Blog do Adriano Roberto




Marina vem a Pernambuco avalisar Pastor Jairinho para o Senado
Autor
Adriano Roberto

Marina vem a Pernambuco avalisar Pastor Jairinho para o Senado

A presidenciável Marina Silva vem a Pernambuco, no próximo dia 14, para lançar a pré-candidatura ao Senado do Pastor Jairinho. Antes dissi, no próximo dia 12, terça-feira, Jairinho estará no meu programa Ponto de Vista para uma entrevista especial.

O evento será realizado no Hotel Jangadeiro em Boa Viagem, às 18h. O evento do cantor gospel e pré-candidato ao Senado tem confirmado a presença da militância da Rede Sustentabilidade PE e dos seus pré-candidatos a deputado estadual e federal e governo do estado.

O Segmento evangélico e as suas principais lideranças estão se mobilizando para fazer presença maciça no Lançamento.
 
A pré-candidata a presidente Marina Silva estará falando sobre os projetos para Pernambuco e para o país e compartilhando com todos os projetos que o pré-candidato a senador Pastor Jairinho tem para Pernambuco num bate-papo bem descontraído, democrático e inovador. 
 
O evento terá a abertura do convidado Palestrante e Coaching Jairo Martiniano com o tema: Como Identificar os novos Líderes. Com informa,cões do blog do Elielson.


Sebastião preside seção na Câmara em homenagem a Infraero
Autor
Adriano Roberto

Sebastião preside seção na Câmara em homenagem a Infraero

A Câmara dos Deputados realizou uma Sessão Solene, nesta sexta-feira (8), em homenagem aos 45 anos da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária – Infraero.  O requerimento foi apresentado pelo deputado federal Sebastião Oliveira, que presidiu a solenidade.
 
No seu discurso, o parlamentar destacou a historia da estatal, considerada uma das principais do país. Oliveira aproveitou a ocasião para agradecer ao  presidente da empresa Antônio Claret pelo atendimento aos seus pleitos em prol do Estado.
 
Dentre as solicitações atendidas, Sebastião Oliveira ressaltou a mudança de categoria do Aeroporto de Petrolina, que passou a receber aviões com maior capacidade de transportar cargas. “Essa iniciativa resultou no grande incremento na exportação de frutas, culminado num acréscimo de R$ 30 milhões de dólares anuais para a economia da região”, destacou. 
 
Outra questão articulada pelo presidente estadual do Partido da República (PR) foi a formalização do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) possibilitando que o Aeroporto Internacional do Recife continue expandido suas conexões internacionais. “Pernambuco dialoga com várias partes do mundo por meio da aviação comercial. O nosso aeroporto está entre os melhores do mundo e o presidente Claret entendeu a importância do equipamento para o desenvolvimento do nosso estado”, explicou o deputado federal.
 
Por fim, Oliveira falou da Estação Meteorológica de Superfície Automática (EMSA) que foi cedida sem custo pela Infraero e já está sendo instalada no Aeroporto de Serra Talhada. “É a primeira do Brasil. Com isso, estamos atendendo a exigência da Azul de que suas aeronaves sejam orientadas por instrumentos”, concluiu Sebastião Oliveira. “São décadas transportando passageiros e cargas com bastante excelência. A Infraero é um orgulho para o Brasil”, finalizou.


Temer cede a caminhoneiros e revoga nova tabela do frete
Autor
Adriano Roberto

Temer cede a caminhoneiros e revoga nova tabela do frete

O presidente Michel Temer cedeu novamente aos caminhoneiros autônomos e recuou da adoção de nova tabela mínima do frete anunciada nesta quinta-feira (7).

Em reunião com representantes da categoria, no início da noite, o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, informou que a medida será revogada e marcou novo encontro nesta sexta-feira (8) para discutir a formulação de uma nova tabela.

"Essa nova resolução trouxe algumas questões que precisam ser revistas e foi uma resolução do Ministério dos Transportes que a gente torne essa nova resolução sem efeito", disse o ministro, em vídeo divulgado pelas entidades dos caminhoneiros.

O governo federal cedeu à pressão da categoria contra o fato de a nova tabela ter trazido, em média, uma redução de 20% do preço médio em relação primeira tabela, uma reivindicação que vinha sendo feita sobretudo pelo setor do agronegócio.

