Blog do Adriano Roberto


PTC oficializa apoio a majoritária de Lossio, Antonio Souza e Pr Jairinho
Autor
Adriano Roberto

PTC oficializa apoio a majoritária de Lossio, Antonio Souza e Pr Jairinho

As adesões à pré-campanha de Antonio Souza (Rede) ao Senado não param. Nesta quinta-feira (24), foi a vez do PTC formalizar seu apoio ao pré-candidato. O anúncio foi feito durante a posse do novo diretório estadual do partido, no Recife; ato prestigiado pela classe política pernambucana e pelo presidente nacional da legenda, Daniel Tourinho. Antonio Souza é o único candidato majoritário em Pernambuco a agregar outras forças no seu futuro palanque. Ele já conta com o apoio do PPL, PRP, PMN e PROS, além da Rede e do PTC.

Participaram do evento ao lado de Antonio Souza, Daniel Tourinho e José Reginaldo, o Zé Bolacha, novo presidente estadual do PTC, nomes como o ex-prefeito do Recife, João Paulo (PCdoB), o deputado federal e presidente do PPS em Pernambuco, Daniel Coelho, a deputada estadual Roberta Arraes (PP), o dirigente estadual da Rede, Clécio Araújo, o representante nacional da sigla, Roberto Leandro, o pré-candidato a senador Pastor Jairinho (Rede), os presidentes estaduais Edna Costa (PPL) e Ernesto de Paula (PRP), além de ex-prefeitos, vereadores e lideranças políticas.

“A política é um instrumento de mudar a sociedade. É por isso que aceitei o convite da Rede para encampar esse projeto transformador. Recebemos esse apoio do PTC com muita alegria porque o partido abraçou as causas que estamos defendendo, a exemplo da implantação da Zona Franca do Semiárido. Estamos mobilizando toda a sociedade a empunhar essa bandeira, que será a salvação do povo nordestino. Estamos juntos com o PTC, PPL, PMN, PRP e PROS, apostando nesse projeto que trará desenvolvimento para Pernambuco. Acima de qualquer projeto pessoal, nosso objetivo é ajudar nosso estado”, destacou Antonio Souza.

Segundo Daniel Tourinho, o PTC não poderia está em melhores mãos em Pernambuco. “Nosso partido está muito bem representado aqui. Antonio, você será o senador de Pernambuco”, enalteceu. Zé Bolacha disse que o PTC estará aberto aos que quiserem contribuir para o crescimento da legenda. “Com a ajuda de Deus, nós conseguiremos”. Já a deputada estadual Roberta Arraes lembrou as raízes de Antonio. “Para mim, é muito satisfatório ver a sua história de êxito; de um sertanejo que representa todo o povo do Sertão. Nós somos fortes”, comentou.



Antonio Souza aproxima PTC junto à Júlio Lossio e Marina da REDE nesta quinta
Autor
Adriano Roberto

Antonio Souza aproxima PTC junto à Júlio Lossio e Marina da REDE nesta quinta

O empreendedor social Antonio Souza, pré-candidato ao Senado pela REDE, juntamente com o pastor Jairinho e o pré-candidato ao governo de PE, Júlio Lossio, vão prestigiar a posse do novo diretório estadual do PTC, comandado pelo ex-vereador de Araripina José Reginaldo, o Zé Bolacha. O ato, a ser realizado hoje, no RioMar Trade Center, a partir das 15h, contará com a presença do presidente nacional do PTC, Daniel Tourinho.

No encontro, além da oficialização da do apoio ao projeto estadual da REDE, serão debatidos os cenários políticos estadual e federal para 2018, bem como a reforma política e a nova legislação eleitoral. O PTC já declarou apoio oficial à pré-campanha de Antonio Souza, assim como o PPL, PRP, PROS e PMN, além da Rede. Único pré-candidato que tem apresentado propostas, Antonio Souza já conta com seis partidos no seu bloco de forças.

