Blog do Adriano Roberto


Paulista apresenta pior índice de redução da violência após trabalho da Força Nacional
Autor
Adriano Roberto

Paulista apresenta pior índice de redução da violência após trabalho da Força Nacional

A Força Nacional está atuando em Paulista desde o início de setembro. O trabalho faz parte do projeto do Governo Federal “Em Frente, Brasil” para combater a violência em 5 cidades com altas taxas de criminalidade em cada região do país.

O Ministro da Justiça, Sérgio Moro esteve em Paulista para acompanhar os trabalhos realizados na cidade e estuda da possibilidade de prorrogar a operação da Força Nacional na cidade.

Em comparação com as demais cidades, Paulista foi a que menos reduziu os índices de violência. O problema do tráfico de drogas continua latente em alguns bairros e a alta taxa de desemprego na cidade, com apenas 10,7% da população ocupada, aliada à falta de políticas públicas, contribui para que a criminalidade continue elevada . Entre as 15 cidades da Região Metropolitana, Paulista é a 10ª em oportunidade de emprego, perdendo para Abreu e Lima, Igarassu e Itapissuma.

CIDADES/ ÍNDICE DE REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA

Ananindeua (PA) -61,1%
Goiânia (GO) – 60,0%
Cariacica (ES) – 42,1%
São José dos Pinhais (PR) – 40,0%
Paulista (PE) – 33,3%

Diante da delicada situação que Paulista vivencia e a necessidade de uma renovação política, começam a surgir nomes da oposição como pré-candidatos a disputa do pleito de 2020 para a Prefeitura de Paulista.

OS PRÉ-CANDIDATOS DA OPOSIÇÃO

Nena Cabral – PSDB
Ronaldo e Felipe do Veneza – DEM
Rufino – PRTB
Edmilson do MOP – PSL
Marcondes – PROS
Vinicius Campos – Solidariedade
Cleide Andrade – PSOL
Alemão – PP



Aprovação do acordo de Alcântara na Câmara foi histórico, diz ministro
Autor
Adriano Roberto

Aprovação do acordo de Alcântara na Câmara foi histórico, diz ministro

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, comemorou hoje (23), em São Paulo, a aprovação na Câmara do decreto legislativo sobre o acordo de salvaguardas tecnológicas assinado pelo Brasil e pelos Estados Unidos para permitir o uso da base de Alcântara (MA). Em entrevista à Agência Brasil, o ministro disse que a aprovação na Câmara, ontem (22), foi um “momento histórico para o programa espacial”.  O projeto ainda precisa de aprovação do Senado, antes de passar pela sanção presidencial.

“O acordo de salvaguardas tecnológicas estava em negociação há 20 anos. Ontem foi um momento histórico para o programa espacial brasileiro, para as comunidades todas da região de Alcântara que vão ter a qualidade de vida melhorada consideravelmente. É um primeiro passo. Temos ainda o Senado. Mas uma vez que esteja aprovado no Congresso, passamos para a segunda fase desse projeto, que são os planos de negócio, que vão ser feitos com as comunidades locais, governo local, empresas e escolas. Uma vez aprovado o plano de negócios, iniciamos as operações”, disse.

A expectativa do ministro é de que todo o plano de negócios, as melhorias iniciais de infraestrutura necessárias para o começo das operações e as negociações internacionais possam demorar cerca de um ano. “Para 2021 poderemos ter o início das operações”, disse.

O ministro participou hoje da 11º Dia da Engenharia Brasil-Alemanha, realizado pela Associação de Engenheiros Brasil-Alemanha (VDI-Brasil). Durante o evento, ele recebeu o prêmio VDI-Brasil - Destaque de Engenharia de 2019.

5G

Durante o evento, o ministro falou aos engenheiros que o leilão do 5G deve ocorrer no ano que vem. “As quatro frequências do 5G estão sendo limpas. Tem algum problema ainda [na faixa dos] 3,5 GHz. Estão fazendo testes para verificar a não interferência com antenas parabólicas”. 

Pontes explicou que o processo está em andamento para que o leilão de frequências ocorra em 2020. “[Isso] vai permitir o começo da aplicação do 5G no país que, ligado com a Internet das Coisas [Plano Nacional da Internet das Coisas, cujo decreto foi publicado em junho], vai revolucionar muitos setores”, disse.

