Blog do Adriano Roberto


Temer acerta medidas para aliviar dívidas dos Estados
Autor
Adriano Roberto

Temer acerta medidas para aliviar dívidas dos Estados

Em meio à crise política, o presidente Michel Temer segue na tentativa de emplacar uma agenda positiva do governo. Em jantar com governadores marcado para hoje no Palácio da Alvorada, deve anunciar a regulamentação do refinanciamento de R$ 59,5 bilhões em dívidas dos Estados com BNDES, cuja autorização foi aprovada no fim do ano passado, e a retomada do projeto que permite ao setor público vender créditos de dívidas parceladas por contribuintes – a chamada “securitização” –, que beneficiaria os caixas estaduais.

O gesto político ocorre no momento em que Temer busca manter unida a sua base aliada no Congresso para barrar a denúncia contra ele que será enviada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para depois tentar retomar a votação das reformas. Além dessa medida, há outras em negociação no governo.

Pelo menos uma dezena de governadores já confirmou presença no jantar. Também participam o presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE). A aprovação de uma resolução pelo Senado Federal é o passo que falta para que os Estados possam assinar os aditivos contratuais que permitem a renegociação da dívida com o BNDES.

A medida representa um fôlego de caixa significativo para os governos estaduais, que enfrentam dificuldades financeiras diante da queda de receitas. As condições do refinanciamento, oferecidas para dívidas contratadas até 31 de dezembro de 2015, foram definidas pelo Conselho Monetário Nacional (CNM) em fevereiro e incluem alongamento de 20 anos no prazo para o pagamento, além de carência de quatro anos. O Tesouro Nacional estima alívio de R$ 6 bilhões aos Estados em três anos, caso todos os contratos sejam renegociados.

Venda. O governo também quer discutir a retomada do projeto de securitização das dívidas de Estados. O Rio de Janeiro, com rombo de R$ 26 bilhões esperado para este ano, é um dos grandes defensores da medida. Cálculos preliminares da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) indicam que os Estados têm um potencial de venda de R$ 60,5 bilhões de dívidas que foram parceladas. Considerando um desconto estimado de 50%, a arrecadação dos governos estaduais poderia atingir R$ 30,2 bilhões.

Apesar da pauta econômica, um interlocutor do governo federal admite que o jantar é também uma busca de apoio por parte de Temer. Nos Estados, a avaliação é semelhante, já que não houve qualquer convocação dos secretários de Fazenda, que participaram ativamente das negociações sobre as dívidas e também atuam nas discussões sobre a securitização.



Temer acerta medidas para aliviar dívidas dos Estados
Autor
Adriano Roberto

Temer acerta medidas para aliviar dívidas dos Estados

Em meio à crise política, o presidente Michel Temer segue na tentativa de emplacar uma agenda positiva do governo. Em jantar com governadores marcado para hoje no Palácio da Alvorada, deve anunciar a regulamentação do refinanciamento de R$ 59,5 bilhões em dívidas dos Estados com BNDES, cuja autorização foi aprovada no fim do ano passado, e a retomada do projeto que permite ao setor público vender créditos de dívidas parceladas por contribuintes – a chamada “securitização” –, que beneficiaria os caixas estaduais.

O gesto político ocorre no momento em que Temer busca manter unida a sua base aliada no Congresso para barrar a denúncia contra ele que será enviada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para depois tentar retomar a votação das reformas. Além dessa medida, há outras em negociação no governo.

Pelo menos uma dezena de governadores já confirmou presença no jantar. Também participam o presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE). A aprovação de uma resolução pelo Senado Federal é o passo que falta para que os Estados possam assinar os aditivos contratuais que permitem a renegociação da dívida com o BNDES.

A medida representa um fôlego de caixa significativo para os governos estaduais, que enfrentam dificuldades financeiras diante da queda de receitas. As condições do refinanciamento, oferecidas para dívidas contratadas até 31 de dezembro de 2015, foram definidas pelo Conselho Monetário Nacional (CNM) em fevereiro e incluem alongamento de 20 anos no prazo para o pagamento, além de carência de quatro anos. O Tesouro Nacional estima alívio de R$ 6 bilhões aos Estados em três anos, caso todos os contratos sejam renegociados.

Venda. O governo também quer discutir a retomada do projeto de securitização das dívidas de Estados. O Rio de Janeiro, com rombo de R$ 26 bilhões esperado para este ano, é um dos grandes defensores da medida. Cálculos preliminares da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) indicam que os Estados têm um potencial de venda de R$ 60,5 bilhões de dívidas que foram parceladas. Considerando um desconto estimado de 50%, a arrecadação dos governos estaduais poderia atingir R$ 30,2 bilhões.

Apesar da pauta econômica, um interlocutor do governo federal admite que o jantar é também uma busca de apoio por parte de Temer. Nos Estados, a avaliação é semelhante, já que não houve qualquer convocação dos secretários de Fazenda, que participaram ativamente das negociações sobre as dívidas e também atuam nas discussões sobre a securitização.



