Blog do Adriano Roberto


Estoura barragem da transposição em Sertânia

Um barragem que integra o sistema da transposição do Rio São Francisco, em Sertânia, sertão do Moxotó, rompeu nesta sexta, 3, próximo a PE-275, no sentido do Distrito de Rio da Barra, zona rural do município. A Barragem de Barreiros tem capacidade média de 5 milhões de metros cúbicos de água. Durante as últimas horas, houve informações desencontradas sobre a real extensão do dano

O Ministério da Integração usou o termo “vazamento”, que chegou a ser difundido nas redes sociais. Mas as imagens divulgadas pelas redes sociais, dão a ideia real de um rompimento importante na parede, tamanha a água que se perdeu no local. As versões iam de um simples vazamento a um grande estouramento.

Ainda não se tem certeza do comprometimento da barragem com o acidente. Engenheiros da empresa Paulista estão alertando moradores de comunidades como Maxixe e Rio da Barra. Técnicos também estão fechando o bombeamento antes da Barragem e bombeando parte da  água para o Açude Campos. A barragem já tinha sangrado para o canal da transposição, bombeando água para a Barragem de Campos, que manda água para abastecer outra Barragem em Sertânia. Comportas foram fechadas para evitar mais danos.

O vazamento começou por baixo da parede, em uma depressão que surgiu e acaba escoando grande volume de água. A área fica entre as EBVs 5 e 6. está indo embora. São mais de dez caçambas movendo pedras e areia para tentar conter o vazamento, mas a situação é complexa.  Autoridades do governo foram avisadas no fim da manhã desta sexta-feira. Pelas informaçõse colhidas até o início da tarde, não havia risco de rompimento dessa barragem, localizada no eixo leste da Transposição do Rio São Francisco. De toda forma, as comunidades que moram na região teriam sido avisadas sobre o episódio. (Com informações do Blog Nill Junior)



Veja os principais concursos que encerram inscrições em março

De acordo com informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atualmente o Brasil tem 12, 9 milhões de pessoas em situação de desemprego, índice de 12,6% no trimestre encerrado em janeiro. Com isso, muitos trabalhadores estão buscando por alternativas para se reinserirem no mercado de trabalho de forma mais segura, sendo os concursos públicos, opções viáveis e mais estáveis.

Veja os 10 concursos públicos que já lançaram editais e que encerrarão suas inscrições em março deste ano.

CRBio 1ª Região
O Conselho Regional de Biologia da 1ª Região (CRBio1), que envolve os estados de São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul divulgou seu edital para o preenchimento de cargos de formação de nível médio e superior. Para candidatos de nível médio, são oferecidas cinco vagas para técnico e auxiliar administrativo em São Paulo, Campo Grande e Cuiabá. Para os que possuem ensino superior é possível o ingresso nos cargos de analista de TI, fiscal biólogo, jornalista e advogado. As remunerações variam de R$ 3.292,15 a R$ 6.625,21 e os interessados devem se inscrever até o dia 17 de março no site da Vunesp . A taxa de inscrição será de R$ 60 para os cargos de nível médio e R$ 90 para nível superior.

Aeronáutica
A Aeronáutica do Brasil lançou mais um edital a fim de preencher 55 vagas em cargos de nível superior, nos exames de admissão para cursos de adaptação de dentistas, farmacêuticos, oficiais de apoio, engenheiros e capelães da aeronáutica. As remunerações iniciais estão estimadas em R$ 7.796 e as inscrições devem ser feitas até o dia 21 de março de 2017, por meio dos sites da FAB e CIAAR . A taxa de inscrição é de R$ 120.

CPAEN
A Diretoria de Ensino da Marinha (DEnsM)  divulgou o edital para a inserção de 30 profissionais na Escola Naval (CPAEN). Vale ressaltar que 18 vagas são exclusivas para candidatos do sexo masculino e 12 para candidatas do sexo feminino, em especial para o Corpo de Intendentes da Marinha.  Os interessados devem ter mais de 18 e menos de 23 anos de idade e possuir o ensino médio completo. A remuneração inicial é de R$ 1.054, podendo chegar a R$ 1.372. As inscrições se encerram dia 31 de março e devem ser realizadas no sites Ensino Mar  e Ingresso na Marinha .