“Faço questão de ir ao ato do PTC parabenizar os amigos Daniel Tourinho e Zé Bolacha, pela grande construção que eles estão comandando à frente do partido em Pernambuco. Vamos percorrer todos os recantos do nosso estado junto com a Rede, PTC e as outras legendas da nossa coligação, levando a nossa mensagem em prol de um Pernambuco melhor para se viver”, afirmou Antonio Souza.

O intuito de Antonio Souza é aproveitar a presença do presidente nacional do PTC para aliar o partido trabalhista não só na campanha de Júlio Lossio para o Governo PE, mas também na campanha de Marina Silva para Presidência da República.



Associação dos caminhoneiros orienta só terminar greve com a publicação em Diário Oficial
Autor
Adriano Roberto

Associação dos caminhoneiros orienta só terminar greve com a publicação em Diário Oficial

O presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José daFonseca Lopes disse, há pouco em entrevista na rádio BandNews, que os caminhões só voltam a rodar com a publicação no diário oficial da lei votada esta noite na Câmara dos Deputados que trata do fim do PIS, CID e COFINS no preço do Diesel. Agora a proposta vai para o Senado que não garante a votação para esta semana. 

Fonseca adiantou que a categoria entra firme no quarto dia da greve com disposição de apertar a liberação de alguma cargas, como animais vivos, remédios e alimentos frescos se não houver essa aprovação hoje. No Senado não há acordo para votação já que a cúpula econômica e o próprio presidente Temer não concordam com o fim da incidência destes impostos no diesel. A preocupação dos políticos na manhã desta quinta-feira é com a possibilidade de faltar voos na capital federal para que eles voltem aos seus estados.



Greve provoca falta de peças, combustíveis e alimentos em MG
Autor
Adriano Roberto

Greve provoca falta de peças, combustíveis e alimentos em MG

A paralisação dos caminhoneiros, que começou há três dias com 16 interdições nas rodovias de Minas Gerais, nesta terça-feira (22) já alcançava 38 pontos pelo Estado afora. A fatura dessa greve começou a chegar e trouxe junto o medo do desabastecimento. Seja por não conseguir transportar mercadorias ou receber insumos, algumas indústrias estão freando o ritmo de produção, e outras já contabilizam prejuízos.

A Fiat, em Betim, começou a sentir os efeitos com atraso na chegada de peças. Outros setores, como supermercados e postos de combustíveis, ainda não registraram falta de produtos. Mas uma grande manifestação programada para a manhã de hoje na porta da Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim, promete agravar a situação.

A intenção é parar o abastecimento de combustíveis. A decisão, segundo o presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Carga de Minas Gerais (Sindtac-MG), Antônio Vander Reis, foi tomada durante reunião na terça à noite. “Com apoio do sindicato dos metalúrgicos, decidimos não acabar com os bloqueios nas BRs, mas realizar essa paralisação na porta da refinaria da Petrobras. O objetivo é não deixar ninguém entrar nem sair carregado”, explica. Por meio de nota, o sindicato dos postos, Minaspetro, afirma que, se a paralisação persistir, o desabastecimento de combustíveis será inevitável, uma vez que, após o fim dos estoques, os estabelecimentos não terão condições de reposição.

Mais Impactos. Em todo o Brasil, 23 Estados aderiram ao movimento. Cinco plantas ligadas à avicultura e à suinocultura em Minas Gerais, Santa Catarina, Goiás e Rio Grande do Sul tiveram de suspender operações. O cenário vai piorar hoje, com a manutenção da greve, diz a Associação Brasileira de Proteína Animal. Ao menos 20 unidades não terão como operar, afetando o abastecimento no país e as exportações.

Além da Fiat, outras montadoras foram afetadas. Por falta de peças, as fábricas da General Motors (GM) em Gravataí (RS) e São Caetano do Sul (SP) pararam a produção. O mesmo aconteceu com as fábricas da Ford em Camaçari (BA) e Taubaté (SP). A Volkswagen também deve parar hoje. Por enquanto, a Fiat não suspendeu nenhuma linha de produção, mas afirmou que vai monitorar de perto a situação.