Além dos caminhoneiros, o setor privado tem se articulado para derrubar a tabela de preço mínimo no Congresso Nacional ou no Poder Judiciário. As empresas de transporte não querem pagar a conta de um expressivo aumento do custo do frete rodoviário.

A ideia do Palácio do Planalto, ao publicar uma nova versão da medida nesta quinta-feira (7), era acalmar tanto o setor produtivo quanto o setor de transporte para que uma nova medida fosse formulada, com a participação de ambos, em audiências públicas convocadas pela ANTT (Agência Nacional dos Transportes Terrestres).

A estratégia, contudo, não teve êxito e acabou criando uma nova crise governamental. A CNI (Confederação Nacional da Indústria) e a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) passaram a estudar ações judiciais contra a medida. Com informações da Folhapress.



Aldo Rebelo, pré-candidato à presidência pelo Solidariedade, visita o Recife
Autor
Adriano Roberto

Aldo Rebelo, pré-candidato à presidência pelo Solidariedade, visita o Recife

O deputado estadual Alberto Feitosa, o deputado federal Augusto Coutinho e o vereador Rodrigo Coutinho receberam em Recife, nesta quinta-feira (06) o pré-candidato a presidência da República pelo Solidariedade, Aldo Rebelo.

O ex-ministro da Defesa visitou o Monte dos Guararapes, onde foi recebido pelo general Duizit Brito, Comandante da 7° Região Militar, e pelo coronel Moura, do Comando Militar do Nordeste.

Aldo Rebelo fica na cidade até a sexta-feira (07), quando almoça com o governador Paulo Câmara e cumpre agenda em Moreno e Olinda.



Clarissa Tercio da Novas de Paz: evangélica sim, mas também muito popular
Autor
Adriano Roberto

Clarissa Tercio da Novas de Paz: evangélica sim, mas também muito popular

Que a força do eleitorado evangélico é significativa em Pernambuco, isso ninguém questiona. Nas últimas eleições os campeões das urnas foram representantes do segmento. Na área da comunicação, os evangélicos também se destacam com “estratosféricos” índices de popularidade.

As rádios com programação religiosa evangélica são um exemplo disso, duas delas estão entre as quatro primeiras colocadas nas pesquisas de aferição de audiência entre todas as emissoras que operam em FM na Região Metropolitana do Recife. Uma delas é a “Novas de Paz”, que retransmite em Rede sua programação com cinco emissoras no Estado.

A conservadora apresentadora do “Programa Manhã de Paz”, Clarissa Tercio é campeã no quesito popularidade. Na Novas de Paz, seu horário é o mais ouvido alcançando pico de quase 100 mil ouvintes por minuto. Suas postagens e transmissões nas redes sociais alcançam números dignos das mais importantes “celebridades”.

Um exemplo disso foi sua postagem “Os extremos da ideologia de gênero” que atingiu mais de 800 mil visualizações no Facebook. Clarissa coordena a “Jornada em Defesa da Família” e visita bairros, cidades levando conscientização e orientação sobre os males de projetos que afrontam crianças, adolescentes e jovens.

Filha do pastor Francisco Tércio, presidente da Igreja Assembleia de Deus (Ministério Novas de Paz), Clarissa foi indicada oficialmente pelos obreiros para representar a denominação como pré-candidata a uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco nas próximas eleições de outubro.

Sua ficha de filiação ao PSC foi, inclusive, abonada pelo presidente da legenda no Estado, o deputado André Ferreira. A conservadora Clarissa Tércio quer surpreender nas urnas e pretende fazer muito mais como Deputada Estadual, propondo projetos, combatendo absurdos e fiscalizando iniciativas que afrontem a família pernambucana.



MPF denuncia 62 pessoas envolvidas com doleiros da Lava Jato
Autor
Adriano Roberto

MPF denuncia 62 pessoas envolvidas com doleiros da Lava Jato

O Ministério Público Federal denunciou, na noite desta quarta-feira (6), 62 pessoas sob acusação de lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa, em decorrência da investigação da Operação Câmbio, Desligo, deflagrada há um mês.

A investigação levou à prisão dezenas de doleiros. O principal deles, Dario Messer, continua foragido, após ser delatado por seus dois funcionários, Vinicius Claret e Cláudio Barbosa.