Ciência na Escola

O ministro comentou ainda sobre o projeto Ciência na Escola. Ele disse que o programa visa levar ciência e tecnologia para os ensinos Fundamental e Médio. Segundo Pontes, a ideia é melhorar a qualidade do ensino de ciências. 

“Para isso, temos ações que levam crianças para dentro das universidades e de nossos equipamentos de pesquisa. E também pesquisadores para dentro das escolas, com melhoria da formação de professores de ciências, além de competições e olimpíadas científicas. É um programa grande, em âmbito nacional, que deve ser ampliado pelo Ministério da Educação para o ensino profissionalizante”, disse.

Segundo Pontes, os editais do programa já estão em andamento. “A gente espera que no ano que vem já tenhamos os primeiros resultados sendo apresentados para o país”.



Briga no PSL, Bolsonaro diz que não pretende retaliar grupo de Bivar
Autor
Adriano Roberto

Briga no PSL, Bolsonaro diz que não pretende retaliar grupo de Bivar

Em meio a um embate interno no PSL, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que não pretende retaliar deputados federais do grupo do presidente nacional da sigla, Luciano Bivar, e questionou de que lado eles ficarão às vésperas das eleições municipais de 2020.

Em sua última manhã no Japão, de onde embarcará para a China, ele chamou os defensores do dirigente da sigla de "radicais" e disse que, na opinião dele, a situação no partido "serenou" após a definição de seu filho Eduardo Bolsonaro (SP) como líder do partido na Câmara dos Deputados.

"Os defensores de Luciano Bivar, os radicais, estão dizendo que vão continuar me apoiando. Afinal de contas, querem disputar a prefeitura no ano que vem e eu pergunto: eles querem aparecer na fotografia comigo ou com Bivar?", questionou.

Desde o início do mês, Bolsonaro tem protagonizado uma disputa com o presidente nacional do PSL. A queda-de-braço já levou ao afastamento dos deputados federais Delegado Waldir (GO) e Joice Hasselmann (SP), do grupo de Bivar, de funções de líderes.

Segundo ele, Joice, que trocou ataques nas redes sociais com o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), já se acalmou. Para o presidente, não se pode ter mágoas na política. Ele observou, porém, que algumas críticas são "difíceis de engolir", em uma referência a Waldir, que chamou Bolsonaro de "vagabundo".

"Ela [Joice] mesmo já serenou bastante, está serenando. A gente não pode ter mágoas na política, mas a gente reconhece os amigos nessas horas", disse." Há alguns nomes que são difíceis de engolir sobre o que falaram a meu respeito. Eu não vi isso nem no Parlamento das piores democracias ou melhores ditaduras", afirmou.

Na volta de uma viagem de mais de dez dias pelo continente asiático, o presidente já disse que pretende conversar com alguns integrantes do grupo de Bivar, em uma tentativa de se chegar a um consenso. Para ele, a situação deve passar por um arrefecimento.

Além do Japão e da China, Bolsonaro visitará a Arábia Saudita, os Emirados Árabes e o Qatar. Ele só retornará ao Brasil em novembro. Nos demais países, o foco será melhorar a relação comercial com as nações asiáticas e aumentar o comércio de proteína animal.



Marinha diz que mais de mil toneladas de óleo foram retiradas do NE
Autor
Adriano Roberto

Marinha diz que mais de mil toneladas de óleo foram retiradas do NE

A Marinha informou que, até ontem (22), foram recolhidas mais de 1 mil toneladas de resíduos recolhidos das praias do Nordeste. De acordo com a instituição, desse número quase a metade teve a destinação final realizada. 

Esse trabalho tem sido feito por meio de uma interlocução direta com os estados afetados, articulações com o Sindicato Nacional das Indústrias de Cimento (SNIC) e com a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP). 

No encontro, foram identificados possíveis recebedores para esses resíduos coletados, para realizar a destinação final ambientalmente adequada. O objetivo é absorver grande parte do material recolhido para ser reaproveitado em coprocessamento.

Origem do despejo

Pesquisadores do Laboratório de Métodos Computacionais em Engenharia (Lamce) da Coppe/UFRJ acreditam que o ponto de origem do despejo de óleo que polui a costa do Nordeste esteja em uma área entre 600 km e 700 km da costa brasileira, numa faixa de latitude com centro na fronteira entre Sergipe e Alagoas. 