Em Minas, onde há o maior número de estradas bloqueadas, quem está com o carro na oficina também corre o risco de esperar mais. “Atualmente, a cada dez veículos em reparo, pelo menos dois dependem de alguma peça que vem de fora. Se a greve persistir, o conserto vai demorar mais”, afirma o presidente do Sindicato de Peças Automotivas (Sincopeças), Helton Andrade.

O setor da construção também está apreensivo. “A parte de acabamentos normalmente, vem de fora, como janelas de alumínio e portas prontas, que vêm de Santa Catarina e do Sul de Minas. Isso pode acabar atrasando as obras”, observa o vice-presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-MG), Geraldo Linhares. (Com agências)

Frango, laticínios e ovos podem ‘sumir’

Cerca de 2.000 funcionários do ramo de avicultura em Minas Gerais foram mandados para casa mais cedo ou nem sequer chegaram a trabalhar desde o primeiro dia de paralisação dos caminhoneiros. Os impactos da greve no setor já são considerados caóticos e irreversíveis. “Não chega ração para alimentar os animais. Se as galinhas morrem nas granjas, não teremos mais ovos nem pintinhos ou frangos. Com a mortandade de animais, teremos um problema sanitário. Sem contar os ovos, que não têm escoamento”, explica Cláudio Almeida, membro dos conselhos de administração da Associação de Avicultores de Minas Gerais (Avimig) e do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado de Minas Gerais (Sinpamig). “Se a greve continuar, com certeza haverá desabastecimento nos supermercados”, diz.

O setor de leite e derivados também já sente as perdas. “Cerca de 16 milhões de litros de leite são diariamente direcionados à industrialização. Todos os dias, as vacas são ordenhadas. Com a paralisação, perdemos o leite parado nas estradas, os produtores perdem porque os caminhões não chegam às propriedades rurais para carregar, e, sem matéria-prima, as indústrias ficam ociosas”, afirma o diretor executivo do Sindicato da Indústria de Laticínios de Minas Gerais (Silemg), Celso Moreira.

Segundo a Associação Mineira de Supermercados (Amis), até esta terça-feira o abastecimento estava normal, mas tudo dependerá do andamento da greve a partir de hoje.

Mais reflexos

Correios. Devido à greve dos caminhoneiros, estão temporariamente suspensas as postagens das encomendas com dia e hora marcados (Sedex 10, 12 e Hoje). Por segurança, também será ampliado o prazo do Sedex e do PAC, bem como das demais correspondências.

Carne. A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) diz que pode faltar produto na mesa do consumidor. Segundo a entidade, animais poderão morrer no campo com a falta de insumos. A ABPA teme ainda perder contratos de exportação e prevê aumentos de custos.

Voos cancelados. Três voos com destino a Brasília foram cancelados. A administradora do terminal explicou que os passageiros ficaram nas cidades de origem – uma delas, Belo Horizonte –, pois a escassez de combustíveis impediria o retorno da tripulação.



Jungmann: comitê de crise acompanha manifestação de caminhoneiros
Autor
Adriano Roberto

Jungmann: comitê de crise acompanha manifestação de caminhoneiros

O ministro extraordinário de Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que o governo federal fez uma parceria com os estados, sob a ótica da Segurança Pública, para acompanhamento das manifestações dos caminhoneiros no comitê de crise instalado em Brasília. Embora, na visão dele, a responsabilidade em relação à ordem pública caiba aos estados, o governo federal colocou a Polícia Rodoviária Federal à disposição se houver necessidade em alguma unidade da federação.

Jungmann reconheceu que as manifestações provocam impactos econômicos, mas não teme uma paralisia. “Existem efeitos econômicos, mas eles são pontuais. Em alguns locais houve bloqueios de saída de combustível de aviação, um caso, que é o que me parece estar acontecendo em Suape [PE]. Nós estamos em contato com governadores e com secretários de Segurança, acompanhando toda essa movimentação, mas reitero que, até aqui, não sofremos nenhuma solicitação dos estados para que o governo federal disponibilizasse recursos e forças”, disse.