A denúncia, de 816 páginas, tem entre os acusados o ex-governador Sérgio Cabral (MDB), alvo da 25ª denúncia do MPF.

Claret e Barbosa detalharam em delação premiada como funcionava um sistema que reunia doleiros de todo o país que movimentou cerca de US$ 1,6 bilhão (o equivalente a cerca de R$ 5,3 bilhões) envolvendo mais de 3.000 offshores em 52 países.

Conhecido como Juca Bala, Claret já foi citado por executivos da Odebrecht, o corretor Lúcio Funaro e os doleiros Renato e Marcelo Chebar, que atuavam para o ex-governador Sérgio Cabral (MDB).

Claret operava tanto contas no exterior como era capaz de fornecer dinheiro vivo para corruptores interessados em pagar as quantias a agentes públicos. Concentrava, assim, as duas pontas da operação dólar-cabo, usada para despistar as autoridades financeiras do país.

Embora atuassem no Brasil, os dois operavam o complexo sistema de dólar-cabo desde o Uruguai. Grande parte dos recursos em espécie eram movimentados pela transportadora de valores Transexpert, já mencionada na delação do operador Álvaro Novis.

Claret e Barbosa foram presos em março do ano passado no Uruguai em decorrência da Operação Eficiência, feita com base na delação dos irmãos Chebar e que prendeu o empresário Eike Batista. Claret foi citado como tendo auxiliado na evasão de US$ 85,4 milhões de Cabral (equivalente a mais de R$ 282,4 milhões) -o que agora revela-se ser apenas uma fração de toda operação da dupla.

Assim como a Odebrecht, o sistema "bankdrop" dos doleiros identificava os responsáveis pelas transações por apelidos. Os irmãos Chebar, por exemplo, receberam o nome de "Curió".

Os Chebar procuraram a ajuda de Juca Bala após o volume de propina do ex-governador aumentar consideravelmente após ele assumir o estado. Em razão de sua prisão ter ocorrido numa operação da Lava Jato do Rio, ele acabou identificado como "doleiro do Cabral", embora os dois tenham se conhecido de fato apenas na cadeia pública José Frederico Marques, em Benfica, para onde foi levado em janeiro após ser extraditado do Uruguai.

DOLEIROS DOS DOLEIROS

Claret e Barbosa são descritos como "doleiros dos doleiros" pelo Ministério Público Federal. Os dois operavam o dólar-cabo desde a década de 1980, em agências de turismo da família Messer no Rio de Janeiro.

Em 2003, os dois decidem se mudar para o Uruguai a fim de fugir do monitoramento de autoridades financeiras do Brasil. No ano seguinte, eles "herdam" as operações da família Matalon, doleiros que atuavam em São Paulo.

Ao acumular as duas maiores praças do mercado de câmbio, passam a ser considerados os "doleiros dos doleiros". Isso porque quase nenhum operador do mercado tem a capacidade de operar as duas pontas do dólar-cabo sem o auxílio de outros doleiros.

Embora fossem os grandes operadores, Claret e Barbosa recebiam uma pequena participação do lucro dos negócios. A maior cota era destinada a Dario Messer, que dava respaldo às operações com seu nome e captava clientes. Com informações da Folhapress.



Patriota e pernambucano esse ferroviário busca representar seu povo há mais de 30 anos
Autor
Adriano Roberto

Patriota e pernambucano esse ferroviário busca representar seu povo há mais de 30 anos

Gonzaga Patriota foi eleito a primeira vez em 1983 quando ganhou do eleitor pernambucano uma cadeira na Assembleia Legislativa de PE. De lá, esse o funcionário da Rede Ferroviária Federal, alçou voos mais altos rumo a Câmara Federal de onde o povo de Pernambuco nunca mais o tirou. 

Foi deputado federal (Constituinte), 1987/1991 pelo PMDB, depois voltou àquela casa em 1995/até hoje, agora pelo PSB. Quando se analisa a tragetória política de Gonzaga se sabe porque ele não aparece em qualquer lista dos que estão respondendo processos judiciais. 

A independência sempre marcou o jeito de fazer política deste sertanejo de Sertânia. Patriota também não está na lista de apoio de nenhum prefeito ou vereador, mas figura entre os preferidos de muitos desses detentores de mandatos executivos e legislativos dos municípios, pelo compromisso que firma quando promete ajuda.