Apple está focada na criação de carros autônomos
Autor
Adriano Roberto

Apple está focada na criação de carros autônomos

O CEO da Apple, Tim Cook, finalmente admitiu que a companhia está focada no desenvolvimento de pesquisas relacionadas com carros autônomos.

Em entrevista à Bloomberg, ao ser questionado sobre a importância do setor automobilístico para a empresa, o executivo disparou: "Estamos focados em sistemas autônomos".

"Nós meio que vemos isso como a mãe de todos os projetos em inteligência artificial", disse Cook. "É, provavelmente, um dos projetos de I. A. mais difíceis de se trabalhar", completou.

De acordo com o site 'Olhar Digital', a afirmação finalmente confirma teorias independentes de que a Apple estaria envolvida neste tipo de tecnologia. 



Eike Batista volta a ser julgado nesta terça
Autor
Adriano Roberto

Eike Batista volta a ser julgado nesta terça

O julgamento do empresário Eike Batista por uso de informação privilegiada na negociação de ações da empresa de construção naval OSX será retomado nesta terça-feira, 13. O resultado foi suspenso por um pedido de vista na sessão de 25 de abril. O relator do caso, Henrique Machado, votou pela condenação de Eike ao pagamento de multa de R$ 21 milhões e inabilitação por cinco anos.

O processo aberto em 2013 pela CVM deu origem a uma ação penal ainda em curso contra o empresário por crime contra o mercado de capitais. Eike foi preso em janeiro, mas pagou fiança de R$ 52 milhões e agora está em prisão domiciliar. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Boca fechada de jornalista pernambucano rende R$ 18 mil/mês

Se temos políticos corruptos derramando pelo ladrão, outras categorias de pessoas que trabalham com o ofício da política, mesmo que não seja política partidária, também estão acusados de corrupção. Os colegas jornalístas não escaparam da delação tsunâmica dos homens da JBS e pior; o nome de um pernambucano também foi citado.

O jornalista pernambucano Claudio Humberto, titular de uma das colunas políticas mais lidas no país, foi acusado de extorsão, por Ricardo Saud, diretor de relações institucionais da JBS-Friboi. Saud alega que ele próprio foi o alvo do jornalista, que em notas na sua coluna chamava-o de ‘o homem da mala de Joesley’.

Para cessar os ataques, fez um acerto de R$ 18 mil reais mensais, um verdadeiro ‘mensalão’ jornalístico da JBS para Claudio Humberto. Em seu depoimento na delação premiada, Saud demonstra uma notável mágoa pelo achaque sofrido e alega aos procuradores que a JBS está ‘tentando passar o Brasil a Limpo’.

Uma notável cara de pau desse inescrupuloso delator. Comprou o jornalista para que este não dissesse a verdade e agora vem com uma infundada ‘mágoa’ e com discurso de ‘passar o Brasil a limpo’. O brasil precisa ser limpo também desse tipo de profissional que está impregnado em todos os lugares ou você duvida que aqui mesmo, na imprensa de Pernambuco, alguém, neste momento, esteja na mesma situação? Com informações do Jornal da Cidade.

Abaixo, veja o vídeo da delação.



Planalto quer evitar que Temer seja denunciado em viagem
Autor
Adriano Roberto

Planalto quer evitar que Temer seja denunciado em viagem

O presidente Michel Temer tem uma viagem oficial para a Rússia na mesma semana em que o procurador-geral da República Rodrigo Janot deve apresentar uma denúncia contra ele. Para evitar que o peemedebista não possa se defender por estar distante e que a sua imagem fique ainda mais desgastada, Temer e seu auxiliares têm discutido estratégias jurídicas para evitar a denúncia.

Segundo publicado por Andréia Sadi no G1, o presidente cogita, inclusive, cancelar a viagem para as terras geladas agendada para o próximo dia 19 de junho. Neste sábado (10), a Polícia Federal (PF) pediu mais 10 dias de prazo para conclusão do inquérito sobre a delação da JBS e ainda aguarda autorização do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin.

Se a autorização for concedida, o prazo passaria para dia 23 de junho, quando Temer já estaria de volta. O presidente planeja embarcar para o Brasil no dia 22 de junho. Após a entrega do inquérito, a PGR tem até 5 dias para oferecer a denúncia, mas não precisa aguardar até o fim do prazo.



