Blog do Adriano Roberto




Moro vem ai hoje reorganizando a Lava Jato e caçando corruptos
Autor
Adriano Roberto

Moro vem ai hoje reorganizando a Lava Jato e caçando corruptos

Prestes a participar da cerimônia de transmissão de cargo, às 10h desta quarta-feira, o Ministério da Justiça, o ex-juiz federal Sérgio Moro quer aprovar ainda em fevereiro o projeto de lei anticrime ao qual tem se dedicado a produzir nos últimos dias. Além disso, para os primeiros dias de sua gestão, Moro pretende reestruturar e fortalecer as forças-tarefas da Polícia Federal que atuam na investigação de Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Em Brasília desde a tarde de segunda-feira, 31, Moro passou as últimas horas antes da posse do presidente Jair Bolsonaro no hotel, onde trabalhou no seu projeto de lei e definiu as primeiras medidas a serem tomadas após assumir a pasta. Saiu apenas na noite da virada para ir até a casa de familiares de um amigo delegado, na Asa Norte, onde foi servido rocambole de camarão e peixe.

A presença de Moro no café da manhã no hotel em que está hospedado, no Setor Hoteleiro Sul, causou comoção na terça-feira, 1º, entre os hóspedes e fez com que em poucos minutos um grupo de apoiadores chegasse à frente do local e começasse a gritar "Moro, eu te amo".

Uma das metas do ex-juiz da Lava Jato, agora como ministro responsável pela Polícia Federal, pelo Conselho de Controle de Atividade Financeira (Coaf) e pelo Departamento de Recuperação de Ativos (DRCI) é reunir no texto a ser enviado ao Congresso a proposta de consolidação da execução da pena após a sentença em segunda instância, hoje na dependência de uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), e uma sobre a prisão imediata em casos de crimes contra a vida julgados pelo Tribunal do Júri.

Com a aprovação da proposta sobre a prisão após condenação em segunda instância, Moro pretende acabar com a insegurança jurídica que na última semana do Judiciário resultou na decisão do ministro Marco Aurélio Mello suspendendo a prisão em segunda instância. No entendimento dele, foi a possibilidade de prisão após julgamento em órgão colegiada um dos fatores primordiais para o sucesso de grandes operações de combate à corrupção como a Lava Jato.

Sobre a prisão nos casos julgados em tribunais de júri, o objetivo é dar uma resposta para o exorbitante número de crimes contra a vida, como homicídios e latrocínios.

Outro ponto a ser abarcado pela proposta é regulamentação técnicas de investigação que visam possibilitar uma atuação mais eficiente das polícias judiciárias, a Federal e as estaduais, no combate ao crime organizados. Entre essas propostas estão a regulação da utilização de escuta ambiental e, também, de operações policiais disfarçadas.

No caso das duas propostas, o foco são as facções criminosas e organizações ligadas aos narcotráfico. Essas ferramentas de investigação, no entendimento do juiz, se somam à colaboração premiada e demais ferramentas já regulamentadas após a lei 12.850/2013, a lei de organização criminosa.



Guedes tem pronta MP que revê regras da Previdência e poupa R$ 50 bi
Autor
Adriano Roberto

Guedes tem pronta MP que revê regras da Previdência e poupa R$ 50 bi

A equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, já redigiu e está prestes a lançar uma MP (medida provisória) que busca fazer uma ampla revisão das regras da Previdência.

A proposta do novo governo é dar um passo moralizador em relação à legislação, corrigindo imprecisões e distorções na lei que abrem margem para concessões irregulares de benefícios e mesmo para a corrupção.

Trata-se de ajustes simples, mas com grande efeito financeiro, como impor mais rigor na liberação de benefícios da Previdência rural e estabelecer normas para reaver recursos liberados via decisões judiciais que mais tarde são cancelados no julgamento final da causa.

Cálculos preliminares indicam que essa reestruturação legal abriria espaço para fazer uma economia anual de ao menos R$ 50 bilhões ao longo de uma década.