Mas essa independência se estende também as suas posições políticas nos debates mais relevantes do cenário nacional. Todas as votações de Gonzaga constam no site da Câmara veja aqui. “Sou independente e não tenho cargos indicados. Não tenho ninguém na gerência do INSS ou em qualquer outro posto que possa me deixar com rabo preso”, ressaltou Patriota.

Só para lembrar o posicionamento firme do deputado, dos votos de formiguinha, separamos um vídeo da época do Plano Collor onde Patriota já se posicionava contra o assalto as poupanças do povo brasileiro que o então presidente e atual senador por Alagoas, Fernando Collor, junto com sua ministra da economia, Zelia Cardoso promoveram no confisco. Vale a pena ver de novo:

 



Patriota e pernambucano esse ferroviário busca representar seu povo há mais de 30 anos
Autor
Adriano Roberto

Patriota e pernambucano esse ferroviário busca representar seu povo há mais de 30 anos

Gonzaga Patriota foi eleito a primeira vez em 1983 quando ganhou do eleitor pernamnbucano uma cadeira na Assembleia Legislativa de PE. De lá, esse o funcionário da Rede Ferroviária Federal alçou voos mais altos rumo a Câmara Federal de onde o povo de Pernambuco nunca mais o tirou. 

Foi deputado federal (Constituinte), 1987/1991 pelo PMDB, depois voltou àquela casa em 1995/até hoe, agora pelo PSB. Quando se analisa a tragetória política de Gonzaga se sabe porque ele não aparece em qualquer lista dos que estão respondendo processos judiciais. 

A independência sempre marcou o jeito de fazer política deste sertanejo de Sertânia. Patriota também não está na lista de apoio de nenhum prefeito ou vereador, mas figura entre os preferidos de muitos desses detentores de mandatos executivos e legislativos dos municípios, pelo compromisso que firma quando promete ajuda.

Mas essa independência se estende também as suas posições políticas nos debates mais relevantes do cenário nacional. Todas as votações de Gonzga constam no site da Câmara veja aqui“Sou independente e não tenho cargos indicados. Não tenho ninguém na gerência do INSS ou em qualquer outro posto que possa me deixar com rabo preso”, ressaltou Patriota.

Só para lembrar o posicionamento firme do deputado dos votos de formiguinha, separamos um vídeo da época do Plano Collor onde Patriota já se posicionava contra o assalto as poupanças do povo brasileiro que o então presidente e atual senador por Alagoas, Fernando Collor junto com sua ministra da economia, Zelia Cardoso. Vale a pena ver de novo:

 



Policiais de Civis de Pernambuco denunciam descaso com delegacias e apontam soluções
Autor
Adriano Roberto

Policiais de Civis de Pernambuco denunciam descaso com delegacias e apontam soluções

Descaso, falta de estrutura básica, efetivo defasado, delegacias sucateadas e falta de investimento. Este é o panorama da Segurança Pública no Estado apresentado pela diretoria do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco, na manhã desta quarta-feira (06). O SINPOL expôs o segundo dossiê sobre a realidade da PCPE.

O primeiro deles foi apresentado três anos atrás, no início da atual gestão à frente do sindicato. Para a elaboração do segundo documento, os membros da diretoria percorreram delegacias e institutos médicos, criminalistas e de identificação por todas as regiões do Estado. De acordo com o SINPOL, a falta de estrutura na Polícia Civil é hoje um dos principais problemas que impulsiona a violência em Pernambuco.

“O que vimos é que quase nada mudou na política de segurança pública do estado. A falta de prioridade, diálogo e investimentos continuam imperando nesse campo. A Polícia Civil continua sucateada, sofrendo por falta de efetivo e quem tem pago essa conta é a população, já que cerca de 80% dos crimes cometidos em Pernambuco não são investigados por falta de condições e efetivo”, destacou o presidente do SINPOL, Áureo Cisneiros.

Durante os nove meses de visitações, os diretores do SINPOL constataram in loco o total descaso com o atendimento ao cidadão, com a investigação e com a solução de crimes, trabalho essencial para as garantias civis e o Estado Democrático de Direito, realizados com exclusividade pela Polícia Civil.