O trabalho foi realizado por meio de imagem de satélite, computação de alto desempenho e modelo matemático.  

A investigação foi feita pelos professores da Coppe, Luiz Landau, coordenador do laboratório, e o professor colaborador Luiz Assad, a pedido da Marinha. A área apontada fica em águas internacionais. Segundo o professor Landau, essa parte da análise já foi entregue às Forças Armadas. 

Na próxima semana, os pesquisadores da Coppe começam a trabalhar para antecipar a maneira como ocorrerá a dispersão de óleo de agora em diante.

“Há muita incerteza com relação à trajetória de óleo, porque ele correu abaixo da superfície. Não sabemos quanto tempo esse óleo demorou para intemperizar, ou seja, sofrer processos de mudanças das características físico-químicas para entrar abaixo na coluna d’água”, disse o professor Luiz Assad.



PF investiga grupo de empresas que fraudava licitações da Petrobras
Autor
Adriano Roberto

PF investiga grupo de empresas que fraudava licitações da Petrobras

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quarta-feira (23) a 67ª fase da Operação Lava Jato, denominada Tango & Cash. Para investigar um grupo de empresas que se juntaram em uma espécie de “clube” para vencer fraudulentamente licitações de grandes contratos com a Petrobras. A partir de 2006, segundo a PF, o clube chegou a ser composto por 16 grupos empresariais.

“A fim de dar aparência de licitude ao pagamento de propinas, o grupo empresarial investigado repassava valores via empresas offshore a ex-diretores e ex-gerentes da Petrobras, mediante a celebração de contratos fraudulentos de assessoria/consultoria. Um dos ex-diretores da estatal recebeu, entre 2008 e 2013, US$ 9,4 milhões, percebendo parcelas de propina mesmo depois de ter deixado o quadro da empresa em 2012”, diz a PF.

Policiais Federais cumprem 23 mandados de busca e apreensão nos estados de São Paulo, do Rio de Janeiro e Paraná. A Justiça determinou também o bloqueio de ativos financeiros dos investigados no valor aproximado de R$ 1.7 bilhão.

De acordo com as investigações, suspeita-se de que propinas pagas em obras pela empresa envolvida nessa fase seria de 2% do valor de cada contrato, o que pode ter gerado o pagamento de R$ 60 milhões em propina.

Os mandados judiciais foram expedidos pela 13ª. Vara Federal de Curitiba e objetivam a apuração de crimes de corrupção ativa e passiva, além de lavagem de capitais.

Segundo a PF, o nome da operação, Tango & Cash, faz referência aos valores de pagamento das propinas e ao fato de que a empresa envolvida na investigação pertencer a um grupo ítalo-argentino.



Guedes: Estamos muito felizes; agora vamos para o pacto federativo
Autor
Adriano Roberto

Guedes: Estamos muito felizes; agora vamos para o pacto federativo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, comemorou o resultado da votação da reforma da Previdência em segundo turno no Senado e disse esperar a mesma boa vontade do Congresso Nacional com as demais reformas que estão sendo preparadas pela equipe econômica. "Estamos muito felizes com o resultado. 

Agora vamos para o pacto federativo, com várias dimensões", afirmou o ministro ao deixar o plenário do Senado Federal de onde acompanhou a proclamação do resultado final da votação. O texto-base foi aprovado por 60 votos a 19, um placar mais favorável do que o registrado no primeiro turno no Senado, que foi de 56 a 19.

"O sentimento é bom, é de que o Congresso fez um bom trabalho", disse Guedes que classificou o desempenho do Senado como "excepcional".

Apesar da comemoração, o ministro ressaltou que o ideal é que o Congresso aprove o texto paralelo da reforma da Previdência para incluir Estados e municípios nas mudanças. "Não adianta resolver o federal (na Previdência) e Estados e municípios não", disse.

Em relação às próximas reformas, que incluem o pacto federativo e as reformas administrativa e tributária, Guedes afirmou que serão os presidentes da Câmara e do Senado que farão o "processamento político" das propostas, isto é, a decisão de quem começa a discutir o quê. Quando questionado sobre o pacto federativo, o ministro afirmou que "semana que vem vocês (jornalistas) estarão com tudo".



