Blog do Adriano Roberto


PF se prepara para cumprir ordem de prisão contra Lula, diz jornal
Autor
Adriano Roberto

PF se prepara para cumprir ordem de prisão contra Lula, diz jornal

A Polícia Federal começou a se preparar para cumprir uma eventual ordem de prisão contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado ontem (24) em segunda instância por lavagem de dinheiro e corrupção passiva a 12 anos e um mês de prisão.

Em março de 2016, quando a PF levou Lula em condução coercitiva para um depoimento, foi preciso escolta e uma operação especial devido aos protestos de militantes petistas em São Paulo, os quais entraram em confronto no aeroporto de Congonhas.

De acordo com uma reportagem do jornal "O Estado de S.Paulo", a cúpula da PF articula como proceder caso algum juiz emita uma ordem de prisão contra Lula. A ideia mais bem aceita no momento é a de combinar com os advogados do petista para que o ex-presidente se apresente para cumprir a pena voluntariamente. Lula não tem direito à prisão especial, pois não possui curso superior.

A PF, portanto, tenta deixar um plano pronto para garantir a segurança do ex-presidente e dos próprios agentes. Lula tinha sido condenado a nove anos e meio de prisão, em primeira instância, pelo juiz Sergio Moro, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo caso do triplex no Guarujá, apontado como um imóvel recebido da OAS Empreendimentos como favorecimento a contratos com a Petrobras.

Ontem, a 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, decidiu manter a condenação em segunda instância e elevar a pena para 12 anos e um mês de prisão. Mas não foi determinada prisão imediata, o que deve ocorrer apenas quando se esgotarem todos os recurso na corte. (ANSA)



Condenação de Lula quebra Bolsonaro e pode incentivar Huck, diz FHC
Autor
Adriano Roberto

Condenação de Lula quebra Bolsonaro e pode incentivar Huck, diz FHC

A condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em segunda instância pode deixar o petista fora da disputa presencial neste ano. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) lamentou a possibilidade de Lula ser preso e considera que a redução das chances de candidatura do petista vai detonar o início das composições políticas para as eleições de outubro.

FHC disse, em entrevista ao Valor Econômico, que a eventual saída de Lula da disputa eleitoral deve esvaziar a candidatura de Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

O deputado federal tem adotado um discurso radical que, segundo Fernando Henrique, se torna forte por fazer contraposição a Lula. No entanto, sem o petista na disputa, a participação de Bolsonaro será vista com outros olhos pelo eleitorado, avalia FHC.

O ex-presidente do PSDB disse ainda que não vê espaço para candidatos fora do sistema político e eleitoral, os chamados outsiders, mas não descarta a candidatura do apresentador de TV Luciano Huck.

De acordo com FHC, Huck pode se beneficiar caso Lula seja barrado pela Justiça ou se a candidatura tucana de Geraldo Alckmin não decolar. “Gosto do Luciano, sou amigo da família, mas ele é muito cru para ser presidente da República. Não acho que ele seja a maior possibilidade”, afirmou.

Além disso, Fernando Henrique Cardoso comentou sobre o ambiente de mudanças no cenário político. Segundo ele, é preciso limitar a quantidade de partidos, pois a existência de mais de 30 legendas torna o país ingovernável.



Sebastião adianta funcionamento do aeroporto de Serra em Brasília
Autor
Adriano Roberto

Sebastião adianta funcionamento do aeroporto de Serra em Brasília

O Aeroporto de Serra Talhada foi pauta da reunião que o secretário estadual de Transportes teve, nesta quarta-feira (24), em Brasília, como o secretário Nacional de Aviação Civil, Dario Rais Lopes.

Do encontro, Sebastião Oliveira saiu com duas importantes conquistas. A primeira delas foi a garantia dada por Dario Rais Lopes que, na próxima segunda-feira (29), serão repassados à Secretaria de Transportes de Pernambuco o montante de R$ 5 milhões, frutos do convênio entre os Governos Federal e Estadual.

Esse valor corresponde apenas a uma das parcelas do compromisso firmado entre a Secretaria de Aviação Civil e o Governo do Estado. 