IABAS-SP
O Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde do estado de São Paulo (IABAS – SP) realizará um processo seletivo para o preenchimento de 110 vagas em diferentes cargos de níveis fundamental, médio e superior, como por exemplo, assistente administrativo, assistente social, técnico de saúde e acompanhante comunitário. Os salários variam de acordo com o cargo e jornada de trabalho, indo de R$ 97,96 por hora até R$ 12.621,70 mensais. Os interessados devem se inscrever até o dia 12 de março através do site da CONSESP , com taxa de inscrição nos valores de R$ 70 para nível superior, R$ 35 para nível médio e R$ 25 para o fundamental.

Prefeitura de Silva Jardim-RJ
Com o intuito de inserção imediata de 104 profissionais, a Prefeitura de Silva Jardim no estado do Rio de Janeiro, oferece oportunidades para todos os níveis de escolaridade, como advogado, agente fiscal de saúde e engenheiro civil. Os salários iniciais variam entre R$ 1.014 e R$ 4.448,11 e as inscrições devem ser feitas no site do Instituto IBDO  até o dia 2 de março. A taxa de inscrição varia entre R$ 42 e R$ 90.
Leia mais: Especialista fala sobre Indústria 4.0 e reinserção no mercado de trabalho
FURG

A Universidade Federal do Rio Grande (FURG), no estado do Rio Grande do Sul, divulgou seu edital para o provimento de duas vagas em cargos da Carreira do Magistério Superior. As oportunidades são para atuação nas áreas de engenharia elétrica, linguística, letras e artes. O cargo de professor assistente necessita de graduação na área escolhida, além de titulação em nível de mestrado. A remuneração é de R$ 6.273,01 e as inscrições devem ser feitas até o dia 6 de março no site da FURG . Será cobrada uma taxa de inscrição no valor de R$ 130.
UFMG

A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) lançou edital para o cargo de professor adjunto nas áreas de citologia, histologia, embriologia e anatomia. Os interessados devem ser graduados na respectiva área e ter titulação em nível de doutorado em ciências biológicas, ciências da saúde ou biotecnologia. A remuneração inicial é de R$ 9.570,41 e as inscrições devem ser feitas até o dia 30 de março na Secretaria Geral do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG, Bloco M, sala 308 Avenida Presidente Antônio Carlos, nº 6627, Pampulha, Belo Horizonte/MG. O valor da taxa de inscrição é de R$ 215,99.
TJ-PR

O Tribunal de Justiça do estado do Paraná (TJ-PR) lançou edital para 5 vagas na carreira da magistratura, na  função de juiz substituto. O subsídio mensal do cargo é de R$ 28.947,54, sendo necessário ter diploma de bacharel em direito e pelo menos três anos de atividade jurídica comprovada. Os interessados devem se inscrever até o dia 3 de março no site da Cespe  e será cobrada uma taxa de inscrição no valor de R$ 240.
CRF-DF

O Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal (CRF-DF) abriu processo seletivo para a admissão de 10 novos servidores para cargos como auxiliar de serviços gerais, motorista, assistente administrativo, farmacêutico fiscal, administrador e advogado. Os salários variam entre R$ 1.600 e R$ 5.055 e as inscrições devem ser efetuadas no site da IADES  até o dia 9 de março.  A taxa de inscrição é de R$ 48 para nível fundamental, R$ 68 para nível médio e R$ 85 para o nível superior.
CRESS-PE

O Conselho Regional de Serviço Social da 4ª Região (CRESS), que envolve o estado de Pernambuco, divulgou edital para mais um de seus concursos públicos para os cargos de auxiliar de serviços gerais, auxiliar administrativo e agente fiscal. As remunerações variam entre R$ 1.012 e R$ 3.454, mais benefícios como vale alimentação e vale transporte. As inscrições devem ser feitas no site da Quadrix  até o dia 13 de março, com taxas de inscrição de R$ 80 para agente fiscal, R$ 60 para auxiliar administrativo e R$ 40 para auxiliar de serviço gerais.