Senado aprova texto-base da reforma da Previdência por 60 votos a 19
Autor
Adriano Roberto

Senado aprova texto-base da reforma da Previdência por 60 votos a 19

Após anos de tentativas empreendidas por diferentes governos, o Congresso Nacional aprovou a criação de uma idade mínima para aposentadoria no Brasil. A mudança retira o País de um grupo restrito de nações que ainda permite a concessão do benefício considerando apenas o tempo de contribuição, característica que, segundo a área econômica, privilegia trabalhadores de maior renda.

A proposta garante uma economia de R$ 800,3 bilhões em 10 anos, caso o Congresso rejeite os quatro pedidos de mudança feitos diretamente no plenário do Senado.

A votação do texto-base em segundo turno no Senado teve 60 votos a favor e 19 contra. A aprovação final da proposta ocorre oito meses após o envio formal do texto ao Parlamento. A minuta da reforma foi antecipada no início de fevereiro pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

A batalha, porém, começou em gestões anteriores. O País esteve perto de aprovar uma idade mínima para todos os trabalhadores no governo Fernando Henrique Cardoso, mas não conseguiu por uma diferença de apenas um voto.

Com o agravamento das contas públicas e o aprofundamento do déficit da Previdência, o governo Michel Temer apresentou uma ampla proposta de reforma em dezembro de 2016. A articulação, porém, naufragou diante das denúncias contra o agora ex-presidente. Neste ano, a previsão é que o déficit do INSS e dos regimes próprios de servidores federais civis e militares chegue a R$ 292 bilhões.

Em único ano, o governo precisa gastar o equivalente a dez orçamentos anuais do Bolsa Família para cobrir o rombo nas aposentadorias e pensões.

Segundo a equipe econômica, a reforma aprovada não vai acabar com o rombo, mas estancará o processo de aumento do rombo. Ela prevê que novos trabalhadores só poderão se aposentar com idades de 62 anos (mulheres) e 65 anos (homens), tanto na iniciativa privada quanto no setor público federal, com tempo mínimo de contribuição de 15 anos (mulheres), 20 anos (homens) e 25 anos para servidores de ambos os sexos. Professores, policiais e profissionais expostos a agentes nocivos (como quem trabalha na mineração) têm regras mais brandas.

Quem já está no mercado de trabalho poderá escolher a mais vantajosa entre as regras de transição. Durante esse período, o tempo mínimo de contribuição permanece em 15 anos para homens e mulheres.

Além de aumentar o tempo para se aposentar, a reforma também eleva as alíquotas de contribuição para quem ganha acima do teto do INSS. Os 1.142 servidores federais que ganham acima do teto remuneratório de R$ 39 mil, por exemplo, pagarão alíquotas crescentes, que chegam a 22% sobre a parcela que excede o limite salarial na União. Em contrapartida, quem ganha um salário mínimo (R$ 998) terá até um alívio na contribuição para o INSS. As novas alíquotas começam a valer em 1º de fevereiro de 2020.

As novas normas não valerão para os servidores estaduais e dos municípios com regime próprio de Previdência, uma vez que a Câmara retirou os governos regionais do alcance das novas regras. O governo ainda tenta aprovar uma mudança constitucional "paralela" para reincluir Estados e municípios.



Eduardo Bolsonaro desiste de ser embaixador nos Estados Unidos
Autor
Adriano Roberto

Eduardo Bolsonaro desiste de ser embaixador nos Estados Unidos

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) desistiu de ocupar o cargo de embaixador em Washington. O anúncio foi feito em pronunciamento no plenário da Câmara na noite desta terça-feira, 22, durante a aprovação do acordo entre o Brasil e os Estados Unidos para o uso comercial da base de Alcântara (MA). O filho do presidente Jair Bolsonaro e atual líder do PSL, Eduardo afirmou que "fica" no País para defender a pauta conservadora e o governo do pai.

"Esse aqui que vos fala, filho de militar do Exército brasileiro e deputado federal, que foi zombado por ter, aos 20 anos de idade, um trabalho digno e honesto em restaurante fast-food nos Estados Unidos, diz que fica no Brasil para defender os princípios conservadores, para fazer o tsunami que foi a eleição de 2018, uma onda permanente. Assim, me comprometo a caminhar por São Paulo, pelo Brasil e pelo povo", afirmou o deputado.