Para se ter uma ideia, cerca de 80% das delegacias do estado estão fechando em horário comercial, finais de semana e feriados. Além disso, 40% dos imóveis que abrigam delegacias são alugados e não dispõe de adequação necessária para o funcionamento de uma unidade policial.

O dossiê aponta os seguintes pontos como sendo os principais problemas da PCPE: falta de efetivo; sucateamento e despadronização estrutural; falta de transparência dos números e nas ações de combate à criminalidade; falta de formação continuada do trabalhador; falta de uma formação cidadã, humanista e agregadora do servidor com as comunidades; burocracia excessiva; polícia de castas, que não valoriza o trabalhador da ponta, da base; desestímulo dos trabalhadores pela falta de perspectiva na carreira e pelo desenfreado assédio moral institucionalizado e, por último a falta de delegacias especializadas espalhadas por todo o Estado;

Vale destacar que o ano de 2017 foi um marco na segurança pública de Pernambuco. Foram 5.426 homicídios, o maior quantitativo da história. Além dos homicídios, houve aumento no número de assaltos a ônibus. Segundo a SDS, foram 1.129 e segundo o Sindicato dos Rodoviários, foram 3.025 assaltos a ônibus.

Hoje, Pernambuco é o sexto estado mais violento do país, com uma média de 47,3 assassinatos a cada 100 mil pessoas, superando unidades federativas bem maiores ou mais populosas, como São Paulo, com uma média de 10,9% assassinatos a cada 100 mil habitantes; Rio de Janeiro, com uma média de 36,4%; e a Bahia, com 46,9%.

O que o dossiê propõe para melhorar a segurança pública:

- Concursos regulares e formação continuada, focada no contexto social em que o trabalhador estará inserido;

- Lei Orgânica da Polícia Civil, modernizando seus procedimentos, seus mecanismos de atuação e controle, dando-lhe mais autonomia e capacidade de atuação;

- Investimentos estruturais proporcionais ao PIB estadual;

- Viaturas eminentemente descaracterizadas, próprias para investigação;

- Fornecimentos de armamento e materiais de proteção individual para todos os trabalhadores;

- Padronização de todas as Delegacias, Unidades e Institutos da Polícia Civil para que sejam projetadas e sirvam adequadamente a investigações e atendimento à população;

- Implementação de especializadas por todas as regiões do Estado;

- Despolitização da Corregedoria;

- Assistência médica e psicológica ao trabalhador policial civil em todo o Estado;

- Instauração efetiva do Conselho de Segurança Pública, fazendo parte toda a sociedade, inclusive, as entidades de classe;

Com essas medidas o sindicato espera, além de garantir condições mínimas e dignas de trabalho para o Policial Civil de Pernambuco, aumentar a atuação da PCPE com a realização sistemática de concursos públicos para recompletamento de quadro e, acima de tudo, solucionar a insegurança em que se encontra o estado.

“Nós não podemos mais aceitar esse desgoverno. Pernambuco passou 10 anos sem realizar concurso público para Polícia Civil. O último, em 2016, não convocou todos os aprovados, mas a necessidade de efetivo é gritante. As delegacias, em sua maioria, estão funcionando em horário comercial, fechando nos finais de semana e feriados.

A capacidade investigativa da Polícia Civil é impactada diretamente pelo efetivo tão defasado. Existe uma sobrecarga. São poucos policiais, delegacias e demais unidades de polícia sucateadas, para uma demanda social urgente”, indagou, Cisneiros.

A diretoria do SINPOL encaminhou uma cópia do dossiê para o Governado Paulo Câmara e espera que as sugestões sejam aceitas e colocadas em prática para que haja uma mudança no quadro caótico em que se encontra a Segurança Pública de Pernambuco.



Negociação com caminhoneiros deflagra nova crise
Autor
Adriano Roberto

Negociação com caminhoneiros deflagra nova crise

A negociação com os caminhoneiros colocou o governo de Michel Temer sob nova pressão. As promessas feitas não só se mostraram difíceis de serem cumpridas como abriram várias frentes de crises, num efeito bola de neve que atinge ministérios, agências reguladoras, órgãos de controle, estados e empresários dos mais diversos setores.

No setor empresarial, por exemplo, há forte reação contra a tabela de frete mínimo. Nesta quarta (6), a Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) avisou que vai recorrer à Justiça, por meio de um mandado de segurança, para impedir o tabelamento do frete rodoviário.

