Blog do Adriano Roberto


OMS nega que tenha incentivado lockdown nacional
Autor
Adriano Roberto

OMS nega que tenha incentivado lockdown nacional

Comentários recentes do enviado especial da Organização Mundial da Saúde (OMS) para lidar com a COVID-19 levantaram questões sobre a legitimidade dos lockdowns para impedir a disseminação do coronavírus. A declaração do diretor da OMS, preocupado com o crescimento da pobreza no mundo, em que afirma categoricamente que a entidade não defende lockdown como o principal meio de controle desse vírus, levou a revista Veja a questionar a instituição

“Nós, na Organização Mundial da Saúde, não defendemos os bloqueios como o principal meio de controle desse vírus”, disse ao site americano The Spectator.

Esta declaração do Dr. David Nabarro também causou dúvidas sobre se a OMS mudou seu conselho, meses depois que a pandemia foi declarada.

Diante da declaração, a revista Veja enviou um e-mail à OMS que recebeu a seguinte carta:

A OMS nunca advogou por lockdowns nacionais como principal meio de controle do vírus. O Dr. Nabarro estava repetindo nosso conselho aos governos para “fazer de tudo”.

Governos, empregadores, comunidades devem aplicar um pacote de medidas comprovadas de saúde pública que sabemos serem eficazes para prevenir a transmissão, incluindo higiene das mãos e respiratória, distanciamento físico, uso de máscara, ficar em casa se estiver doente, etc. Sistemas para teste, isolamento, rastreamento e quarentena, etc.

As medidas para controlar a COVID-19 dependem das avaliações de risco locais. As restrições de movimento podem estar entre uma série de medidas que os governos podem considerar em certas áreas geográficas.

Se os aglomerados e surtos aparecerem, eles devem ser retardados e então suprimidos prontamente e é por isso que restrições de movimento localizadas e direcionadas, implementadas em conjunto por atores locais e autoridades nacionais, são necessárias de tempos em tempos.

Mike Ryan (diretor-executivo do Programa de Emergência em Saúde da OMS) em 9 de outubro: “Nós sabemos o que precisamos fazer e sabemos que é uma combinação de todas essas coisas e, nenhuma dessas coisas por si só aborda todos os problemas que enfrentamos nesta pandemia. Temos as ferramentas de que dispomos, vimos como essas ferramentas podem ser eficazes se aplicadas nas proporções certas, no momento certo e da forma certa a nível do país. Não se trata de estabelecer lockdowns. O que os governos estão tentando fazer é não fazer lockdowns. O que os governos estão tentando fazer é quebrar as cadeias de transmissão. Eles estão tentando impedir que a doença passe de pessoa para pessoa e, em certas circunstâncias, tentar fazer isso se torna extremamente difícil quando há transmissão intensa na comunidade. O que dissemos desde o início desta pandemia é que precisamos evitar situações em que a doença possa se espalhar de forma desenfreada no nível da comunidade.”

Maria Von Kerkhove (epidemiologista do Programa de Emergência em Saúde da OMS) em 9 de outubro: “O desafio é a implementação. Isso é difícil e continuará a ser difícil, pois estamos tentando encontrar esse equilíbrio para abrir novamente nossas sociedades. Precisamos apoiar os governos, precisamos apoiar as comunidades e precisamos apoiar os indivíduos porque estamos absolutamente todos juntos nisso”.



Maia espera votar até o fim do ano a PEC da prisão em 2ª instância
Autor
Adriano Roberto

Maia espera votar até o fim do ano a PEC da prisão em 2ª instância

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta sexta-feira (9) que espera votar até o fim do ano a proposta de emenda à Constituição que permite o cumprimento da pena após condenação em segunda instância (PEC 199/19).

Maia não especificou data para o retorno da comissão especial que analisa o tema, mas disse que o assunto entrará na pauta da Câmara nos próximos meses, após concluída a análise de propostas consideradas prioritárias – como a PEC Emergencial e a reforma tributária – e depois que tiverem diminuído os casos de Covid-19 no País.

Os trabalhos da comissão da PEC da prisão em segunda instância estão suspensos em razão da pandemia causada pelo coronavírus. O colegiado é presidido pelo deputado Marcelo Ramos (PL-AM) e tem como relator o deputado Fábio Trad (PSD-MS).