A segunda boa notícia é que na terça-feira (30), dois militares, integrantes do Departamento do Espaço Aéreo (Decea), farão uma visita técnica ao aeroporto com o intuito de verificarem as condições técnicas e o local mais adequado para a instalação da Estação Meteorológica de Superfície  Automática (EMS).

O equipamento  é utilizado para auxiliar os voos da Companhia Aérea Azul e outras que venham a operar em Serra Talhada. 

“A cada dia o sonho se aproxima da realidade. Os esforços estão concentrados para conseguirmos as certificações o quanto antes”, comemora Oliveira. “ Para estar apto a receber aviões de maior porte, o equipamento precisou ser requalificado.

Apenas na pista de pouso de decolagem, o Governo de Pernambuco investiu cerca de 9,5 milhões”, finalizou Sebastião Oliveira.

PR pernambucano se movimenta para as eleições. 

O presidente estadual do Partido da República (PR), Sebastião Oliveira, se reuniu, nesta quarta-feira (24), em Brasília, com a Executiva Nacional da sigla. Na ocasião, Oliveira, que é deputado federal licenciado e secretário de Transportes de Pernambuco, apresentou dois  candidato do PR a vagas na Câmara dos Deputados: o deputado estadual e decano, Henrique Queiroz, e o  presidente da Câmara dos vereadores de Olinda, Jorge federal.
Sebastião Oliveira ressalta que os dois candidatos deixaram o encontro bastante satisfeitos, já que receberam sinal livre para a disputa e por terem garantido recursos do Fundo Eleitoral.


Sebastião Oliveira garante R$ 6 milhões melhorias em estradas

A liberação de R$ 6 milhões para serem investidos em duas estradas federais que cortam o estado de Pernambuco. Esse foi o saldo positivo da agenda que o secretário estadual de Transportes, Sebastião Oliveira, cumpriu, nesta quarta-feira (24), em Brasília.

Os recursos foram garantidos pelo diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Valter Cassimiro. De acordo com Sebastião Oliveira, as intervenções serão realizadas em três pontos críticos da BR-232 e outro na BR-408. 

As ações contemplarão os municípios de Tracunhaém, Serra Talhada, Flores e Custódia. “São obras que vão reforçar a segurança dos usuários, melhorar a mobilidade e dar mais conforto aos usuários.

Cada trecho receberá cerca de R$1,5 milhão em investimentos. Em Custódia, vamos construir uma passarela e novos acessos. Ouvimos a população e trabalhamos para garantir o dinheiro”, destacou Sebastião Oliveira.  

“Vamos atender estas demandas por meio do Programa de Revisão dos Pontos Críticos nas BRs. O Dnit entende que são intervenções importantes para Pernambuco”, explicou Valter Cassimiro.



Acompanhe aqui o julgamento de Lula


Sisu: veja como usar a nota do Enem para entrar em Universidades públicas
Autor
Adriano Roberto

Sisu: veja como usar a nota do Enem para entrar em Universidades públicas

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi criado para avaliar o conhecimento dos alunos que terminam o Ensino Médio. Foi ganhando importância ao longo do tempo e hoje é fundamental para participar de programas do Governo Federal de acesso ao ensino superior, tais como:

Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em universidades públicas

Programa Universidade para Todos (ProUni), que concede bolsas de estudo em faculdades particulares FIES, o financiamento estudantil a juros baixos

O desempenho no Enem também pode ser utilizado para complementar a nota do vestibular tradicional ou mesmo para substituir as provas em processos seletivos de faculdades privadas.

É importante lembrar que estudantes com menos de 18 anos que não estão cursando ou não cursaram o terceiro ano do ensino médio não podem usar a nota do Enem para entrar na universidade. O edital do Enem reforça que esses participantes devem estar cientes de que o desempenho que obtiverem Exame servirá apenas para “fins de autoavaliação de conhecimento”.

Veja as maneiras diferentes de como a nota do Enem pode ser usada para ingressar em instituições de ensino superior:

Enem como complemento do Vestibular

A nota do Enem pode ser usada para complementar seu desempenho no vestibular tradicional. É o caso de algumas universidades públicas bastante concorridas, como a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), entre outras.