Essa revisão normativa não depende de emendas constitucionais, mas é considerada radical. Quem teve acesso ao texto diz que as mudanças são mais ambiciosas que as apresentadas na reforma dos economistas Armínio Fraga e Paulo Tafner, que também propunha mudanças legais em normas não incluídas na Constituição.

O grande teste dessa estratégia tende a ocorrer no Congresso Nacional.

Diante das dificuldades para aprovar uma reforma da Previdência, o governo Dilma Rousseff também optou por fazer ajustes de normas via medida provisória, mas encontrou forte resistência no Congresso, que precisa aprovar as MPs para que virem lei.

Entre as propostas enviadas pela petista em 2015, por meio do então ministro da Fazenda, Joaquim Levy, estavam regras mais duras para concessão de pensão por morte e auxílio-doença. As mudanças foram barradas parcialmente pelo Legislativo, e o governo cedeu em vários pontos, reduzindo o alcance fiscal do pacote.

O governo Michel Temer tentou usar um MP para elevar a contribuição previdenciária dos servidores e foi impedido pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

O pente-fino legal seria um primeiro passo para a reforma. O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta terça-feira (1º) que a proposta de reforma da Previdência está "amadurecida" e que equipe de Guedes deve fazer uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro para apresentar a proposta.



Bolsonaro assina decreto que fixa salário mínimo em R$ 998
Autor
Adriano Roberto

Bolsonaro assina decreto que fixa salário mínimo em R$ 998

O presidente Jair Bolsonaro assinou decreto em que estabelece que o salário mínimo passará de R$ 954 para R$ 998 este ano. O valor já está em vigor a partir de hoje (1º). Foi o primeiro decreto assinado por Bolsonaro, que tomou posse nesta terça-feira.

O decreto foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União, assinado por Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes. 

O salário mínimo é usado como referência para os benefícios assistenciais e previdenciários. O mínimo é corrigido pela inflação do ano anterior, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e dos serviços produzidos no país) dos dois anos anteriores.

Uma medida provisória estabelece a organização básica dos órgãos da Presidência da República e dos ministérios. Em outro decreto, o governo altera a organização das entidades da administração pública federal indireta. Foram publicados também os decretos de nomeação dos novos ministros. Com informações da Agência Brasil.



Nova Mesa Diretora da Câmara de Olinda toma posse
Autor
Adriano Roberto

Nova Mesa Diretora da Câmara de Olinda toma posse

Eleita para o Biênio 2019/2020, a nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Olinda toma posse, na terça-feira (1º. de janeiro), às 16 horas, tendo como presidente reeleito o vereador Jorge Federal.

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Olinda ficou assim composta: Jorge Federal (presidente), Márcio Barbosa (primeiro vice-presidente), Vlademir Labanca (segundo vice-presidente), Algério Nossa Voz (primeiro secretário) e Saulo Holanda (segundo secretário).



Sassepe na berlinda para melhorar atendimento
Autor
Adriano Roberto

Sassepe na berlinda para melhorar atendimento

O Fórum dos Servidores Estaduais, coordenado pela CUT-PE, entregou no último dia 21 de dezembro ofício ao Governo do Estado, solicitando reunião para discutir o Sistema de Saúde. 

Ainda na quarta-feira passada (26/12), o Fórum esteve reunido para avaliar a situação do Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado de Pernambuco (Sassepe). 

Entre as reivindicações, o Fórum solicita que 30% do pagamento que os servidores fazem com o 13º seja destinado a investimento na rede própria do Sistema de Saúde.

A avaliação é que para sanar o SASSEPE, melhorar a qualidade do serviço e dar vida longa ao Sistema de Saúde é fundamental fortalecer o Hospital dos Servidores Estaduais (HSE), em Recife, bem como as clínicas e agências do interior do Estado. 

O Sistema atende a 178.000 vidas e um problema mais sério poderia afetar o SUS, com esse recebendo os usuários do SASSEPE mas sem receber as contribuições dos usuários



Bolsonaro é o novo presidente do Brasil
Autor
Adriano Roberto

Bolsonaro é o novo presidente do Brasil

Jair Bolsonaro (PSL) foi empossado como o novo presidente da República do Brasil. As solenidades de posse foram realizadas no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto, em Brasília, nesta terça-feira (1º).