A proposta

A PEC permite a prisão de pessoas condenadas após o julgamento em segunda instância, ao definir que o trânsito em julgado de uma ação se dá nessa fase. O julgamento em segunda instância é realizado por tribunais, que revisam casos julgados por juízes de primeira instância. Na Justiça comum, a segunda instância são os tribunais de Justiça dos estados. Na Justiça federal, são os cinco tribunais regionais federais (TRFs).

Atualmente, a possibilidade de recursos se estende ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF), o que pode retardar o trânsito em julgado em muitos anos.

As declarações de Maia sobre a PEC da prisão em segunda instância foram feitas em entrevista ao site O Antagonista.

Fonte: Agência Câmara de Notícias



Conheça as medidas de segurança contra covid-19 para o dia da votação
Autor
Adriano Roberto

Conheça as medidas de segurança contra covid-19 para o dia da votação

Por causa da pandemia do novo coronavírus, uma série de protocolos de segurança serão adotados pela Justiça Eleitoral no primeiro e no segundo turno das eleições municipais nos dias 15 e 29 de novembro, respectivamente. Elaborado por uma equipe de especialistas dos hospitais Albert Einstein, Sírio-Libanês e por técnicos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), consultados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o plano de segurança sanitária para as eleições municipais de 2020 é focado em duas frentes: mesários e eleitor. Cartazes ilustrativos com o passo a passo da votação serão fixados nas seções eleitorais.

Eleitores

Horário de votação ampliado: 7h da manhã até as 17h. Até as 10h será preferencial para maiores de 60 anos. Máscaras: uso obrigatório, sem ela o eleitor não poderá votar. Caso seja necessário, o mesário pode pedir que o eleitor se afaste e abaixe a máscara para conferir a foto na identidade. Distanciamento: será exigido mínimo de 1 metro. Comida: não será permitido comer ou beber nada na fila de espera. A medida é para evitar que as pessoas tirem a máscara.

Álcool em gel: será distribuído em todas seções para que os eleitores limpem as mãos antes e depois da votação.

Caneta: o TSE recomenda que os eleitores levem sua própria caneta para assinar presença no caderno de votação.

Mesários receberão máscaras e terão que trocá-las a cada quatro horas, usar álcool e uma proteção facial de acetato (face shield), que terá de ser usada o tempo todo.

Covid-19

Tanto mesários quanto eleitores que estiverem com sintomas da covid-19 no dia do pleito não devem comparecer ao local de votação. Posteriormente, a ausência poderá ser justificada na Justiça Eleitoral.



Morre ex-vereador de Granito Antonio Sales. Maurílio Sampaio lamenta sua partida
Autor
Adriano Roberto

Morre ex-vereador de Granito Antonio Sales. Maurílio Sampaio lamenta sua partida

“Um legado construído com serviço prestado e cuidando do povo, um amigo que partiu e que deixou sua história e um legado de amizade”, disse Maurílio.

O ex-vereador de Granito-PE, Antonio Sales faleceu neste domingo (11), vítima de parada cardíaca.

Antônio Sales, vereador de 4 mandatos, ocupou a cadeira por 20 anos na Câmara Municipal de Granito, quando saiu da política deixou seu legado e herdado pelo filho Netinho (João Gutemberg) que ocupou com muita responsabilidade, respeito e a mesma firmeza do seu pai a cadeira por ele ocupada, Netinho também foi vice prefeito.

“Eu, Maurílio Sampaio e minha família, os filhos de Senhor Givaldo Sampaio perdemos um grande amigo, um irmão em verdade como somos da família, nossos sentimentos a nossa amiga Rosali (vereadora) que hoje está na luta para manter o legado de seu irmão, a Paula, Maria, minha amiga Veronica, Alacoque, Paulo, Neuricelia, Lena sua esposa, Corrinha sua cunhada, Alana sua filha, Hiago, Hiarlin, Ítalo, Nicioke e seus sobrinhos e netos”.

              Maurilio Sampaio

Gerente Geral de Articulação Regional da Casa Civil do Governo de Pernambuco.

Informação do blog Tribuna do Cariri



Em tempos de pandemia prefeito de Cortês quer aumento salarial de 10 para 12 mil reais
Autor
Adriano Roberto

Em tempos de pandemia prefeito de Cortês quer aumento salarial de 10 para 12 mil reais

Tramitação do projeto do executivo segue na Câmara dos Vereadores para votação na próxima terça-feira (13.10). 