As regras variam bastante de acordo com a instituição de ensino superior, assim como o cálculo da pontuação. Consulte o edital do Vestibular para entender como você poderá usar sua nota do Enem no processo seletivo da faculdade em que você pretende ingressar.

Enem para ingresso direto

São diversas as universidades particulares que oferecem a possibilidade de usar a nota do Enem como forma de ingresso em todo o Brasil. As regras variam de acordo com cada faculdade. Algumas  exigem desempenho mínimo nas provas objetivas e na Redação, mas para outras basta não ter zerado no Exame.

Inscrições do Sisu estão abertas

As inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do primeiro semestre de 2018 já estão abertas! Os interessados podem se inscrever até esta sexta-feira (26).

O Sisu é uma plataforma do Ministério da Educação (MEC) que seleciona estudantes para instituições públicas (federais e estaduais) de ensino superior usando a nota do Enem. Estão disponíveis 239.601 vagas em 130 instituições.

Para se inscrever, é obrigatório ter feito o Enem 2017, com nota na redação diferente de zero. Não podem participar treineiros (participantes do Enem menores de 18 anos no primeiro dia de realização da prova). A nota do Enem 2017 é a única fase do processo seletivo de todas as universidades participantes.

Os candidatos podem escolher até duas opções de curso. Para fazer o login no sistema é necessário o número de inscrição do Enem 2017 e a senha mais atual cadastrada no site. Todo o processo é gratuito.



PGE- PE altera datas das provas do concurso de procurador do Estado
Autor
Adriano Roberto

PGE- PE altera datas das provas do concurso de procurador do Estado

Da Folha de Pernambuco - As provas discursiva e objetiva do concurso para procurador do Estado de Pernambuco, que estavam marcadas para os dias 17 e 18 de março, foram adiadas em uma semana e serão aplicadas nos dias 24 e 25 de março. A informação é de uma portaria publicada no sábado (20) no Diário Oficial do Estado pela Procuradoria Geral do Estado de Pernambuco (PGE-PE).

O motivo da mudança é evitar que as provas coincidam com a segunda fase do concurso para defensor público do Estado de Pernambuco, marcada também nos dias 17 e 18 de março. O restante do cronograma permanece o mesmo.

O concurso será dividido em três fases, todas no Recife. Sendo a primeira uma prova objetiva de cem questões, de caráter eliminatório e classificatório. A segunda consiste numa prova discursiva com a elaboração de um parecer de até 60 linhas e de uma peça processual de até 90 linhas acerca do tema apresentado. Ambas com cinco horas de duração, cada.

A última fase de seleção é a avaliação de títulos, apenas de caráter classificatório. Entre os títulos estão: pós-graduação em nível de doutorado, mestrado ou especialização; título de professor de Direito havido em concurso público; livro no âmbito da ciência jurídica, de autoria individual; trabalhos publicados em periódicos especializados; arrazoados forenses; e exercício, por mais de um ano, de cargo de natureza jurídica em entidades públicas, inclusive cargos em comissão e empregos temporários.

O conteúdo inclui conhecimentos sobre Direito Constitucional, Direito Administrativo, Direito Tributário, Direito Processual Civil, Direito Civil e Empresarial, Direito do Trabalho, Direito Processual do Trabalho, Direito Penal, Direito Financeiro, Direito Previdenciário, e Direito Ambiental.

A divulgação do resultado final é prevista para o dia 29 de junho. O concurso tem validade de dois anos a partir da data da publicação da homologação do resultado, podendo ser prorrogado por igual período uma única vez.

O certame é executado pelo Cebraspe, sob a supervisão de Comissão Coordenadora formada por procuradores do Estado e com participação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Procuradoria – Criada pela Lei Complementar nº 02, de 20 de agosto de 1990, a PGE-PE é o órgão responsável pela representação judicial do Estado de Pernambuco e de suas autarquias, pela consultoria jurídica ao Poder Executivo e pela promoção da cobrança da dívida ativa.