Bolsonaro é o primeiro militar eleito presidente democraticamente e o 38º presidente eleito da história do país. Ele recebeu 57,8 milhões de votos no 2º turno.

Acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro, o militar deixou a Granja do Torto por volta das 14h20 desta terça-feira (1º). Eles foram saudados com gritos de "Mito" e "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos" (slogan da campanha) dos presentes.

Solenidade no Congresso Nacional

A sessão de posse de Bolsonaro foi aberta pouco depois das 15h pelo senador Eunício Oliveira, que preside a Casa. 

Em breve discurso - com cerca de 10 minutos, o novo presidente do Brasil agradeceu aos presentes e também a Deus, que, segundo ele por meio das mãos dos médicos da Santa Casa de Juiz de Fora (MG), "operaram um verdadeiro milagre" - em referência ao ataque a faca sofrido durante campanha.

Bolsonaro se disse fortalecido  e aproveitou para convocar os congressistas para reerguer o Brasil e resgatar a esperança dos brasileiros.

Temos uma oportunidade única de reconstruir o nosso país."

O presidente afirmou ter montado uma equipe técnica, "sem o tradicional viés político", que teria culminado em corrupção.

Sobre a economia, ele disse que o governo não vai gastar mais do que arrecada e que fará "reformas estruturantes".

Bolsonaro voltou a afirmar que "o Brasil será livre das amarras ideológicas". Ele também prometeu respeitar todas as religiões e as "tradições judaico-cristãs". O novo presidente falou ainda em "valorizar a família" e em "combater a ideologia de gênero".

Ao abordar o tema educação, o presidente reafirmou que as escolas vão preparar os jovens "para o mercado de trabalho e não para a militância política".

Em referência aos policias, ele prometeu valorizar os que "sacrificam suas vidas" para garantir a segurança de todos.

Bolsonaro concluiu o seu discurso com o seu famoso slogan de campanha: "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos".

Na sequência, Eunício também discursou. A sua fala teve um tom de despedida, visto que ele não se reelegeu para o cargo de senador.

Após a solenidade no Congresso, Bolsonaro seguiu para o gabinete de Eunício. Na saída, houve nova exibição do Hino Nacional e os tradicionais 21 tiros de canhão.

Bolsonaro ainda passou em revista às tropas do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, enquanto aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) sobrevoavam o local.

No Palácio do Planalto

Aos gritos de "Ô, o capitão chegou", vindos de eleitores que foram prestigiar a posse, o presidente seguiu com o cortejo para o Palácio do Planalto, onde recebeu a faixa presidencial das mãos do ex-presidente Michel Temer.

A primeira-dama fez um discurso de agradecimento em libras, o que foi considerado um dos principais diferenciais da solenidade. Michelle afirmou ser um privilégio poder trabalhar pelos que precisam e agradeceu a todos os brasileiros que oraram pelo seu marido após o atentado.

Em seguida, Bolsonaro iniciou um novo discurso, desta vez diretamente para os eleitores, afirmando que "servir a pátria como chefe do executivo" "não tem preço" e que "isso só está sendo possível porque Deus preservou a minha vida e vocês acreditaram em mim".

O presidente afirmou que hoje é "o dia em que o povo começou a se libertar do socialismo", do "gigantismo estatal" e do "politicamente correto". "Vamos colocar em prática o projeto que a maioria do povo brasileiro democraticamente escolheu", completou.

Temos uma grande nação para reconstruir, e isso faremos juntos. Os primeiros passos já foram dados. Graças a vocês eu fui eleito com a campanha mais barata da história."

Bolsonaro fala em combater "ideologias nefastas" e em "reestabelecer padrões éticos e morais", combater "ideologias nefastas" e "reestabelecer padrões éticos e morais".

O brasileiro pode e deve sonhar. Sonhar com uma vida melhor, com melhores condições de usufruir do fruto de seu trabalho pela meritocracia."