Na sessão do último dia 6, um projeto de emenda parlamentar do legislativo tentou barrar o aumento, ao apresentar a redução do salário, mas foi reprovado e houve tumulto na Casa Raimundo Leite. 

O município de Cortês, na Mata Sul de Pernambuco, distante a 86 km capital do estado (Recife), 
tem 67 anos de emancipação política, e ainda não acordou para a realidade local, principalmente no período do novo coronavírus - com uma recessão econômica, alta taxa de desempregados e pouca expansão do comércio, no seu centro. 

A população de Cortês não passa das 13 mil pessoas, com um Produto Interno Bruto de R$ 8.378,91, segundo o Portal Cidades do IBGE, e ainda sendo um pequeno município com uma verba apertada nesse momento de pandemia mundial e no ano eleitoral, o atual prefeito Reginaldo Moraes (PP) {foto} apresentou Projeto de Lei à Câmara de Vereadores sobre a fixação de subsídio no salário do prefeito, saindo de 10 para 12 mil, um aumento salarial explícito.

Antes, ele havia negado aumento para os servidores municipais o que gerou revolta na cidade. Ele também é acusado pelo Ministério Público de várias irregularidades.

Dessa forma, também estariam com um aumento salarial, o vice-prefeito de 6.500 para 8 mil reais; vereador de 5 a 7 mil reais; e secretários de município de 3.500 a 4 mil reais, conforme o Projeto de Lei original 008/2020. 

Na próxima terça-feira (13.10), a Câmara dos Vereadores volta a debater o projeto e dar sequência aos trâmites de votação.

Ainda em tramitação na Câmara dos Vereadores de Cortês, o projeto de lei do aumento salarial passa por discussões na Casa Raimundo Leite, que tem nove vereadores, sendo apenas uma mulher. 

Na última terça-feira (06.10), o vereador Salatiel de Oliveira apresentou emendas parlamentares para a redução dos salários do prefeito, vice-prefeito e secretários, mas não houve êxito, as emendas foram reprovadas por maioria dos parlamentares presentes. 

A emenda parlamentar  que foi reprovada defendia uma redução nos salários do prefeito para 5 mil, vice-prefeito 2.500, secretário 2.000 e a permanência do salário do vereador de 5 mil reais. 

Rompido com o atual gestor, o vice prefeito Eduardo Farias também condenou a iniciativa. " É uma situação vexatória", afirmou. Informações do blood de Ricardo Antunes.



Prefeita Célia Sales (PTB) e Carlos Santana (PSB) fogem do debate da Maranata FM. Lamentável
Autor
Adriano Roberto

Prefeita Célia Sales (PTB) e Carlos Santana (PSB) fogem do debate da Maranata FM. Lamentável

Do blog de Ricardo Antunes - As respectivas assessorias já haviam confirmado a presença. O candidato do PP, Alberico da Cobal também faltou ao debate que está sendo realizado pela Rádio Maranata FM.


 
Em nota, a atual prefeita do município, justificou sua falta alegando emergências administrativas na prefeitura do Ipojuca.

Por sua vez, Carlos Santana, também mandou nota dizendo que só iria se a prefeita estivesse presente.

A falta do contraditório é ruim para a população e para a democracia.

O blog lamenta as três ausências.



Rodrigo Maia convida Judiciário a aderir à reforma administrativa
Autor
Adriano Roberto

Rodrigo Maia convida Judiciário a aderir à reforma administrativa

Ao receber nesta quinta-feira (8) uma proposta de agenda legislativa para modernizar o serviço público, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), convidou o Poder Judiciário e o Ministério Público a aderir ao debate da reforma administrativa.

“A reforma administrativa tem de ser ampla e impactar os três Poderes. Existem muitas dúvidas jurídicas de tratar de outro poder sem ser por iniciativa própria. Não será bom se não trouxermos o Supremo e o Ministério Público a esse debate. A reforma do Poder Judiciário de 2005 criou uma estrutura nos três Poderes com salários iniciais muito altos, onde as carreiras perderam a importância”, disse Maia.

Os poderes Executivo e Legislativo já apresentaram projetos de reforma administrativa.

Retorno

Rodrigo Maia participou de evento promovido pela Frente Parlamentar da Reforma Administrativa. Foi a primeira vez que ele esteve na Câmara depois de se recuperar da Covid-19.