WhatsApp vai passar a cobrar por determinados serviços
Autor
Adriano Roberto

WhatsApp vai passar a cobrar por determinados serviços

O WhatsApp anunciou que terá sua vertente voltada a empresas. O WhatsApp Business deverá chegar no Brasil em breve. O segmento abriu espaço para que a empresa fizesse sua primeira tentativa de monetizar a troca de mensagens na plataforma desde que anulou a anuidade de 1 dólar para consumidores finais.

De acordo com a revista Exame, Anne Yeh, gerente de de comunicação do mensageiro, informou que o aplicativo será gratuito para download. No entanto, vai cobrar por determinados serviços voltados para este mercado. A porta-voz não descarta a possibilidade de cobrar para exibir anúncios no WhatsApp.

"Nossa expectativa é ajudar essas empresas a melhorar seu serviço ao cliente e oferecer uma opção aos nossos usuários para que saibam que estão falando com empresas reais e legítimas", revela a gerente, sobre o objetivo do lançamento.

Lembrando que as empresas serão classificadas de duas formas pelo WhatsApp. A conta “Confirmed” garante que o número da conta é mesmo da empresa. E o status "Business" revela que a empresa está usando a modalidade empresarial do mensageiro, mas ainda não foi verificada pelo WhatsApp.

"A princípio, a maioria das empresas estará listada como Business Accounts, pois queremos ser atenciosos ao confirmar as empresas para certificar que são autenticas", diz Anne Yeh.



Posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho é suspensa pelo STF
Autor
Adriano Roberto

Posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho é suspensa pelo STF

Virou costume. Quase um ritual. Quando televisores e jornais dentro do Palácio do Planalto começam a priorizar notícias negativas para o governo, o presidente da República decide criticá-los ou, até mesmo, abandoná-los de vez.

Foi assim com Fernando Collor, que às vésperas da votação de seu impeachment disse que a televisão servia apenas para "poluir sua cabeça", com Fernando Henrique Cardoso, que classificava os jornais como "desastrosos", e com Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

A petista deixou de acompanhar tudo que lia sobre o Brasil —de colunas de opinião a revistas estrangeira— depois da Copa do Mundo de 2014, quando a crise de seu governo começou a recrudescer.

Não foi diferente com Michel Temer. Antes audiência assídua da maior parte dos jornais e revistas do país, o presidente tem diminuído a leitura que fazia dos principais veículos de imprensa e se informado com o resumo de relatórios elaborados por sua equipe de comunicação.

Com reportagens e análises adversas para o governo desde maio do ano passado, quando a delação da JBS veio a público implicando-o diretamente, Temer diminuiu o tempo dedicado às notícias diárias e se aprofundou nas articulações para que não seja alvo do que auxiliares têm chamado de "efeito Sarney".

"Ninguém gosta de noticiário negativo, ainda mais quem foi vítima de 'fake news' ou de 'ilação news' para derrubá-lo. Não se pode ficar feliz com meses de uma exploração midiática dessa", diz Elsinho Mouco, marqueteiro do governo, referindo-se às denúncias apresentadas pela Procuradoria-Geral da República.

"Agora, na média, Temer aceita o noticiário com serenidade. Ele sabe que quem tem coragem de mudar é criticado e demora a ser compreendido", completa Mouco.

O presidente, porém, não quer parecer alienado e instalou alertas em seu smartphone que o avisam das notícias de última hora. No mais, prefere conversas com ministros, senadores e deputados, geralmente com a TV de seu gabinete desligada.

Os baixíssimos índices de popularidade e as poucas chances de aprovar sua principal bandeira, a reforma da Previdência, fizeram com que assessores passassem a temer que o presidente não tenha poder político suficiente para chegar ao fim do mandato com alguma influência eleitoral.

Ministros avaliam que, na ânsia de não ficar isolado na formação de uma aliança de centro, Temer tem feito movimentos erráticos e pode terminar como o ex-presidente José Sarney (1985-1990).

Alçado ao Planalto após a morte de Tancredo Neves, Sarney encontrou seu auge em 1986, com o Plano Cruzado. Após o fracasso das medidas, no entanto, terminou o governo com popularidade baixa, reações negativas do mercado e sem força política —nem mesmo o candidato de seu partido, Ulysses Guimarães, defendeu seu mandato.