*Com informações da Ache Concursos



Marcelo Odebrecht coloca culpa no pai dele
Autor
Adriano Roberto

Marcelo Odebrecht coloca culpa no pai dele

O executivo Marcelo Odebrecht demonstrou em seu depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o que um dos advogados e magistrados presentes na audiência chama de "grande mágoa". Marcelo atribuiu ao pai, Emilio Odebrecht, algumas decisões equivocadas tomadas pela empresa.

Uma delas teria sido a de construir a arena Corinthians, cedendo a pressões do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do governo federal, que queriam que a abertura da Copa do Mundo de 2014 fosse realizada em São Paulo.

Segundo a jornalista Mônica Bergamo publicou em sua coluna na Folha de S. Paulo, Marcelo teria tentado barrar, em vão, esta e outras decisões do pai.



Preso há 5 meses, Cunha impressiona com a frieza
Autor
Adriano Roberto

Preso há 5 meses, Cunha impressiona com a frieza

Desde que chegou ao Complexo Médico Penal, em Pinhais, no Paraná, o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB) "não mostra abatimento algum. Nunca sorriu, nunca chorou, nunca deu uma gargalhada". Ao ser informado sobre um acidente sofrido pela sua mulher, a jornalista Claudia Cruz, que fraturou a perna e teve que ser submetida a uma cirurgia, o político teria dito apenas "ok, obrigado" ao seu informante.

Os relatos foram fornecidos ao UOL por um assistente da defesa do ex-deputado, que costuma acompanhar as suas audiências. Segundo ele, a frieza de Cunha é "impressionante".

"Cunha é um homem impassível. Não mostra abatimento algum. Nunca sorriu, nunca chorou, nunca deu uma gargalhada. Ele é hoje igual à pessoa que conduziu a sessão do impeachment [da ex-presidente Dilma Rousseff]. A frieza dele é uma coisa que impressiona", relatou o assistente.

Cunha também recebe constantes visitas da filha, que é advogada e pode solicitar audiências com ele fora dos horários das visitas tradicionais. E, como os demais presos, pode almoçar fora da cela com familiares.



Nem todos contra a versão de Marcelo Odebrecht
Autor
Adriano Roberto

Nem todos contra a versão de Marcelo Odebrecht

Nada mais natural que o primeiro anúncio da tempestade Odebrecht (a afirmação de que a chapa Dilma-Temer se valeu de caixa 2 e recebeu R$ 150 milhões na campanha) tenha arrancado uma série de negativas. Cada qual se encaixando como pode nas ainda diferentes versões sobre o esquema de corrupção envolvendo empreiteiras e políticos. Foco do momento na dissonância entre a história anteriormente contada por Cláudio Melo Filho, ex-diretor de Relações Institucionais da empresa, e o que teria dito agora Marcelo, o herdeiro do conglomerado, ao TSE.

O primeiro falou ao MPF que Temer pediu 'apoio financeiro' para o PMDB em 2014 a Marcelo Odebrecht, que se comprometeu com um pagamento de R$ 10 mi. O segundo confirmou reunião com o candidato a vice, mas negou acerto de valores. Abriu brecha para a defesa - a Secretaria de Comunicação diz que o depoimento reitera o que presidente 'vem dizendo há meses'. Em nota, Dilma afirma que suspeitas são 'insulto' à sua 'honestidade', nega ter pedido recursos, autorizado dinheiro não contabilizado ou que tenha designado Mantega para a arrecadação.

Enquanto o público aguarda novos detalhes, cresce a discussão sobre o peso das ações: não saber o valor exato combinado em uma reunião convocada com o propósito de angariar ajuda-colaboração-apoio (lícito ou não) minimiza tanto a responsabilidade do anfitrião? Mesmo que as figuras principais tenham, afinal/ao final, após diálogo ao que tudo indica real entre Padilha (atualmente ministro licenciado da Casa Civil) e Cláudio Melo, apertado as mãos? Finalmente, qual a diferença das posturas no processo que apura irregularidades de uma mesma chapa?