Na cidade do Rio de Janeiro, a Secretaria Municipal de Transportes informou que recebeu ofício dos consórcios de ônibus para comunicar que, em consequência da greve dos caminhoneiros, não estão recebendo diesel nas garagens. Os consórcios pediram apoio da prefeitura no contato com os órgãos de segurança pública para a escolta de carretas de combustível às garagens. Os consórcios solicitaram ainda autorização excepcional de contingenciamento da frota nas ruas até que a situação seja normalizada. Com isso, a circulação dos ônibus na cidade será afetada.

A prefeitura do Rio recomendou que a população faça os deslocamentos, prioritariamente, por transporte público de massa, como metrô, trem e VLT. Por causa disso, a secretaria pediu às concessionárias desses serviços um reforço diante da possibilidade de aumento da demanda de usuários. Os impactos causados pela greve dos caminhoneiros e a possibilidade de diminuição da frota de ônibus será monitorada pelo Centro de Operações (COR) da prefeitura do Rio. Com informações da Agência Brasil.



Lula afirma em carta que até adversários devem defender sua candidatura
Autor
Adriano Roberto

Lula afirma em carta que até adversários devem defender sua candidatura

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva escreveu carta para a Marcha dos Prefeitos, que ocorre até esta quinta-feira (24) em Brasília. No texto, o petista reafirmou sua candidatura e afirmou que até seus adversários políticos devem defender seu direito a concorrer ao Planalto.

As informações são da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo.

“Vocês são prefeitos eleitos, têm que ser respeitados por isso. Seria importante meus adversários também assumirem isso. Deixem o povo decidir quem será o próximo presidente”, afirma Lula.

O ex-presidente argumenta que, com fins políticos, difama-se e condena-se. “Isso não deveria preocupar apenas um partido, mas todos que prezam pela democracia e pela Justiça.”



Prefeitura de Amaraji realiza caminhada contra abuso sexual
Autor
Adriano Roberto

Prefeitura de Amaraji realiza caminhada contra abuso sexual

Conscientizar a população sobre o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes. Esse foi o objetivo da caminhada que percorreu as principais ruas do centro de Amaraji, nesta terça-feira (22). 

A Ação foi realizada pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência Social, e contou com o apoio do Ministério Público, da Câmara dos Vereadores, do Conselho Tutelar, do Condica, do Conselho Municipal de Assistência Social, além de diversas escolas das redes estadual, municipal e particular.

“A gestão municipal não tem medido esforços para combater o crime de abuso sexual contra crianças e adolescentes. Esse evento mostra que estamos trabalhando unidos a fim de mobilizar a população para ser nossa aliada nessa luta”, destacou a secretaria de Ação Social, Walquíria Santos. “É importantes que as pessoas denunciem essa prática por meio do Disque 100. O anonimato é garantido”, concluiu a gestora.



Antonio Souza, Júlio Lossio e Pr Jairinho participam de posse no PTC
Autor
Adriano Roberto

Antonio Souza, Júlio Lossio e Pr Jairinho participam de posse no PTC

O empreendedor social Antonio Souza, pré-candidato ao Senado pela Rede, junto com o pastor Jairinho e pré-candidato ao governo de PE, Júlio Lossio, vão prestigiar a posse do novo diretório estadual do PTC, comandado pelo ex-vereador de Araripina José Reginaldo, o Zé Bolacha. O ato, a ser realizado nesta quinta-feira, no RioMar Trade Center, a partir das 15h, contará com a presença do presidente nacional do PTC, Daniel Tourinho.

No encontro, serão debatidos os cenários políticos estadual e federal para 2018, bem como a reforma política e a nova legislação eleitoral. O PTC já declarou apoio oficial à pré-campanha de Antonio Souza, assim como o PPL, PRP, PROS e PMN, além da Rede. Único pré-candidato que tem apresentado propostas, Antonio Souza já conta com seis partidos no seu bloco de forças.

“Faço questão de ir ao ato do PTC parabenizar os amigos Daniel Tourinho e Zé Bolacha, pela grande construção que eles estão comandando à frente do partido em Pernambuco. Vamos percorrer todos os recantos do nosso estado junto com a Rede, PTC e as outras legendas da nossa coligação, levando a nossa mensagem em prol de um Pernambuco melhor para se viver”, afirmou Antonio Souza.