"Agradeço a Deus por estar vivo e a vocês que oraram por mim e por minha saúde nos momentos mais difíceis", disse Bolsonaro, que concluiu o discurso novamente com o slogan da campanha: "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos". Os presentes respondem com gritos de "mito".

Pouco antes de se retirar, Bolsonaro mostra uma bandeira do Brasil e diz: "Essa é a nossa bandeira, que jamais será vermelha. Só será vermelha se tiver o nosso sangue para manter ela verde e amarela", quando é fortemente aplaudido.

O que acontece depois

O presidente dirigiu-se para dentro do Palácio do Planalto, onde recebeu autoridades internacionais. Posteriormente, serão empossados os 22 ministros do primeiro escalão do novo governo.





Férias até dia 02 de janeiro de 2019


Férias até dia 02 de janeiro de 2019


Morre mãe de Dr. Valdir em Vertente do Lério

Bom dia Adriano. Faleceu ontem, em Vertente do Lério, aos 97 anos, Maria José de França (Dona Liquinha) a mãe do Deputado Estadual Dr Valdi. O sepultamento será às 12 horas em Vertente do Lério. Grato pela atenção:

Hermanes Sales,

assessor do Deputado Dr Valdi.



Chegou edital da UFPE, 166 vagas, R$ 4 mil, provas em agosto
Autor
Adriano Roberto

Chegou edital da UFPE, 166 vagas, R$ 4 mil, provas em agosto

Foi divulgado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 21 de dezembro, o edital do concurso da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). 

Os salários variam entre R$ 1.945,07 e R$ 4.180,66 para cargos de níveis médio, técnico e superior.

São ofertadas cerca de 166 vagas em funções técnico-administrativas em educação e outras áreas. 
Há oportunidades para candidatos de diversos níveis de escolaridade e em diversas áreas, sendo as lotações nas seguintes cidades: Recife, Vitória de Santo Antão e Caruaru.

O candidato que deseja participar do certame deve entrar no site da Universidade Federal de Pernambuco entre os dias 16 de abril a 19 de maio de 2019 e garantir a inscrição. 
O valor da taxa fixada é de R$ 78,00 para cargos de níveis médio e técnico e de R$ 125,00 para os de nível superior.

Cargos

Listamos o quantitativo de vagas com relação aos cargos que estão sendo ofertadas pelo concurso UFPE. 
Além disso, disponibilizamos o quadro com as devidas disciplinas para cada cargo e número de questões. Confira abaixo;

Nível Médio

Administrador de Edifícios (2)
Assistente em Administração (85)

Nível Técnico

Desenhista de Artes Gráficas (4)
Técnico de Laboratório/Biologia (5)
Técnico de Laboratório/Nutrição e Dietética (1)
Técnico de Laboratório/Química (4)
Técnico de Tecnologia da Informação/Sistemas (5)
Técnico em Artes Gráficas (1)
Técnico em Contabilidade (21)
Técnico em Eletrotécnica (1)
Técnico em Mecânica (1)
Técnico em Radiologia (1) 
Técnico em Enfermagem (2)

Nível Superior

Administrador (3)
Analista de Tecnologia da Informação/Sistemas (2)
Arquiteto e Urbanista (7)
Assistente Social (3)
Diretor de Produção (1)
Economista (2)
Engenheiro Ambiental (1)
Engenheiro Elétrico (1)
Engenheiro Mecânico (1)
Médico Cardiologista (2)
Médico Clínica Médica (1)
Médica Psiquiatra (2)
Químico (1)
Sanitarista (1)
Psicólogo (2)
Tecnólogo/Segurança Privada (1)
Biomédico (1)
Enfermeiro (1)

Etapas

O concurso será regido por apenas uma única etapa, sendo composta de prova objetiva a ser realizada no dia 18 de agosto. Já para o cargo de Assistente em Administração, 
*as provas mesmas serão aplicadas no dia 25 de agosto de 2019.*

Os locais de exames serão divulgados pela própria Universidade Federal de Pernambuco e publicados em breve no nosso site. Já os gabaritos preliminares serão informados nos dias 19 e 26 de agosto de 2019. informação de Stenberg Lima.