Nessa de apontar o dedo... Sobrou um pouco para Aécio. De acordo com Odebrecht, o presidente nacional do PSDB teria pedido R$ 15 milhões no primeiro turno da campanha. Marcelo diz que, primeiramente, negou - 'valor muito alto' -, mas que o senador sugeriu uma alternativa com pagamentos a aliados políticos. No meio da confusão da Lava Jato, o aporte financeiro não se concretizou e as doações, segundo o empreiteiro, seriam apenas oficiais.

Mais gente para falar. Jorge Luz e seu filho Bruno, apontados como operadores de propinas do PMDB, chegaram à terrinha da Lava Jato. Presos em Miami, foram transferidos para Brasília e passaram os últimos dias na superintendência da PF no DF porque o preço das passagens no carnaval estava muito alto. Chegaram hoje a Curitiba, suspeitos de distribuir pelo menos R$ 40 milhões a ex-dirigentes da Petrobrás e senadores.

Dura dança das cadeiras. Aloysio Nunes confirmado no MRE. Tomará posse na próxima terça-feira em cerimônia com o novo ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB-PR). Ele é alvo de inquérito por suposto envolvimento em possível crime eleitoral de falsidade ideológica e lavagem de dinheiro, com base na delação do empreiteiro Ricardo Pessoa à PGR. Teria recebido R$ 300 mil oficialmente e R$ 200 mil em dinheiro de caixa 2.



Tem empresas devendo 426 bilhões à Previdencia
Autor
Adriano Roberto

Tem empresas devendo 426 bilhões à Previdencia

Enquanto propõe que o brasileiro trabalhe por mais tempo para se aposentar, a reforma da Previdência Social ignora os R$ 426 bilhões que não são repassados pelas empresas ao INSS. Segundo a revista Carta Capital, o valor da dívida equivale a três vezes o chamado déficit da Previdência em 2016.

Esses números, levantados pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), não são levados em conta na reforma do governo Michel Temer. “O governo fala muito de déficit na Previdência, mas não leva em conta que o problema da inadimplência e do não repasse das contribuições previdenciárias ajudam a aumentá-lo. As contribuições não pagas ou questionadas na Justiça deveriam ser consideradas [na reforma]”, afirma Achilles Frias, presidente do Sindicado dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz).

A maior parte dessa dívida está concentrada na mão de poucas empresas que estão ativas. Somente 3% das companhias respondem por mais de 63% da dívida previdenciária. A procuradoria estudou e classificou essas 32.224 empresas que mais devem, e constatou que apenas 18% são extintas. A grande maioria, ou 82%, são ativas. Na lista das empresas devedoras da Previdência, há gigantes como Bradesco, Caixa Econômica Federal, Marfrig, JBS (dona de marcas como Friboi e Swift) e Vale.

Apenas essas empresas juntas devem R$ 3,9 bilhões, segundo valores atualizados em dezembro do ano passado. A Repórter Brasil entrou em contato com essas empresas para entender quais são os pontos em desacordo. O Bradesco afirma que não comenta processos judiciais. A JBS diz que está negociando a dívida com a Receita Federal. A Marfrig afirma, em nota, que discute judicialmente a possibilidade de compensação de débitos previdenciários com créditos relativos ao PIS e a COFINS e que negociou o parcelamento da dívida. A Vale informa que possui questionamentos judiciais referentes às contribuições previdenciárias e que ofereceu garantias da dívida, o que a permite estar em ‘regularidade fiscal’. A Caixa Econômica Federal não se pronunciou.



É hora da inscrição para o cuncurso do TCE-PE
Autor
Adriano Roberto

É hora da inscrição para o cuncurso do TCE-PE

No estado de Pernambuco, o Tribunal de Contas do estado (TCE-PE) abriu nesta quarta as inscrições do novo processo seletivo que vai contratar estudantes de nível superior para formar cadastro reserva de estagiários em diversas funções. Para concorrer, os interessados devem estar cursando pelo menos o 4º ano de formação da sua graduação especifica. A inscrição vai até dia 20 de março de 2017. O valor da taxa de inscrição é de R$ 27,90. Os candidatos que vierem a ser contratados receberão uma bolsa auxílio no valor de R$ 800,00