Comissão de Segurança da Alepe ouve especialistas do país
Autor
Adriano Roberto

Comissão de Segurança da Alepe ouve especialistas do país

Os deputados estaduais Alberto Feitosa e Nilton Mota participaram de encontros em São Paulo para ouvir especialistas na área de Segurança Pública. Os parlamentares são presidente e vice-presidente, respectivamente, da Comissão Especial para Proposição de Medidas de Segurança Pública instalada na Alepe, que irá produzir um documento apresentando sugestões que possam atualizar a legislação penal, intensificar as políticas de prevenção e a diminuição dos índices de violência no país.

Nesta segunda-feira (21), os deputados se reuniram com o ex-Secretário Nacional de Segurança Pública e especialista no assunto, o coronel José Vicente, além do Secretário de Segurança de São Paulo, Magino Barbosa Alves. Também foram ouvidos o Comandante Geral da Polícia Militar do Estado São Paulo (PMESP), o coronel Marcelo Salles, e o ex-comandante da corporação, coronel Nivaldo César Restivo. 

Os parlamentares visitaram hoje (22) o Fórum Brasileiro de Segurança Pública para uma conversa com os pesquisadores Roberta Astolfi, Daivid Marques e Marina Pinheiro. Além disso, Feitosa e Nilton Mota também tiveram encontros com o Coordenador do Centro de Pesquisa e Extensão em Ciências Criminais da Universidade de São Paulo, Maurício Dieter; e o coronel da reserva da PMESP e atual deputado estadual de São Paulo, Adriano Telhada. 

Segundo Feitosa, nos encontros foi possível discutir sobre ações de prevenção social, políticas de Estado e não apenas de Governo, além de mudanças na legislação penal do Brasil. “Tivemos reuniões muito proveitosas, onde foram debatidos assuntos como o Sistema Único de Segurança, aprovado recentemente pelo Congresso Nacional, definição de financiamento para as políticas de segurança, a atualização da legislação criminal brasileira, além dos casos exitosos de todo o país. Conseguimos colher informações e sugestões importantes para a construção do nosso trabalho dentro da comissão. Todos os ouvidos se colocaram à disposição para colaborar com essa iniciativa”, afirmou.



Levy Fidelix vira cidadão recifense e faz convenção do PRTB
Autor
Adriano Roberto

Levy Fidelix vira cidadão recifense e faz convenção do PRTB

O pré-candidato a presidente da República pelo PRTB, Levy Fidelix, tem dupla agenda na capital pernambucana. A partir das 16 horas, Levy participa da pré-convenção do seu partido, que ocorrerá no plenarinho da Câmara Municipal do Recife. Logo após, as 18 horas, ele recebe o título de cidadão recifense, que foi proposto pelo vereador Helio Guabiraba.



Marília é destaque na coluna de política do jornal Valor Econômico
Autor
Adriano Roberto

Marília é destaque na coluna de política do jornal Valor Econômico

Marília de Lula
Por Raymundo Costa

Lula começou a prestar atenção em Marília Arraes em agosto do ano passado, na sua última visita a Pernambuco, mas nunca imaginou que ela fosse tão longe. Vereadora pelo PT do Recife, neta do lendário Miguel Arraes - três vezes governador do estado, antes e depois do regime militar - Marília é uma ameaça real à reeleição do governador Paulo Câmara (PSB).

Nas pesquisas de opinião já aparece empatada tecnicamente com o ex-ministro Armando Monteiro (PTB), que esperava liderar a oposição na eleição de 7 de outubro. Marília, no entanto, pode não ser candidata, se vingar uma articulação nacional para juntar PT e PSB na eleição para a Presidência.

Marília duvida que o governador Paulo Câmara tenha cacife para levar o PSB a apoiar o PT na campanha ao Palácio do Planalto, embora Pernambuco seja a seção mais influente do partido, pois não disporia do mesmo carisma e influência de seu padrinho político, o ex-governador Eduardo Campos, morto em acidente aéreo na campanha presidencial de 2014.

