em Boa Vista (RR), levou a legenda ao recorde de votos válidos neste segundo turno em uma capital, ao conquistar o apoio de mais de 85% dos eleitores.

Em Goiânia (GO), o MDB venceu com o ex-governador Maguito Vilela, internado há mais de um mês em São Paulo com Covid-19. O partido ganhou ainda em Porto Alegre (RS), com o deputado estadual Sebastião Melo, e em Teresina (PI), com ex-deputado estadual Dr. Pessoa.

O PSDB, que já havia reelegido dois prefeitos, manteve o comando dos municípios de São Paulo (SP), com Bruno Covas, e de Porto Velho (RO), com Hildon Chaves. O DEM, com três vitórias no primeiro turno, agora ganhou no Rio de Janeiro (RJ), com o ex-prefeito Eduardo Paes.

O PDT reelegeu o prefeito de Aracaju (SE), Evaldo Nogueira, e ganhou em Fortaleza (CE). Também governarão duas capitais o PSB, com os deputados João Campos, em Recife (PE), e JHC, em Maceió (AL); o PP, em João Pessoa (PB) e em Rio Branco (AC); e o PSD, após vitórias no primeiro turno.

Outros quatro partidos – Avante, Podemos, Psol e Republicanos – governarão em 2021, respectivamente, as capitais Manaus (AM), São Luís (MA), Belém (PA) e Vitória (ES). As legendas com as maiores bancadas na Câmara dos Deputados, PT e PSL, não conquistaram nenhuma capital.

Das 26 capitais brasileiras, somente em Macapá, devido a um apagão resolvido apenas na terça-feira (24), não houve eleição. O primeiro turno na capital do Amapá será em 6 de dezembro; o segundo, se necessário, no dia 20.

Outras cidades
O segundo turno ocorreu ainda em 39 dos 95 municípios com mais de 200 mil eleitores. Em quatro, todos no Rio de Janeiro (Campos dos Goytacazes, Duque de Caxias, Petrópolis e Volta Redonda), a decisão caberá à Justiça Eleitoral.

Consideradas 91 cidades com mais de 200 mil eleitores e encerrada a apuração neste domingo, o PSDB saiu com mais vitórias, 14, sendo 8 no segundo turno. O MDB acabou com dez, cinco em cada turno. Depois vem o PSD, com sete, das quais quatro agora.

Pelo PSD, a atual vice-prefeita de Ponta Grossa (PR), Professora Elizabeth, venceu a deputada estadual Mabel Canto (PSC). Foi o único segundo turno destas eleições municipais envolvendo duas candidatas. Situação semelhante já havia ocorrido em Olinda (PE), em 2000.

No total, quatro prefeitos de capital, ante seis no primeiro turno, foram reeleitos neste domingo. O PT, legenda com mais candidatos no segundo turno (15), elegeu só quatro deles – em Contagem e Juiz de Fora, em Minas Gerais, e em Diadema e Mauá, em São Paulo.

Justificativa eleitoral

A abstenção foi recorde nestas eleições municipais, que ocorreram em meio à pandemia de Covid-19. No primeiro turno, considerando a média no País, foi de 23,1% do eleitorado. No segundo turno, atingiu 29,5%, bem acima dos 21,6% nessa mesma fase em 2016.

As pessoas que faltaram ao segundo turno das eleições municipais têm agora até o final de janeiro (60 dias) para justificar a ausência. Isso poderá ser feito por meio do aplicativo para celular e-Título, em página na internet ou pessoalmente no respectivo cartório eleitoral.



Deputados Federais são eleitos prefeitos de quatro capitais: Recife, Belém, São Luís e Maceió
Autor
Adriano Roberto

Deputados Federais são eleitos prefeitos de quatro capitais: Recife, Belém, São Luís e Maceió

Neste domingo, deputados foram eleitos para as prefeituras de quatro capitais: João H. Campos (PSB), no Recife (PE); Edmilson Rodrigues (Psol), em Belém (PA); Eduardo Braide (Podemos), em São Luís (MA); e JHC (PSB), em Maceió (AL). Outros três deputados disputavam prefeituras em capitais, mas acabaram em segundo lugar: Marília Arraes (PT), no Recife (PE); Capitão Wagner (Pros), em Fortaleza (CE), e Ottaci Nascimento (Solidariedade), em Boa Vista (RR). Ainda assim, esta foi uma das eleições municipais mais bem-sucedidas para deputados na última década.

Contando com os resultados do primeiro e segundo turno, no total sete deputados foram eleitos prefeitos e três vice-prefeitos. O resultado é inferior ao da eleição passada, quando 15 deputados se elegeram prefeitos e quatro vice-prefeitos. No entanto, em 2016, apenas um deputado foi eleito em uma capital: Nelson Marquezan Jr (PSDB), em Porto Alegre.