Estudantes de várias áreas do ensino superior podem se inscrever para integrar o cadastro reserva no Tribunal e na Escola de Contas Públicas Professor Barreto Guimarães (ECPBG), para contratações no decorrer do ano. Os contratos serão firmados por prazo inicial de um ano, com possibilidade de uma prorrogação pelo mesmo período. Do total de vagas a serem criadas, 10% serão reservadas a pessoa com deficiência. Educação (MEC) e estarem cursando pelo menos o 4º semestre. A carga horária do estágio será de 20 horas semanais, sendo 4 horas diárias, e os estagiários receberão bolsa-auxílio de R$ 800,00, somando ainda auxílio-transporte de R$ 81,82.

Para ingresso no TCE-PE, as vagas são para estudantes de Administração, Arquitetura, Biblioteconomia, Ciências Atuariais, Ciências Contábeis, Design Gráfico, Direito, Ciências Econômicas, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Informática, Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Radio TV e Internet, Relações Públicas e Secretariado. Já para a ECPBG, podem se inscrever graduandos de Administração, Ciências Econômicas, Ciências Contábeis, Design Gráfico, Direito, Informática, Jornalismo, Pedagogia e Web Design.

Os candidatos podem se inscrever a partir do dia 1º de março - pelo site da Oppus Concursos e o prazo fica aberto até o dia 20/03. A taxa de participação é de R$ 27,90, com isenção prevista apenas para candidatos que comprovarem hipossuficiência de recursos financeiros, estando inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadúnico) e sendo membros de família de baixa renda.

Os inscritos serão avaliados por meio de provas objetiva e de redação. As provas acontecem no dia 7 de maio, em Recife-PE, com 50 questões de Língua Portuguesa, Conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos; mais redação de, no mínimo, 25 de linhas. Saiba mais das provas no edital do processo seletivo

Somente serão corrigidas as redações dos candidatos habilitados na prova objetiva, e serão considerados habilitados aqueles conseguirem nota igual ou superior a 25 pontos e se classificarem até a 60ª colocação no seu curso. O resultado da prova objetiva sai em 22 de maio e o resultado da redação é previsto para o dia 5 de junho. O resultado final da seleção está previsto para 11 de julho, quando começarão a acontecer as contratações.



Marcelo Odebrecht revela que Dilma sabia de tudo
Autor
Adriano Roberto

Marcelo Odebrecht revela que Dilma sabia de tudo

Em seu depoimento a Herman Benjamin, do TSE, Marcelo Odebrecht contou que Dilma Rousseff sabia de todo o esquema de financiamento ilícito de campanha que a empreiteira armou com o PT.

O Antagonista obteve com exclusividade boa parte do conteúdo do depoimento de Marcelo Odebrecht ao ministro Herman Benjamin do TSE. É explosivo.

Ele revelou que quatro quintos do total doado à campanha de Dilma Rousseff em 2014 foram no caixa dois. No total, a Odebrecht deu 150 milhões de reais ao PT.

Cinquenta milhões de reais foram em pagamento à edição da medida provisória 470, em 2009, que beneficiava a empreiteira. Ou seja, propina para o governo Lula.

Como o PT não precisava desse dinheiro em 2010, para a primeira campanha de Dilma, ele foi pago em 2014.



50 alvos da Lava Jato sem foro privilegiado estão no STF
Autor
Adriano Roberto

50 alvos da Lava Jato sem foro privilegiado estão no STF

Pelo menos 50 investigados na Lava Jato detêm, atualmente, foro indireto no Supremo Tribunal Federal (STF). São casos de alvos da operação que não possuem cargo com prerrogativa para serem julgados pela Corte, mas têm seus casos conduzidos no tribunal em razão da ligação das investigações com autoridades.

O caso mais recente envolvendo foro indireto é o do ex-presidente José Sarney, que teve inquérito mantido no STF por decisão da Segunda Turma da Corte. Os ministros do colegiado justificaram a medida pelo fato de a apuração contra o peemedebista incluir parlamentares detentores de foro especial.