Marília e Campos são primos, os dois netos de Arraes, mas já estavam afastados desde antes dela declarar que votaria em Dilma e não em Eduardo na eleição de 2014. Segundo Marília, o governador tenta atrair o PT por puro oportunismo, pois quer o tempo de TV do partido e o ex-presidente Lula a seu lado - mesmo preso em Curitiba, ele mantém prestígio em sua terra natal.

"Eles [o PSB] começaram a ficar desesperados para se aliar ao PT e, de quebra, retirar uma candidatura que vai para o segundo turno e ameaça o projeto de poder que eles têm no Estado". A questão regional e a candidatura do PT para presidente Marília conta que as palavras de Lula em relação a sua candidatura sempre foram "de incentivo e de animação com a mobilização da militância do PT de Pernambuco".

No último fim de semana ela reuniu cerca de 4 mil pessoas num ato de apoio a sua candidatura. No interior, Marília apresenta-se como a "candidata do Lula" - e Pernambuco e Bahia são os Estados que deram mais votos ao PT nas últimas eleições. Uma avaliação feita pelo PSDB baiano estima que Lula pode transferir até 80% dos votos que teve no Estado.

A candidata é realista: "Eu creio que tem sim uma vontade de fazer uma aliança nacional com o PSB, que o PSB apoie o candidato do PT à Presidência", diz. Mas entende que o PSB está vendendo terreno na lua. E que ao fim e ao cabo o PT apoiará sua candidatura. "O que a direção nacional nos diz é que temos que agrupar na construção da candidatura própria aqui".

Até porque o "objetivo da candidatura da gente é fazer a denúncia do que está acontecendo no Brasil, todas as candidaturas do PT têm como orientação fazer essa denúncia e defender o presidente Lula. Essa será uma campanha mais política do que eleitoral. O eleitoral vai ser consequência do trabalho político que for feito". Só algo "transcendente" poderia mudar esse quadro, acredita Marília.

O PT é gato escaldado quando o assunto é retirada de uma candidatura estadual própria. Na eleição de 1998, empenhando em entrar no eleitorado carioca, Lula vetou a candidatura do deputado Vladimir Palmeira e apoiou o candidato do PDT Anthony Garotinho, a fim de contar com a presença do ex-governador Leonel Brizola em seu palanque. O PT do Rio nunca se recuperou do trauma.

Em 2004 a cúpula do PT tentou retirar a candidatura de Luiziane Lins em Fortaleza em troca do apoio do PCdoB, mas recuou quando o episódio ganhou dimensão nacional. Luiziane foi eleita prefeita. A bola da vez é Marília. Ela tem oposição interna - o senador Humberto Costa acha mais conveniente o PT se aliar a Paulo Câmara. Mas é da trama nacional que vem o maior perigo. Na cúpula do PT considera-se difícil o apoio do PSB. Mas considera-se possível que o partido decida não apoiar ninguém no primeiro turno.

A presidente do partido, Gleisi Hoffmann, tem dito que Pernambuco é assunto para ser resolvido pelos petistas de Pernambuco. A definição será no encontro estadual marcado para 10 de junho, quando o PT decidirá sobre política de alianças e a candidatura própria ao governo. Na prática, a candidatura de Marília pode levar a um impasse do ponto de vista nacional devido à diferença de estratégias eleitorais. Por enquanto ela se mantém de pé, apesar da força gravitacional das articulações em curso que podem abater suas pretensões.

Um bom exemplo é a movimentação que envolveu os governadores petistas da Bahia, Rui Costa, do Ceará, Camilo Santana e o de Minas Gerais, Fernando Pimentel. O ajuste, que terminaria por envolver o governador do Maranhão, Flavio Dino (PCdoB), previa que Marcio Lacerda trocaria sua candidatura ao governo mineiro pela vice de Pimentel. E tinha a digital de Ciro Gomes, numa aparente tentativa de juntar o Nordeste em torno de sua própria candidatura ao Planalto. Não foi por outro motivo que Lula desautorizou o PT a discutir um Plano B para as eleições, em carta dirigida à senadora Gleisi Hoffmann. Enquanto isso, Marília Arraes continua rodando o Estado como a "candidata de Lula".