A decisão de Eduardo já era esperada por auxiliares de Bolsonaro, que afirmavam que, apesar da peregrinação que fez junto aos senadores, o parlamentar não conseguiu apoios suficientes para ser aprovado para o cargo - o que poderia levar a uma derrota emblemática para o governo.

Além disso, o movimento do presidente para colocar o filho na liderança do PSL, na semana passada, ajudou a inviabilizar a possibilidade do deputado de assumir a Embaixada Brasileira em Washington. "A liderança ainda está instável, mas, a princípio, só (fico) até o final do ano", afirmou o deputado.

De acordo com Eduardo, a rejeição do eleitorado à saída dele da Câmara também pesou na decisão. "A gente escuta conselhos, e confesso que ainda tem o meu eleitorado. Confesso, não era a maioria que estava apoiando", afirmou.



Marco Aurélio elogia Mourão por convocar Exército para limpeza do óleo e faz críticas a João Campos
Autor
Adriano Roberto

Marco Aurélio elogia Mourão por convocar Exército para limpeza do óleo e faz críticas a João Campos

O deputado Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB), líder da oposição na Assembleia legislativa de Pernambuco, enalteceu a atitude de seu correligionário e presidente em exercício, Hamilton Mourão (PRTB), por convocar cerca de 5 mil militares da 10ª Brigada de Infantaria Motorizada do Exército, em Recife, para reforçar as ações de limpeza das praias atingidas por óleo em Pernambuco.

“A atitude tomada pelo governo federal, através da convocação do vice-presidente Mourão, para que o Exército também atue na retirada do óleo que infelizmente tomaram conta do nosso litoral, foi de extrema importância. Mostra que o governo federal também está preocupado e atencioso com a situação.

Ações estão sendo tomadas desde o princípio, com atuação dos órgãos nacionais responsáveis e o acionamento do Plano Nacional de Contingência para esse tipo de incidentes”, argumentou o parlamentar.

Após reunião no Ministério da Defesa sobre o vazamento, o presidente em exercício disse que estão sendo distribuídos equipamentos à Defesa Civil dos estados e municípios. Por outro lado, Marco Aurélio fez críticas ao deputado federal João Campos, que anunciou a criação de uma CPI do vazamento do óleo.

“É claro que queremos respostas, descobrir os responsáveis por esse desastre ambiental, porém tem gente sendo oportunista, querendo inclusive uma CPI e sendo voluntário de fachada para fazer propaganda, isso é lamentável, usar um momento triste como este para fazer politicagem”, destacou o parlamentar.



Secretário de Turismo leva Pernambuco ao declínio total
Autor
Adriano Roberto

Secretário de Turismo leva Pernambuco ao declínio total

O fracasso do deputado licenciado e secretário de Turismo de Pernambuco, Rodrigo Novaes, fica cada vez mais em evidência.  A falta de articulação e habilidade do gestor da pasta tem trazido sérios prejuízos ao Estado.

Já nesse segundo semestre, Pernambuco perdeu 27 municípios que figuravam o Mapa do Turismo Brasileiro. A queda foi de 26,2%, trinta municípios ficaram de fora. Um verdadeiro golpe no turismo estadual. Estar fora do Mapa do Turismo inviabiliza que as cidades recebam investimentos federais.

Mais um prejuízo para os pernambucanos. Afinal, essa verba deverá sair dos cofres municipais e estadual. Seguindo a sequência de desmandos, ainda ontem, recebemos a ingrata notícia de que o nosso estado perdeu dois voos internacionais.

A empresa aérea Air Europa cancelou um voo que ligava o Recife e Madri; a alemã Condor suspendeu o voo Recife-Frankfurt. Pernambuco segue perdendo o protagonismo no cenário nacional, quiçá mundial.

Como se não bastasse, nos bastidores, o clima entre os deputados da base do Governo é de absoluto aborrecimento com as atitudes do secretário Rodrigo Novaes, que mais parece preocupado com a sua promoção a deputado federal que propriamente defender os interesses dos pernambucanos. Vamos acompanhar e ver até quando ele seguirá levando o turismo estadual à falência.



Caixa antecipa pagamento de saque do FGTS a todos os trabalhadores
Autor
Adriano Roberto

Caixa antecipa pagamento de saque do FGTS a todos os trabalhadores

A Caixa Econômica Federal informou nesta segunda-feira, 21, que antecipará, para 2019, os pagamentos a todos os trabalhadores do saque imediato do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Os saques dizem respeito a contas ativas e inativas do fundo, limitados a até R$ 500 por conta.