Em situação semelhante estão os também ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Os dois são parte de um inquérito que atinge dois ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) – Marcelo Navarro Ribeiro Dantas e Francisco Falcão –, que atraem para o STF a competência para conduzir o caso. Ainda na mesma investigação estão os ex-ministros de Estado Aloizio Mercadante e José Eduardo Cardozo, que não têm mais a prerrogativa.

A lista de investigados com foro indireto perante o STF inclui ainda parentes de políticos – casos, por exemplo, do marido da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), o ex-ministro Paulo Bernardo; da mulher do senador Fernando Collor (PTC-AL); e de dois filhos do deputado Nelson Meurer (PP-PR). Empresários suspeitos de atuar na lavagem de dinheiro para parlamentares e ex-congressistas investigados ao lado de políticos com foro também integram o grupo do foro indireto.

Há ainda situações de investigações diferentes na Justiça comum e no STF simultaneamente. É o caso do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que, apesar de ter tido as investigações remetidas à Justiça Federal após perder o mandato, ainda é alvo de inquérito no STF ao lado de parlamentares.

Há ainda no rol dos “sem foro” que estão no STF lobistas como Fernando “Baiano” Soares; empreiteiros como Ricardo Pessoa, dono da UTC; e ex-ministros, como Henrique Eduardo Alves, Silas Rondeau, Pedro Paulo Leoni Ramos.

Mensalão. A Procuradoria-Geral da República tenta evitar “maxi-investigações” como o mensalão, quando todos os acusados foram julgados pelos 11 ministros do Supremo. Nesse caso, a minoria dos réus tinha foro. Não é o que ocorre na Lava Jato, mas a extensão das investigações faz com que parte dos casos não possa, na visão de investigadores, ser analisada de forma apartada.

Ao fatiar a maior investigação da Lava Jato em quatro inquéritos, o STF manteve uma investigação com 12 nomes e todos sem foro privilegiado. É a frente que apura a participação do PT numa suposta organização de políticos para operar o esquema de corrupção na Petrobrás. Entre os investigados neste inquérito estão Lula, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari e o ex-ministro Antonio Palocci.

Entre investigadores, a justificativa para manter o caso no STF mesmo sem autoridades com foro é de que a apuração sobre a formação de quadrilha é uma só, mas foi dividida em quatro para dar agilidade às diligências. O inquérito, chamado nos bastidores de “quadrilhão”, aberto em março de 2015, foi dividido em quatro frentes: a do PT, a do PP, a do PMDB da Câmara e a do PMDB do Senado.

“A apuração das condutas dos não detentores de prerrogativa de foro antes indicados perante o STF é necessária e excepcional, pois suas ações, em tese praticadas e pendentes de apuração mais detalhada, estão de tal forma relacionadas que, nos termos do que já decidido, poderá haver ‘prejuízo relevante à prestação jurisdicional’”, escreveu o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao pedir a inclusão de nomes na investigação que não possuem foro.

Compartilhamento. Apesar de a manutenção de casos sem foro no STF ser praxe em parte das investigações da Lava Jato, a decisão da Segunda Turma sobre Sarney foi mal recebida entre procuradores da República. A avaliação de investigadores é de que a maioria dos ministros do Supremo tratou o caso como se fosse um desmembramento de investigação quando, na verdade, era apenas um compartilhamento de informações.

Para procuradores ouvidos pelo Estado, estava em jogo somente a autorização para que o juiz Sérgio Moro, que conduz a Lava Jato na primeira instância, utilizasse as informações relativas à delação de Sérgio Machado que envolvem o ex-presidente. Isso, segundo eles, não significaria que Sarney fosse ser investigado por Moro.



Moreira Franco e Juca fazem confronto publico
Autor
Adriano Roberto

Moreira Franco e Juca fazem confronto publico

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, e o líder do governo no Congresso, Romero Jucá (PMDB-RR), protagonizaram nesta um confronto público, escancarando uma disputa travada nos bastidores.
 
Os dois são articuladores políticos do Planalto e a discussão, que começou com a reforma da Previdência, chegou ao gabinete do presidente Michel Temer. "Nosso partido não tem tradição leninista", disse Moreira.