Usando máscara, Maia falou da importância da prevenção e de observar as normas sanitárias. “Mais de 20% do meu pulmão foi contaminado, não fui internado por muito pouco”, revelou. “De hoje até a vacina, em todo lugar público que estiver, vou usar máscara para mostrar a todos a importância da prevenção.”

O presidente da Câmara ainda afirmou que a reforma administrativa tem urgência, mas não tem pressa. Ele espera que esteja pronta até o segundo semestre de 2021. “Trabalhamos junto com o Executivo e a equipe econômica. Precisamos da união de esforços para esse processo urgente, sem açodamento, sem pressa. Nosso desafio é que o sistema público de saúde, de educação e de segurança atenda aos brasileiros da mesma forma, que todos tenham acesso ao serviço público de qualidade”, declarou.

Maia agradeceu ao ministro da Economia, Paulo Guedes, pelo “esforço enorme” em agendas muito difíceis. Presente no evento, o ministro elogiou o trabalho de Rodrigo Maia pelas reformas de transformação do Estado brasileiro. “Agradecemos sempre a este Congresso reformista pelo apoio às reformas do governo Bolsonaro”, apontou.

“O presidente Rodrigo Maia tem apoiado essas reformas, como a da Previdência, e trabalhamos juntos no combate à pandemia. A democracia brasileira deu uma prova de vigor, porque respondemos com muita efetividade à doença que invadiu nossos lares. Estamos construindo nossas defesas com essas crises, voltando ao leito das reformas”, disse Guedes.

Agenda legislativa

Apresentada pelo coordenador da Frente Parlamentar da Reforma Administrativa, deputado Tiago Mitraud (Novo-MG), a agenda legislativa sobre o tema tem quatro pontos:

- redução de distorções entre determinadas carreiras do funcionalismo, por meio da PEC 32/20 e emendas e projeto dos supersalários;
- modernização da gestão de pessoas e concursos, com a criação de um órgão central de gestão de pessoas no governo, para blindar interesses privados e corporativismo;
- segurança jurídica para dar maior suporte à tomada de decisões por servidores públicos;
- modernização da gestão por resultados de governos brasileiros.

"Precisamos modernizar a estrutura organizacional", disse Tiago Mitraud, que também citou a necessidade de regulamentar a gestão por resultados nos governos. "Temos proposições neste sentido que vão vir num segundo momento de propostas da nossa agenda."

Posição contrária

Contrário à reforma administrativa, o presidente da Frente Parlamentar do Servidor Público, deputado Professor Israel Batista (PV-DF), elogiou a posição do presidente da Câmara de manter contratos, excluindo os servidores antigos da reforma. No entanto, ele criticou a sugestão de Rodrigo Maia de manter dois modelos de serviço público.

“O presidente Rodrigo Maia fez uma fala, ao meu ver, temerária. O regime jurídico único foi uma conquista da democracia brasileira. Imagine ter no mesmo órgão servidores estáveis e não estáveis. Se mantivermos vínculos diferentes, vamos gerar disputas muito ruins dentro das categorias”, comentou.

Para o parlamentar, a reforma administrativa tem um caráter "gerencialista". “A reforma tenta aplicar ao Estado os princípios do mercado privado. No setor público, não existe concorrência, existe cooperação. Não se pauta pela lógica do setor privado”, argumentou.

Mesmo contrário à reforma administrativa “por princípio e em todos os aspectos”, Professor Israel Batista concorda com duas propostas apresentadas na agenda legislativa: a regulamentação do teto remuneratório constitucional e o órgão central para gestão de pessoal. “O teto tem que valer para todos os poderes”, defendeu. “Isso é uma convergência que temos.”

Fonte: Agência Câmara de Notícias



Eleições 2020: mais da metade dos prefeitos tentarão reeleição
Autor
Adriano Roberto

Eleições 2020: mais da metade dos prefeitos tentarão reeleição

Dos 5.568 municípios que escolherão prefeitos nas eleições deste ano, em 3.383 (61% do total) os atuais gestores concorrerão à reeleição. Outros 1.015 prefeitos poderiam concorrer por estar no primeiro mandato, mas desistiram de tentar um novo mandato. Os dados fazem parte de levantamento feito pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). 