NA PRÁTICA

O presidente tem se movimentado para tentar mostrar que ainda é capaz de liderar um bloco de centro-direita.

Publicamente, colocou restrições a uma possível candidatura do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), e tentou erguer barreiras às articulações do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), enquanto ensaiava uma reaproximação com Geraldo Alckmin (PSDB) —os três disputam o posto de candidato ao centro que pode ser apoiado pela coalizão governista.

O tucano, porém, não dá indícios de que se venderá como o nome do Planalto. Mas trabalha para ter as siglas da base de Temer em sua órbita.

Na outra ponta, a avaliação de aliados de Meirelles é a de que Maia conseguiu capitalizar melhor o debate da reforma da Previdência. Se ela for aprovada, o deputado consegue surfar no sucesso da articulação do governo. Caso contrário, pode transferir o ônus do fracasso ao Planalto.



Finado Lula
Autor
Adriano Roberto

Finado Lula

Por Gabriel Tebaldi

“Nunca entre num lugar de onde tão poucos conseguiram sair”, alertou Adam Smith. “A consciência tranquila ri-se das mentiras da fama”, cravou o romano Ovídio. “Corrupção é o bom negócio para o qual não me chamaram”, ensinou o Barão de Itararé.

E na contramão de todos está alguém que abriu mão de si mesmo pelo poder. Lula construiu uma história de vida capaz de arrastar emoções e o levar à presidência. Agora, de modo desprezível, o mesmo Lula destrói-se por completo.

Não é preciso resgatar o tríplex, o sítio ou os R$ 30 milhões em “palestras” para atestar a derrocada do ex-presidente. Basta tão somente reparar a figura pitoresca na qual Lula se tornou.

O operário milionário sempre esbanjou o apoio popular e tomou para si o mérito de salvar o país da miséria. Contudo, junto disso, entregou-se aos afetos das maiores empreiteiras, não viu mal em lotear a máquina pública, nem constrangeu-se em liderar uma verdadeira organização criminosa.

Sem hesitar, brincou com os sonhos do povo e fez de seu filho, ex-faxineiro de zoológico, um megaempresário. Aceitou financiamentos regados a corrupção, fez festa junina pra magnatas e mentiu, mentiu e mentiu. O resultado, enfim, chegou: ao abrir mão de si mesmo, Lula perdeu o povo.

Pelas ruas, o ex-presidente é motivo de indignação e fonte de piadas. Lula virou chacota, vergonha, deboche. Restou-lhe a militância do pão com salame e aqueles que tratam a política com os olhos da fé messiânica.

Seu escárnio da lei confirma sua queda. Lula ainda enxerga o Brasil como um rebanho de gado e não percebe que está só, cercado por advogados que postergam seu coma moral. Enquanto ofende o judiciário e todos aqueles que não beijam seus pés, Lula trancafia-se na bolha de quem ainda acredita que meia dúzia de gritos e cuspes podem apagar os fatos.

O chefe entrou num mundo sem saída, trocou sua consciência pelo poder e corrompeu-se até dissolver sua essência. Lula morreu faz tempo. Restou-lhe, apenas, uma carcaça podre que busca a vida eterna no inferno de si mesmo.

Gabriel Tebaldi é graduado em História pela UFES



Fundação Antonio Souza protocola pedidos de duas obras importantes para o Araripe
Autor
Adriano Roberto

Fundação Antonio Souza protocola pedidos de duas obras importantes para o Araripe

Em reuniões no Ministério dos Transportes e na Secretaria Nacional de Aeroportos e Aviação Civil, em Brasília, dando continuidade às articulações que vinham sendo construídas em atenção às ações para Pernambuco, Antonio Souza, presidente da Fundação que tem o seu nome, e o conselheiro da Fundação Antonio Souza (FAS), Zé Bolacha, protocolaram um ofício solicitando a liberação de recursos para a ampliação do Aeroporto Regional do Araripe e para o asfaltamento da rodovia que liga Araripina, em Pernambuco, a Salitre, no Ceará que, além desses dois estados, interliga também o estado do Piauí.