O desempenho de parlamentares neste ano nas capitais só se compara ao de 2012, quando seis deputados se elegeram para prefeituras de Belém, Boa Vista, Maceió, Porto Velho, Salvador e São Luís. Já em 2008, nenhum deputado ganhou o cargo de prefeito em uma capital.

Outras cidades que elegeram deputados para prefeito foram:
Margarida Salomão (PT) - Juiz de Fora (MG)
Sergio Vidigal (PDT) - Serra (ES)
Alexandre Serfiotis (PSD) - Porto Real (RJ)

Foram eleitos vice-prefeitos:

Deuzinho Filho (Republicanos) - Caucaia (CE)
Paulo Marinho Jr. (PL) - Caxias (MA)
Juninho do Pneu (DEM) - Nova Iguaçu (RJ)

Outro deputado candidato, Wladimir Garotinho (PSD), conquistou 52,4% dos votos para prefeito no segundo turno em Campos dos Goytacazes (RJ). No entanto, ele ainda não é considerado eleito porque sua candidatura foi impugnada e está em julgamento na Justiça Eleitoral.

Nestas eleições, 66 deputados concorreram a cargos de prefeito ou vice-prefeito em 43 cidades, sendo que 40 deles disputavam vagas em capitais. O número é inferior à eleição de 2016, quando 80 deputados se lançaram candidatos em 57 cidades.

Fonte: Agência Câmara de Notícias



Barroso diz que abstenção de eleitores foi maior que o desejável
Autor
Adriano Roberto

Barroso diz que abstenção de eleitores foi maior que o desejável

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, disse hoje (29) que a abstenção dos eleitores no segundo turno das eleições municipais foi maior que o desejável pela Justiça Eleitoral. Durante a apresentação do balanço das eleições, Barroso afirmou que a pandemia da covid-19 fez com que parte do eleitorado deixasse de comparecer às urnas por medo de contaminação pelo novo coronavírus.

Com 100% das seções eleitorais apuradas, a abstenção dos eleitores foi de 29,50%, equivalente a 11,1 milhões de pessoas. Nas eleições de 2018, 2016 e 2014, o índice de eleitores faltosos ficou em torno de 21%.

Na avaliação do presidente, embora a abstenção tenha sido maior que o desejado, a realização das eleições em meio à pandemia, com a participação de 70,50% dos eleitores, merece ser celebrada.

“É um número maior do que nós desejaríamos, mas é preciso ter em conta que nós realizamos eleições em meio à uma pandemia, que já consumiu 170 mil vidas, e que muitas pessoas, com o compreensível temor de comparecem às urnas, deixaram de votar. Muitas por estarem com a doença, muitos por estarem com sintomas e muitas por estarem com medo”, afirmou. 

De acordo com o balanço final das eleições, houve 3,89% (1 milhão) de votos brancos e 8.81% (2,3 milhões) de votos nulos.

Ataque hacker

Durante a coletiva de imprensa, o presidente do TSE também afirmou que não foram registrados ataques bem sucedidos de hackers aos sistemas do TSE no segundo turno. Barroso também elogiou o trabalho da Polícia Federal (PF), que prendeu ontem (28) um suspeito de envolvimento no ataque ao sistema do tribunal durante o primeiro turno.

"Há os que fazem esses ataques para procurar atacar a democracia e o sistema eleitoral, e procurarem tornar as instituições vulneráveis. Todos eles são criminosos, merecem o repúdio das pessoas de bem e merecem a ação da Justiça", disse.



Um rosto por trás dos violentos movimentos sociais
Autor
Adriano Roberto

Um rosto por trás dos violentos movimentos sociais

Se você ainda não reconhece esse homem, saiba que ele é uma forte influência política no mundo todo. Seu nome é George Soros. Ele faz parte de uma elite de investidores internacionais que especula investimentos. 

Para Soros, as nações do mundo são como peças num tabuleiro de xadrez e seus interesses são simples jogadas estratégicas.

Ele ficou conhecido como “o homem que quebrou a Inglaterra”. Em uma especulação financeira, Soros causou uma desvalorização histórica na moeda britânica. Para ele ganhar 1 bilhão de libras, fez o Banco Central perder 3.

MAS NÃO É SÓ ISSO.

Através da Open Society e a Soros Fund Management, Soros doou bilhões a movimentos progressistas que interferem na política global.

De partidos a organizações ativistas violentas, como Antifa e Black Lives Matter, as doações do Soros já passam dos 12 bilhões de dólares.
Também é um frequente doador do partido Democrata. Em 2016, desembolsou 10 milhões de dólares para a campanha de Hillary Clinton.

Este ano, o Partido bateu recorde de doações, contando com 50 milhões para a campanha eleitoral de Joe Biden. Soros não para nos EUA. A esquerda no Brasil também é financiada pelo bilionário.

Veja a notícia retirada do site oficial de Open Society.

Não é a primeira vez que isso acontece. Outros jornalistas e organizações progressistas do Brasil receberam investimento do bilionário. George Soros, junto com suas organizações e investimentos, provavelmente é um dos indivíduos sem cargos políticos mais influentes do mundo.