O primeiro turno nas eleições será realizado no dia 25 de outubro e o segundo turno, no dia 29 de novembro. As datas originais eram 4 de outubro e 25 de outubro, mas foram adiadas pelo Congresso Nacional por causa da pandemia de covid-19. 

Ao todo, 19.164 candidatos concorrerão ao cargo de prefeito. Dos atuais prefeitos, 4.398 (79%) estão em seu primeiro mandato e poderiam concorrer a um novo período, mas 1.015 desistiram. 

O levantamento mostra que o percentual de candidatos à reeleição caiu após um período de estabilidade. Em 2016, dos 2.407 candidatos à reeleição, 1.191 se reelegeram (49,48%). Em 2012, dos 2.418 que tentaram a reeleição, 1.512 se reelegeram (62,53%). Na eleição anterior, em 2008, 3.361 prefeitos buscaram a reeleição e desses, 2.101 voltaram ao cargo (62,51%).

Nesses 3.383 municípios onde haverá disputa por reeleição, os candidatos estarão concorrendo aos votos de 88,3 milhões de eleitores. A soma da população dessas cidades é de 123,3 milhões de pessoas.

“Isso demonstra que, em uma parcela bastante significativa do Brasil, os atuais gestores colocam de novo o seu nome na disputa por entender que fizeram uma boa gestão. Temos que aguardar os resultados para saber se essas candidaturas terão êxito”, diz a confederação. 

Capitais

Os prefeitos de 13 capitais brasileiras tentarão a reeleição. Doze estão no segundo mandato e não podem disputar um novo pleito. O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), anunciou em agosto que não disputará a reeleição e deixará a vida política após 62 anos de vida pública. 

Candidatos à reeleição

Edvaldo Nogueira (PDT) Aracaju (SE)

Alexandre Kalil (PSD) Belo Horizonte (MG)

Marquinhos Trad (PSD) Campo Grande (MS)

Emanuel Pinheiro (MDB) Cuiabá (MT)

Rafael Greca  (DEM) Curitiba (PR)

Gean Loureiro (DEM) Florianópolis (SC)

Álvaro Costa Dias (PSDB) Natal (RN)

Cinthia Ribeiro (PSDB) Palmas (TO)

Nelson Marchezan (PSDB) Porto Alegre (RS)

Hildon Chaves (PSDB) Porto Velho (RO)

Socorro Neri (PSB) Rio Branco (AC)

Marcelo Crivella (Republicanos) Rio de Janeiro (RJ)

Bruno Covas (PSDB) São Paulo (SP)

Em 2016, os prefeitos de 15 capitais foram reeleitos: Rio Branco (AC), Salvador (BA), Teresina (PI), Boa Vista (RR), Natal (RN), João Pessoa (PB), Palmas (TO), Vitória (ES), Belém (PA), Fortaleza (CE), Recife (PE), Manaus (AM), Macapá (AP), São Luís (MA) e Maceió (AL).



Moro critica ataques à Lava Jato e Bolsonaro diz ter um ministro muito melhor
Autor
Adriano Roberto

Moro critica ataques à Lava Jato e Bolsonaro diz ter um ministro muito melhor

Horas depois de o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ter afirmado que a Lava Jato acabou, o ex-ministro da Justiça Sergio Moro disse na noite de quarta-feira (7) que tentativas de interromper a operação "representam a volta da corrupção".

"As tentativas de acabar com a Lava Jato representam a volta da corrupção. É o triunfo da velha política e dos esquemas que destroem o Brasil e fragilizam a economia e a democracia. Esse filme é conhecido. Valerá a pena se transformar em uma criatura do pântano pelo poder?", escreveu nas redes sociais o ex-ministro, que enquanto juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba proferiu algumas das decisões mais conhecidas da operação.

Moro, que deixou o governo rompido com Bolsonaro, acusando-o de tentar interferir na independência da Polícia Federal, respondeu a uma declaração feita pelo presidente na quarta. Em uma cerimônia sobre medidas de desburocratização do setor aéreo, Bolsonaro disse que a Lava Jato acabou porque, segundo ele, "não tem mais corrupção no governo".

"Eu desconheço lobby para criar dificuldade e vender facilidade, não existe. É um orgulho, uma satisfação que eu tenho dizer a essa imprensa maravilhosa nossa que eu não quero acabar com a Lava Jato. Eu acabei com a Lava Jato porque não tem mais corrupção no governo. Eu sei que isso não é virtude, é obrigação", afirmou Bolsonaro.