Canal do São Francisco rompe novamente em Custódia
Autor
Adriano Roberto

Canal do São Francisco rompe novamente em Custódia

Mais uma vez houve rompimento do Canal do São Francisco. Desta vez o desperdício de grande quantidade de água se deu em, Rio da Barra, Custódia. Um vídeo amador mostra o estrago causado pelo queda das paredes laterais do Canal. Veja abaixo:



Como o Facebook atuou nas inundações que assolaram o NE
Autor
Adriano Roberto

Como o Facebook atuou nas inundações que assolaram o NE

Filipe Vilicic da Veja - O Facebook tem amadurecido como empresa, como marca e como uma plataforma de comunicação; numa afirmação que logo (e é promessa) será tema deste blog. Um dos reflexos desse crescimento é a ferramenta de Safety Check, que estreou em 2014 durante um tufão nas Filipinas. De início, o recurso servia a um único propósito, para que pessoas pudessem, durante um desastre, avisar a amigos de que estavam bem. Em novembro de 2015, por exemplo, durante os ataques terroristas em Paris, 4 milhões de indivíduos utilizaram o artifício para informar de que estavam seguros.

Um ano depois, em 2016, o Facebook passou a permitir que a própria comunidade do site pudesse solicitar a ativação do Safety Check – antes só acionado pela companhia, quando esta julgava ser necessário –, em casos de calamidades.

Desde então, isso ocorreu 24 vezes. Além disso, em fevereiro deste ano, a ferramenta também ganhou uma atualização: passou a permitir que pessoas pedissem e solicitassem ajuda (confira no link). Em 28 de maio último, às 8h19 da manhã, o Safety Check foi acionado no Brasil.

O motivo de usuários brasileiros terem requisitado essa medida: as chuvas que assolaram o Nordeste, principalmente os estados de Alagoas e Pernambuco. Segundo informações passadas pelo Facebook com exclusividade a esta coluna, desde então foram registradas 8 000 solicitações de auxílio ou apoio, como pedidos de doação de alimentos.

Como exemplo, surgiram 2 200 ofertas de roupas para quem precisasse destas, 880 de comida e 360 de abrigo. PUBLICIDADE Disse Bruno Magrani, diretor de políticas públicas do Facebook Brasil: “Lamentamos pelos estragos causados pelas fortes chuvas no Nordeste. Estamos empenhados em contribuir para a construção de comunidades mais seguras e solidárias, e ficamos felizes que nossas ferramentas tenham ajudado neste momento difícil.”

Recursos como o Safety Check evidenciam o empenho de tornar o Facebook algo mais do que um espaço por onde se proliferam fofocas, fake news e lives de conteúdo violento ou, digamos, questionável (ou seja, em parte, um reflexo do lado maldoso do ser humano).

Um esforço que tem tido resultados entusiasmantes. Justamente por ser simplista demais reduzir essa plataforma, frequentada por quase 2 bilhões de pessoas, a fofocas, fake news e lives bizarros; assim como seria equivocado traduzi-la tão-somente por seu lado positivo, como pela forma como estreitou contatos entre indivíduos que, em muitas situações, nem se encontrariam nesse mundão se fosse por outra forma.

Contudo, também é preciso refletir sobre o Safety Check. Sim, ele é útil. Assim como (aí está o “porém”) exibe o risco de alimentar dois riscos: 1º a exposição da privacidade dos usuários, o que pode comprometer, inclusive, a segurança pessoal; 2º em casos de ataques terroristas, em especial, muitas vezes isso pode dar cartaz aos terroristas e, no fim, sem querer, promover o medo e o terror, pela internet.

O importante, como sempre, é trabalhar para que o aspecto positivo da novidade predomine, ao mesmo tempo em que os efeitos negativos sejam contidos.



URGENTE: JBS é alvo de ação da Polícia Federal
Autor
Adriano Roberto

URGENTE: JBS é alvo de ação da Polícia Federal

Três semanas após a homologação da delação premiada que empareda o governo Michel Temer, as empresas da família de Joesley Batista são alvo, na manhã desta sexta-feira, de uma operação da Polícia Federal que investiga ganhos que o grupo teve no mercado com informações privilegiadas sobre a colaboração firmada com a Procuradoria-Geral da República.

A ação foi deflagrada pouco depois das 10 horas da manhã. Os agentes estão na sede da JBS e também da FB Participações, outra empresa controlada pela família

Os investigadores apuram se os controladores do conglomerado obtiveram lucros com a compra de dólares e a venda de ações do grupo às vésperas de virem a público informações sobre a delação premiada.





Janot deve denunciar Temer como
Autor
Adriano Roberto

Janot deve denunciar Temer como "chefe de organização criminosa"

O presidente Michel Temer deve ser denunciado, nos próximos dias, como chefe de organização criminosa, pelo Ministério Público Federal. A informação tem circulado em Brasília e já leva aliados do peemedebista a se preparar.

A equipe do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de acordo com informações da coluna Painel, da Folha de São Paulo, tem se debruçado sobre o assunto e busca construir um material consistente.

Já os advogados do presidente devem alegar “violência processual” do procurador, inclusive criticando seu “rito” e sua “pressa”.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) ainda não se pronunciou sobre o assunto, mas a expectativa nos bastidores é de que Janot apresente a primeira denúncia já na próxima semana.