Em Pernambuco - afirma - "a esquerda está unida. Quem está dividida é a direita, entre o palanque que assume que participou desse processo [impeachment] e outro [PSB] que finge que nada aconteceu e não teve nada com isso, quando na verdade foi um dos seus articuladores".

Gleisi e os governadores do PT

A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, tem almoço marcado com os cinco governadores do partido amanhã, em Brasília. Ela vai repassar os recados de Lula, que não gostou nada de ver os executivos estaduais petistas saltitando em torno de um Plano B para o partido.

O MDB chora pitangas

No documento "Encontro com o Futuro", a ser divulgado hoje, o MDB chora as pitangas da impopularidade: "Não podemos nunca nos esquecer de que o governo que provocou a crise, com seus erros, foi durante quase todo o tempo aprovado pela maioria da população, e que o Governo que corrigiu aqueles erros, com resultados inequívocos, é reprovado pela maioria".

Raymundo Costa é repórter especial de Política, em Brasília.

Escreve às terças-feiras E-mail: raymundo.costa@valor.com.br



Efeito Lava Jato estimula candidaturas de 41 policiais federais
Autor
Adriano Roberto

Efeito Lava Jato estimula candidaturas de 41 policiais federais

Pelo menos 41 integrantes da Polícia Federal, entre delegados, agentes, escrivães e papiloscopistas, pretendem concorrer a uma vaga de senador, deputado federal e deputado estadual nas eleições deste ano. Como efeito da Operação Lava Jato, o número de agentes candidatos pulou de 16, em 2014, primeiro ano da investigação, para 26 neste ano. Outros 15 delegados tentarão um cargo eletivo em 2018.

A Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais) vai lançar nesta terça-feira (22) uma "frente de agentes" da PF para as eleições. Seis pré-candidatos são filiados ao PSL, partido do presidenciável Jair Bolsonaro, incluindo seu filho, Eduardo, candidato à reeleição na Câmara de Deputados, dois são filiados ao PPS, dois ao Solidariedade, dois ao PROS, dois à Rede, dois ao PRP, um ao PSDB e um ao PSB, além de outros partidos nanicos.

Entre os pré-candidatos está Plínio Ricciardi (PSD), que ganhou atenção ao ser filmado em operações da Lava Jato no Rio de Janeiro conduzindo políticos presos, como Jorge Picciani (MDB), ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio. Ricciardi e seu irmão foram apelidados nas redes sociais de "Gêmeos da Federal".

Outro pré-candidato é Flávio Werneck, presidente do Sindicato dos Policiais Federais no Distrito Federal e vice-presidente da Fenapef. "A sociedade está apostando nos policiais federais para combater a corrupção na política", disse Luis Antônio Boudens, presidente da Fenapef.

Na campanha de 2014, cinco policiais federais foram eleitos em cargos diversos. Neste ano, 15 delegados, segundo a ADPF (Associação dos Delegados da Polícia Federal), confirmaram a disposição de competir nas eleições. Nenhum atuou nas investigações das duas maiores praças da operação: Paraná e Rio de Janeiro. Hoje há apenas dois delegados com mandato de deputado federal: Fernando Francischini (PSL-PR) e Marcos Reátegui (PSD-AP).

Para o presidente da ADPF, Edvandir Paiva, a participação de policiais federais na política não atinge a imagem da Polícia Federal. São cerca de 3 mil delegados ativos e inativos, segundo Paiva, e apenas 15 candidatos.

"Não dá para dizer que isso represente qualquer risco para a Polícia Federal. É preciso manter a neutralidade da Polícia Federal, que é o nosso maior patrimônio. Quem entra na política, naturalmente acaba prejudicando sua carreira dentro da polícia, ele não pode conduzir determinadas investigações, para a PF não ser acusada de partidarismo. É uma preocupação nossa e da direção da PF. Por outro lado, o delegado tem o direito de ser candidato, apresentar suas propostas", disse Paiva.

Ao sair candidato, o policial fica afastado três meses das suas funções na PF, e enquanto durar a campanha. Se eleito, ele se licencia da corporação. Com informações da Folhapress.