Bolsonaro tem sido criticado, inclusive por ex-aliados, por tomar decisões que contrariam os defensores do conjunto de operações e investigações iniciadas em 2014. Entre elas, a nomeação de Kassio Nunes para o STF (Supremo Tribunal Federal), um juiz tido como garantista.

O núcleo garantista no Supremo costuma impor derrotas à Lava Jato.

Além do mais, Bolsonaro adotou nos últimos meses um tom mais pragmático e tem priorizado uma boa relação tanto com o Judiciário quanto com o Congresso Nacional, em contraposição ao discurso crítico da chamada velha política que marcou sua campanha eleitoral.

Novas críticas a Moro

Na manhã desta quinta-feira (8), Bolsonaro fez novas críticas a Moro, desta vez durante cerimônia de encerramento do curso de formação profissional de agentes da Polícia Federal.

"Temos um compromisso de combate à corrupção. Eu tenho colaborado com a Polícia Federal, ajudando ao escolher ministros não por critério político ou por apadrinhamentos, mas por critério de competência, como temos o ministro da Justiça André Mendonça. 

Me desculpem, muito, mas muito melhor do que outro [Moro] que nos deixou há pouco tempo. A prova está aí: recorde de apreensão de drogas, de recursos e de prisões de bandidos, entre outros", afirmou o presidente.

"Eu não tenho dado motivo para a Polícia Federal ir atrás dos meus ministros, diferentemente do que acontecia no passado", complementou.

Também na manhã desta quinta, Moro fez outra publicação nas redes sociais para defender a operação Lava Jato.

"Importante iniciativa do STF de levar ao plenário os inquéritos e ações penais. Essa mudança dará mais homogeneidade às decisões da Corte", escreveu.

No dia anterior, o STF decidiu que as ações criminais em curso na corte voltarão a ser julgadas pelo plenário do tribunal.

Assim, a análise dos processos da Lava Jato sairão da Segunda Turma, que tem imposto sucessivas derrotas à operação.

O ministro Luiz Fux é um defensor da operação, e esta foi a primeira vitória dele na presidência do Supremo contra a ala da corte que critica os métodos da Lava Jato.



CEO do Poder do Voto lança novo aplicativo
Autor
Adriano Roberto

CEO do Poder do Voto lança novo aplicativo

É com muita satisfação que me dirijo a você, que já conhece o Poder do Voto app, para trazer mais umanovidade: a nova versão do nosso aplicativo, aproximando ainda mais você do que acontece no Congresso Nacional e de tudo que pode mexer com sua vida!

Agora, com a nova versão do Poder do Voto, você pode:

• Mudar o seu voto, mesmo após a votação da Lei;
• Saber se a Lei foi ou não foi aprovada;
• Ter acesso a uma nova e mais ágil versão do ME REPRESENTA;
• Votar de forma retroativa nas Leis maisrepresentativas.

Além disso, as perguntas mais importantes que você poderesponder usando a nova versão do Poder do Voto app:

• Quais são os políticos que melhor ME REPRESENTAM? 
• Quem são os Deputados e Senadores que votam mais parecido comigo?
• Como posso fugir das fake news e conhecer a opinião de entidades das mais diversas correntes de maneira rápida, resumida e 100% gratuita?
• Quais os principais temas em votação no Congresso Nacional que podem afetar a minha vida, a partir de uma fonte totalmente isenta e confiável?

Em menos de 18 meses do seu lançamento, contando exclusivamente com apoiadores pro bono e pessoas interessadas no debate construtivo (como você!) o Poder do Voto já computa a importante marca de mais de 650 mil votos registrados por mais de 70 mil usuários do aplicativo!

Espero continuar contanto com a sua participação, indicação e compartilhamento. 

Atualize seu app e siga o Poder do Voto nas redes sociais:

 

Um abraço,

Mario Mello

CEO e Fundador 

www.poderdovoto.org



 DETRAN-PE no feriado de Nossa Senhora Aparecida 2020
Autor
Adriano Roberto

DETRAN-PE no feriado de Nossa Senhora Aparecida 2020

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação – Seduh, por meio do Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco - DETRAN-PE, informa o abre e fecha da Sede do Órgão, Unidade de Táxis e Coletivos – DUAT, das Circunscrições Regionais de Trânsito – Ciretrans, lojas da Autarquia nos shoppings e dos Expressos Cidadão, em virtude do feriado de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, comemorado no dia 12 de outubro.