"Independentemente de qualquer coisa, por princípios, somos contra o tabelamento de preços, que fere a lei de competitividade do mercado. Estamos retornando a um país de 30 anos atrás", afirmou José Ricardo Roriz Coelho, que assumiu nesta quarta-feira (6) a presidência da Fiesp.

"Centenas de empresas estão vindo até nós para falar que com o tabelamento haverá aumento de 30% até 150% no preço final dos produtos e quem vai acabar arcando com isso será o consumidor. O governo quer resolver um problema e está criando outros", afirmou. Segundo Wilson Mello, presidente do conselho diretor da Abia (Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação), a tabela levará a um aumento de até 80% no preço da logística para o setor

Porém, como a economia está desaquecida, ele diz ainda não ser possível saber se o aumento de custos impactará os consumidores no caso do segmento. "Em vez de inflação, pode ser que se tenha perda de lucratividade e competitividade do setor", diz. Fernando Valente Pimentel, presidente da Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil), diz que o tabelamento do frete irá prolongar efeitos negativos da paralisação na indústria de confecção.

"Isso é anacrônico, inconstitucional, fere a livre iniciativa e não vai dar certo. Gera menos investimento, menos produção, menos oferta. No final, o caminhão vai ficar parado no meio do caminho." O presidente da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), João Martins da Silva Junior, disse que a entidade pretende acionar a Justiça se não houver uma mudança na tabela, que ele classifica como "retrocesso".

A pedido do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, que recebeu as reclamações de produtores agropecuários, a tabela será revista. "A ANTT [Agência Nacional de Transporte Terrestre]vai buscar fazer uma readequação dos valores. Ninguém está querendo fugir do acordo que o presidente fez. Agora, que ele seja justo para todos os lados", disse Maggi no anúncio do Plano Safra nesta quarta-feira (6). O ministro dos Transportes, Valter Casimiro, disse que a nova tabela será divulgada nesta quinta (7) e que o assunto ficará sob consulta pública.



Ministério Público Federal pede impedimento de Gilmar Mendes
Autor
Adriano Roberto

Ministério Público Federal pede impedimento de Gilmar Mendes

Do Antagonista - O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro acaba de protocolar novo pedido de impedimento de Gilmar Mendes, desta vez nas ações que envolvem o empresário Orlando Diniz, presidente afastado da Fecomércio do Rio. Réu por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa, Diniz foi beneficiado dias atrás por um habeas corpus da lavra do ministro.

Para os procuradores da força-tarefa e do Núcleo Criminal de Combate à Corrupção do MPF na 2ª Região (RJ/ES), as investigações sobre Diniz “revelaram fatos que evidenciam a eventual suspeição ou impedimento do ministro do STF”.

“Até ser preso por ordem da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro em fevereiro, Diniz presidia havia cerca de 20 anos a Fecomércio-RJ, cuja quebra de sigilo fiscal revelou um pagamento de R$ 50 mil, feito em 2016, em benefício do Instituto Brasiliense de Direito Público, que tem o ministro como um dos sócios-fundadores. O instituto controlado por sua família teve uma série de eventos apoiados por patrocínio da Federação presidida por Diniz. Dos eventos do IDP de 2015 até 2017, pelo menos três foram patrocinados pela Fecomércio-RJ: um no Rio de Janeiro e dois em Lisboa”, alegam os procuradores.

O MPF lembra que Mendes se declarou impedido em processo sobre questões patrimoniais com a Fecomércio como parte e o escritório de advocacia Sérgio Bermudes como representante legal.

Em reportagem de jornal, o ministro informou por nota que se declarava impedido para atuar em três casos onde havia a atuação daquele escritório de advocacia.

“A propósito, parece absolutamente despropositado e irrazoável que uma mesma causa de impedimento de magistrado incida em processo de natureza civil, em que questões de ordem patrimonial são objeto da lide, e não se aplique em processo de natureza penal, onde em jogo o direito fundamental à liberdade e o dever do Estado na repressão a crimes graves, na espécie a corrupção e a lavagem de dinheiro. Em outras palavras, não se reconhece na ordem jurídica pátria a figura do juiz ‘relativamente impedido'”, afirmam os procuradores.