Hoje o Aeroporto Regional do Araripe, localizado no município de Araripina, atende somente aos voos particulares da região. Com a ampliação do mesmo, a ideia é que haja uma reestruturação para o atendimento das demandas comerciais que contribuindo para aumentar a produtividade das empresas, gerar mais empregos, conectar as redes de transportes urbano e regional e oferecer novas oportunidades de negócios, além de aumentar a receita de impostos para os governos estadual e municipal.

Sobre o asfaltamento da PE – 585 à CE – 187, que interliga os estados de Pernambuco, Ceará e Piauí que formam a Tríplice Fronteira, esta ação vai contribuir definitivamente para a Mesorregião da Chapada do Araripe, pois permitirá um maior escoamento das produções de gesso e mandioca, além de permitir a mobilidade de milhares de pessoas.

De acordo com Antonio Souza, é essencial a necessidade de agilização da liberação desses recursos, tendo em vista a importância fundamental dessas obras para os estados, aquecendo suas economias e possibilitando alternativas ao desenvolvimento, com um incremento substancial na geração de novos negócios junto aos demais estados e até outros países.



Governo recebe com alívio decisão do STJ e dará posse a Cristiane Brasil
Autor
Adriano Roberto

Governo recebe com alívio decisão do STJ e dará posse a Cristiane Brasil

Por Gerson Camarotti - O governo recebeu com alívio neste sábado (20) a decisão do ministro Humberto Martins, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que derrubou a liminar que impedia a posse da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) no Ministério do Trabalho.

Com a decisão, a estratégia é já dar posse a parlamentar nesta segunda-feira (22) antes de o presidente Michel Temer embarcar para a Suíça, onde participará do Fórum Econômico Mundial, em Davos.

Temer recebeu a notícia no Palácio da Alvorada, onde esteve reunido com integrantes da área jurídica do governo: os ministros Torquato Jardim (Justiça) e Grace Mendonça (Advocacia-Geral da União) e o subchefe para Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Gustavo Rocha.

“Com a decisão, a vontade do presidente Michel Temer de dar posse à deputada Cristiane Brasil finalmente será acatada”, disse ao blog a ministra Grace Mendonça.

De forma reservada, integrantes do governo avaliavam que a análise do caso estava contaminada no Tribunal Regional Federal da 2ª Região, no Rio de Janeiro, com toda a repercussão política local, já que o Cristiane e seu pai, o ex-deputado Roberto Jefferson, atuam politicamente no estado.

A estratégia de esperar para entrar no Supremo Tribunal Federal (STF) também teve um motivo extra: foi só nesta semana que o ministro Humberto Martins assumiu o plantão do STJ.

Havia dúvidas em relação a qual seria a posição da ministra Laurita Vaz, presidente do STJ, que estava no plantão da corte até então.

O governo também evitou entrar no Supremo por temer também uma decisão desfavorável da ministra Cármen Lúcia, que está no comando do plantão.



Temer assina projeto de lei para a privatização da Eletrobras
Autor
Adriano Roberto

Temer assina projeto de lei para a privatização da Eletrobras

O presidente Michel Temer assinou nesta sexta-feira projeto de lei para a privatização da Eletrobras. O documento deverá ser enviado ao Congresso Nacional na próxima segunda-feira.

Segundo o governo, a privatização vai permitir o desenvolvimento do mercado de energia. “A medida promove a correta alocação dos riscos do negócio de geração de energia elétrica, especialmente do chamado risco hidrológico, permitindo maior abertura do mercado e promovendo a ampliação da competição no mercado livre”, diz comunicado assinado por Temer e os ministros Fernando Coelho (Minas e Energia), Henrique Meirelles (Fazenda), Dyogo Oliveira (Planejamento), Wellington Moreira Franco (Secretaria-Geral) e Eliseu Padilha (Casa Civil).

Atualmente, o governo tenta derrubar uma decisão judicial que suspendeu trecho da Medida Provisória 814, editada no final de 2017, que retirava vetos à inclusão da Eletrobras no Programa Nacional de Desestatização (PND).