Para quem possui conta de poupança na Caixa, os valores são depositados automaticamente. Estes valores já foram depositados até o dia 9 de outubro.

Para quem não possui conta na Caixa, os saques podem ser feitos pelos canais de atendimento do banco (lotéricas, agências, caixas de autoatendimento e correspondentes bancários). Neste caso, os pagamentos começaram em 18 de outubro para os brasileiros com data de aniversário em janeiro. Quem optar pela transferência de recursos para outros bancos não precisará pagar nenhuma taxa.

Novo cronograma

Pelo novo cronograma, divulgado nesta segunda-feira pela Caixa, todos os trabalhadores poderão sacar o valor referente ao saque aniversário ainda em 2019. Para quem nasceu em fevereiro ou março, o início do saque será em 25 de outubro.

Para nascidos em abril e maio, o saque começa em 8 de novembro.

Para quem faz aniversário em junho e julho, o saque começa em 22 de novembro.

Para quem nasceu em agosto, o início será em 29 de novembro.

No caso de quem faz aniversário em setembro e outubro, a data de início é 6 de dezembro.

Por fim, para quem faz aniversário em novembro e dezembro, a data é 18 de dezembro de 2019.

A data-limite para recebimento dos valores continua sendo 31 de março de 2020.

Anteriormente, a previsão da Caixa era de que os saques imediatos somente seriam finalizados em 6 de março de 2020, quando seriam pagos os valores para quem faz aniversário em dezembro.

Estímulo à economia

Em 24 de julho, o governo anunciou a liberação de saques de até R$ 500 de contas ativas (referentes a contratos de trabalho atual) e inativas do FGTS. O limite é por conta. A projeção do governo era de que os saques do FGTS injetassem R$ 40 bilhões na economia até 2020, sendo que R$ 28 bilhões seriam para este ano e R$ 12 bilhões para o próximo ano.

Com a mudança anunciada hoje, R$ 40 bilhões serão liberados já em 2019. "A estratégia adotada pela Caixa soma agilidade, eficiência e tecnologia", afirmou o presidente do banco, Pedro Guimarães, em comunicado distribuído a jornalistas.

Segundo ele, a eficiência demonstrada pela Caixa "permite a antecipação do pagamento a todos os 96 milhões de trabalhadores até dezembro, possibilitando a injeção de cerca de R$ 40 bilhões na economia ainda esse ano".



Bolsonaro, em Tokio, diz que o Brasil está reconquistando o mundo
Autor
Adriano Roberto

Bolsonaro, em Tokio, diz que o Brasil está reconquistando o mundo

Ao chegar a Tóquio, capital do Japão, o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou que o país está reconquistando sua confiança no mundo. "Teremos umas bilaterais no dia de amanhã, o mundo todo está interessado na gente, estamos reconquistando a confiança do mundo" disse nesta segunda-feira (21) à imprensa.

De acordo com o presidente, a viagem atual, que inclui no roteiro Japão, China, Emirados Árabes, Catar e Arábia Saudita, não é apenas uma viagem de negócios, mas de relacionamento. "Para agora, a vinda aqui não é negócio em si, é bom relacionamento", disse. "O Brasil é um País inexplorado ainda, e tudo que puder fazer em parcerias com países como Japão, no que depender de mim será feito."

Bolsonaro ainda destacou as qualidades da população local. "Um povo tradicional, de respeito, terceira economia do mundo, em um pedaço de terra que não tem quase nada. Então isso prova a garra e determinação, que um povo tem para com seu país."

No Japão o presidente Jair Bolsonaro vai participar, no dia 22 de outubro, da cerimônia de entronização do imperador Naruhito. O evento vai ocorrer no Palácio Imperial em Tóquio (capital japonesa). “É um evento lá que é tradicional deles e eu estou dando um gesto com isso de que nós temos carinho e consideração, eu sempre tive particularmente com o Japão”, afirmou Bolsonaro.

É a segunda vez que o presidente Bolsonaro vai ao Japão este ano. Em junho, ele esteve em Osaka para participar da reunião do G20 que reúne as maiores economias do mundo.