O ministro vinha demonstrando descontentamento com Jucá, presidente do PMDB, por causa de declarações contra a Lava Jato. O estopim da nova crise, porém, foi uma entrevista ao jornal Valor, na qual Moreira disse que o PMDB não fechará questão sobre a reforma da Previdência porque "contraria tradições do partido". No jargão do Congresso, fechar questão significa que todos os parlamentares de determinada sigla são obrigados a votar de acordo com a orientação partidária.

A declaração de Moreira foi dada no mesmo dia em que Temer se reuniu com líderes da base e centrais sindicais para convencê-los da importância de aprovar a polêmica reforma da Previdência. Auxiliares do presidente disseram que a afirmação do ministro provocou reação no mercado e funcionou como "sinal confuso" para o Congresso.

Moreira foi além e, perguntado se Jucá falava em nome do governo - quando comparou a Lava Jato à Inquisição e disse ser preciso "estancar essa sangria" -, respondeu que não.

O senador ficou furioso. Combinou com Temer uma resposta apenas para "esclarecer" a parte relacionada à Previdência. Em nota, lembrou que o PMDB não tomou posição a respeito de liberar o voto. "Ao contrário, o partido tem discutido com a bancada federal da Câmara dos Deputados a possibilidade de fechamento de questão assim como foi feito na votação da PEC que limita os gastos públicos".

Depois, Moreira divulgou nota para repetir que o PMDB nunca adotou essa prática. "Quando coloquei essa questão, coloquei dentro desse contexto. De um partido que pratica a democracia e, por isso, jamais será leninista", escreveu. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Lava Jato: PF cumpre mandados de prisão no Rio
Autor
Adriano Roberto

Lava Jato: PF cumpre mandados de prisão no Rio

Veja On Line - A Polícia Federal está nas ruas do Rio de Janeiro, desde as 6h da manhã desta quinta-feira, para cumprir mandados de prisão na 38ª fase da Operação Lava Jato. São 15 mandados de busca e apreensão e outros dois de prisão preventiva para os lobistas Jorge Luz e Bruno Luz, pai e filho respectivamente. De acordo com a polícia, os investigados vão responder pela prática de corrupção, fraude em licitações, evasão de divisas e lavagem de dinheiro, entre outros crimes.

Jorge, de 73 anos, era tratado pelos investigadores como uma espécie de ‘pai dos operadores’ de propinas no esquema de corrupção na Petrobrás. Seu nome já tinha aparecido na Lava Jato durante as delações do ex-diretor da área Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró e do operador de propinas Fernando Baiano. Em abril de 2016, Cerveró disse ao juiz Sérgio Moro que o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) recebeu propina de US$ 6 milhões por meio do lobista Jorge Luz, em 2006. O repasse, segundo ele, foi acertado em um jantar na casa de Jader Barbalho, em Brasília, com a presença de Renan Calheiros, Paulo Roberto Costa e Sergio Machado, ex-presidente da Transpetro.

O nome da operação – Blackout – é uma referência ao sobrenome dos lobistas e tem por objetivo demonstrar a interrupção definitiva da atuação destes investigados como representantes do poderoso esquema de corrupção. Os presos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Os presos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, mas de acordo com informações da Globonews, eles ainda não foram encontrados e a polícia já trabalha com a possibilidade de eles estarem fora do país. 



Avião com destino a Recife faz pouso de emergencia em SP
Autor
Adriano Roberto

Avião com destino a Recife faz pouso de emergencia em SP

Uma aeronave fez um pouso forçado às 7h41 nesta quinta-feira (23) no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo. O avião do voo 6304, que seguia rumo a Recife, decolou às 7h30. De acordo com a companhia aérea, o painel da aeronave que realizava o voo apresentou uma leitura atípica.

"Por precaução, o comandante optou por retornar ao aeroporto de origem", diz a nota da Avianca

O avião transportava 156 passageiros. Segundo a GRU Airport, empresa que administra o aeroporto, todos os passageiros já deixaram a aeronave e estão bem. 

A companhia diz, que neste momento, "a companhia presta a assistência necessária aos clientes, providenciando reacomodações". "A Avianca Brasil lamenta pelo desconforto, mas ressalta que preza, acima de tudo, pela segurança de seus clientes e colaboradores".