Ele foi citado na nossa mais nova minissérie chamada “As Grandes Minorias” . Clique no link abaixo e assista último documentário de 2020 produzido por nós da BRASIL PARALELO.



 Feitosa volta a defender o tratamento precoce e o uso da Hidroxicloroquina
Autor
Adriano Roberto

Feitosa volta a defender o tratamento precoce e o uso da Hidroxicloroquina

O deputado estadual Coronel Feitosa (PSC) usou suas redes sociais para enaltecer o trabalho realizado pelo médico e atual prefeito de Porto Feliz (SP), Dr. Cássio, por ter adotado o protocolo de tratamento para a Covid-19 com o uso da hidroxicloroquina. A cidade se tornou referência no combate à doença, com 100% da população tratada precocemente e taxa de mortalidade baixíssima. 

“Com uma população de 52.221 habitantes, foram 15 vidas perdidas, totalizando um percentual de 0,03%. Taxa cinco vezes menor que a do Recife. Inclusive, pessoas das cidades vizinhas se deslocavam para o Município para fazer o tratamento no local”.

O parlamentar lembrou que defende o tratamento precoce ao Covid-19 desde o início da pandemia. “Comparando os dados, podemos crer que mais de 2.000 vidas poderiam ter sido salvas no Recife se o tratamento nos primeiros sintomas tivesse sido oferecido, ao invés de mandar os nossos doentes para casa, só voltando ao hospital se piorassem”, afirmou. 

Segundo Feitosa, o bom trabalho realizado pelo prefeito Dr. Cássio foi reconhecido pelo povo, o que também possibilitou sua reeleição na cidade. 

“Atitudes como essa não só salvaram vidas, como garantiram a reeleição do prefeito de Porto Feliz com 92,1%, enquanto o Prefeito Geraldo Júlio tem índice de rejeição de 62%. É o reconhecimento do povo, a quem realmente cuida das pessoas”.



DETRAN-PE participa do V Encontro Nacional de Educadores do Sistema Nacional de Trânsito
Autor
Adriano Roberto

DETRAN-PE participa do V Encontro Nacional de Educadores do Sistema Nacional de Trânsito

O Encontro Nacional de Educadores do Sistema Nacional de Trânsito acontece desde 2016, evento realizado pelo Departamento Nacional de Trânsito - DENATRAN, que proporciona um livre debate entre os atores envolvidos na educação de trânsito nos estados, potencializando ações já em execução em um momento de avaliação crítica de ações educativas no alcance da segurança viária no país. 

Este ano, o V Encontro Nacional de Educadores do Sistema Nacional de Trânsito, em razão da pandemia do COVID19, o encontro aconteceu totalmente online.

O Diretor Presidente do Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco - DETRAN-PE, Roberto Fontelles, designou o Gerente da Escola Pública de Trânsito - EPT, do Órgão, Ivson Correia, para participar do evento, que na ocasião representou também os Estados da Alagoas, Bahia e Piauí. Segundo Ivson, Pernambuco apresentou as iniciativas educacionais e preventivas que vêm sendo desenvolvidas pela Autarquia, principalmente a Operação Prevenção “Segundos que salvam vidas”, realizada pela Diretoria de Engenharia a Fiscalização, que conta com o apoio da Coordenadoria de Educação para o Trânsito, além das ações digitais, como o perfil no instagram @eptdetranpe e o desenvolvimento de um manual para alunos e professores com dicas sobre modalidade EAD.

Além do DENATRAN, órgãos e entidades têm se mobilizado para incentivar a segurança no trânsito por meio da conscientização da sociedade, com o desafio de promover a paz no trânsito e lutar pela não banalização da vida. “Juntos, buscamos atender as metas de redução de mortes e lesões no trânsito, fixadas pelo Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN. Ação educativas são de grande importância para sensibilizar toda sociedade a respeito da necessidade de mudança de atitude. 

No trânsito, este ano, o tema da Campanha Nacional é “Perceba o Risco. Proteja a Vida”, chamando a atenção para os riscos no trânsito e pela busca da proteção à vida”, destacou.



Morre, aos 113 anos o homem mais velho de Serra Talhada
Autor
Adriano Roberto

Morre, aos 113 anos o homem mais velho de Serra Talhada

Faleceu, nessa terça-feira (24), Pedro Severino Alves, aos 113 anos de idade, considerado o homem mais velho de Serra Talhada. Ele foi a óbito no município de Mirandiba, Sertão Central, onde estava em tratamento médico, em virtude do diabetes, e sob cuidados da família.

Pedro Severino, que também era ‘rezador’, morava no bairro da Cagep, em Serra Talhada. Nos últimos dias, com a ajuda de leitores do Farol, ganhou duas cadeiras de rodas porque tinha dificuldades de locomoção. Em função da doença, chegou a perder alguns dedos dos pés.

Do Farol de Notícias