Já as Operações Rota de Fuga e Trânsito Seguro estarão com seus agentes nas ruas para garantir aos cidadãos mais tranquilidade. É importante que cada um faça seu papel. Prudência na hora de dirigir e não fazer uso da mistura fatal álcool e direção. A Coordenadoria de Educação para o Trânsito estará na segunda-feira (12), no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, com ação educativa voltada para os pais e as crianças.

As Ciretrans de Afogados Da Ingazeira, Araripina, Arcoverde, Cabo De Santo Agostinho, Carpina, Caruaru, Garanhuns, Gravatá, Jaboatão Dos Guararapes, Limoeiro, Olinda, Palmares, Paulista, Petrolina, Santa Cruz Capibaribe e Timbaúba estarão abertas, exclusivamente, para os usuários que querem obter a primeira Carteira Nacional de Habilitação – CNH, mediante a agendamento prévio.



Paulo Câmara anuncia o início das operações da Azul em Serra Talhada e Caruaru
Autor
Adriano Roberto

Paulo Câmara anuncia o início das operações da Azul em Serra Talhada e Caruaru

O governador Paulo Câmara anunciou, nesta quinta-feira (08.10), que o Sertão e o Agreste passarão a ser conectados pelo serviço de transporte aéreo. A Azul Linhas Aéreas vai ofertar voos diretos e regulares para o Recife, duas vezes por dia, dos aeroportos Santa Magalhães, em Serra Talhada, e Oscar Laranjeiras, em Caruaru. 

O início das operações acontece a partir de 11 de novembro e se soma a outras ações do Estado para fomentar o desenvolvimento econômico, social e turístico desses municípios, consolidados como cidades polos. O anúncio aconteceu durante encontro, no início da tarde, no Palácio do Campo das Princesas, com as presenças da secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos, Fernandha Batista, e de diretores da Azul.

“A Azul já é uma grande parceira de Pernambuco com a conectividade implantada no hub do Recife. Hoje, avançamos para interiorizar esse processo em Caruaru e em Serra Talhada. Serão dois voos diários a partir de 11 de novembro. Isso vai ajudar a desenvolver mais ainda o interior do Estado. É uma parceria que visa o futuro, a qualidade de vida e o desenvolvimento das regiões”, detalhou o gestor estadual.

As vendas de passagens para as novas bases de operações da companhia já estão abertas em todos os canais oficiais da empresa. A Azul Conecta, sub-regional da companhia aérea, será a responsável por cumprir as ligações entre as cidades do Sertão e Agreste com a capital pernambucana. As operações serão realizadas com os aviões Cessna Gran Caravan. 

Para a secretária Fernandha Batista, a iniciativa está alinhada com o foco de fortalecer o desenvolvimento regional, que é uma das metas estabelecidas pelo governador Paulo Câmara. “O início da operação comercial da Azul em Serra Talhada e Caruaru é um passo muito importante para a retomada do crescimento econômico do Estado, proporcionando, entre outras coisas, a melhoria da mobilidade, o fortalecimento do turismo e a garantia de uma acessibilidade multimodal. 

É mais um passo estratégico para a atração de novos investimentos por se tratar de um equipamento que vai permitir a conexão dessas duas cidades com o resto do país, o que impulsiona a geração de emprego e renda, sobretudo, nesse contexto imposto pela pandemia.”

O presidente da Azul, John Rodgerson, disse que Pernambuco teve a retomada de voos mais rápida do Brasil. “Estamos super animados. Através dessas duas cidades, as pessoas poderão ir para qualquer lugar do Brasil por causa do nosso grande hub aqui na região. É o maior hub do Nordeste, que está conectado com todas as capitais. É tempo para voar, tempo para trabalhar e com isso vamos resgatar nossa indústria.”

A retomada das operações regulares vem coroar uma série de intervenções que o Governo do Estado vem fazendo da área de alcance das duas cidades. Em Caruaru, por exemplo, há a implantação da Adutora do Agreste, a duplicação da BR-104 e a expansão do esgotamento sanitário em diversos municípios da bacia do Ipojuca. Já em Serra Talhada, pode-se destacar o Hospital Geral do Sertão – Eduardo Campos e a recente inauguração do campus definitivo da UPE no município.