Blog do Adriano Roberto


Secretário de Paulo Câmara mente descaradamente aos servidores de PE
Autor
Adriano Roberto

Secretário de Paulo Câmara mente descaradamente aos servidores de PE

O secretário da fazenda de Pernambuco, Décio Padilha, não fica nem vermelho em mentir tanto para os servidores estaduais. Está distribuindo uma pauta a para mídia vendida, e esta publica imediatamente no Ctrl-C - Ctrl-V, dizendo que sem dinheiro, Pernambuco pode atrasar salário de servidores. 

Décio afirmou que a crise provocada pelo novo coronavírus causou uma perda de mais de R$ 1 bilhão na arrecadação para o estado. 

MENTIRA

Conversando com alguns dirigentes logistas e alguns empresários de ponta do Estado pra saber que é só ver nos portais de transparência de Pernambuco e do Governo Federal o montante de dinheiro enviado pela União e ainda resta saber onde estão a emendas parlamentares que foram encaminhadas aos rodos (testemunhadas publicamente pelos próprios deputados estaduais e federais). Lembrando que dia 09/07 está chegando mais ajuda financeira federal. É claro que a arrecadaçaõ diminuiu, mas nunca a ponto de sacrificar a folha de pagamento. 

MATÉRIA DIVULGADA

O Governo PE não pode enganar o servidor dessa forma. Sabe-se que muito dinehiro federal veio carimbado para ser usado só na saúde, mas também veio bilhões para ajudar a completar a arrecadação dos cofres estaduais. Veja a matéria enviada pela assessoria do Governo:

O secretário da Fazenda de Pernambuco, Décio Padilha, afirmou em entrevista ao programa Passando a Limpo, da Rádio Jornal, nesta quinta-feira (4), que podem acontecer atrasos no pagamento de fornecedores e servidores do estado, por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Segundo o chefe da pasta, pernambuco registrou uma queda na arrecadação de R$ 1 bilhão no ICMS desde março

“Perdemos, em três meses, mais de R$ 1 bilhão, e a arrecadação de junho vai ser muito ruim. Então, há, sim, um risco de aumentar o atraso e de voltar os atrasos que tinham antes. Porque a ajuda federal é bem insuficiente, e não estou reclamando do tamanho dela, mas há uma possibilidade de voltar os atrasos, sim, mesmo com a ajuda federal. 

A suspensão do pagamento de dívidas seria um fôlego para o os governadores, mas ele [Bolsonaro] vetou, por insistência de Paulo Guedes. Então, em virtude desse veto, como [Pernambuco] voltou a pagar dívida, há um risco muito grande dos atrasos ficarem bastante significativos”, disse Padilha.

Segundo o secretário, a folha de pagamento dos servidores estaduais é de cerca de R$ 1 bilhão por mês. O chefe da pasta da Fazenda explicou ainda que o auxílio federal que começará a ser dado no próximo dia 9 – de parcelas fixas de R$ 269 milhões por quatro meses – não será suficiente para cobrir o rombo causado pela falta de arrecadação.

“Não se sai de uma crise dessa sem um grande ajuste fiscal. A gente vai ter que se endividar e com a pandemia achatando a curva, vem um grande programa de controle fiscal, segurando o grupo 1, que é a despesa de pessoal, segurando operação de crédito para ninguém se endividar, obrigando a reduzir custeio, obrigando a aperfeiçoar a máquina, isso faz parte. 

Mas, dentro da pandemia, não dá. Esse veto foi mais uma vez uma sinalização de arrocho fiscal em um ambiente em que a gente precisa fazer expansão de gastos.”

Dá muita tristesa ver a mentira encampando esse governo sofrível do PSB no nosso amado Estado de Pernambuco.



Editora lança livro digital de historinhas on-line em Petrolina
Autor
Adriano Roberto

Editora lança livro digital de historinhas on-line em Petrolina

Escrito sob a inspiração de lendas urbanas, rituais e cordéis conhecidos nas cidades de Petrolina/PE e Juazeiro/BA, o livro ‘Historinhas de humor, fé, brincadeiras antigas e terror’ será lançado on-line neste sábado dia (6), às 20h27, em uma live transmitida pelo Instagram da editora Mazalti: @editoramazalti.

Em seu primeiro formato digital, o livro de autoria do professor Genivaldo Nascimento descreve 'causos', contados pelo povo e passados de geração em geração.

As histórias, recontadas por professoras da Rede Municipal de Ensino de Petrolina, servem de pano de fundo para apresentar as lendas urbanas: a da Loira do Arrocha e a da Velha do Graveto, o mundo dos animais mágicos e brincadeiras antigas, a exemplo do Casamento Francês.

E ainda, para informar um pouco mais sobre a cultura regional, o livro descreve o ritual dos Penitentes de Juazeiro-BA.  Já a segunda parte traz a história da Princesa Munganga que se perde na caatinga. E o médico Edinaldo Torres conta, em cordel, ‘A Consulta da Matuta com o Dr. da Capital’.

De acordo com o organizador, Genivaldo Nascimento, esse é o seu primeiro livro em versão digital e terá distribuição gratuita, através do e-mail durante a Live. “Aprimorei as narrativas e ampliei as lendas ali registradas para o conhecimento de uma cultura tão rica, através dos livros", ressaltou.

Além das professoras da Rede Municipal de Ensino de Petrolina, o livro contou com as participações do médico Edinaldo Torres e das xilogravuras de J.Borges.



Câmara aprova MP que autoriza sorteio de prêmios pela TV
Autor
Adriano Roberto

Câmara aprova MP que autoriza sorteio de prêmios pela TV

O Plenário da Câmara dos Deputados encerrou nesta quinta-feira (4) a votação da MP 923/20, que autoriza emissoras de televisão ou de rádio a promover ações de marketing que envolvam sorteio de prêmios, distribuição gratuita de brindes, concursos ou operações assemelhadas. Conhecidos como telejogos, esses sorteios eram comuns na década de 1990, mas foram proibidos por decisão judicial em 1998. A matéria agora segue para o Senado.

O relator, deputado Fernando Monteiro (PP-PE), ampliou o alcance da medida original. O texto do governo autorizava os sorteios para emissoras de TV aberta. Já a proposta aprovada pela Câmara permite que qualquer emissora de televisão, de rádio e organizações da sociedade civil promovam essas ações de marketing.

No caso de organizações da sociedade civil, o parecer condiciona a realização do sorteio à finalidade da instituição – como a promoção da educação, da saúde, da segurança alimentar, do combate à pobreza ou do desenvolvimento econômico, entre outras. As organizações também deverão ser cadastradas de acordo com o marco regulatório das organizações civis (Lei 13.019/14).

Caberá ao Ministério da Economia autorizar e fiscalizar os sorteios. O texto proíbe ações que configurem jogo de azar ou bingo e a distribuição ou conversão dos prêmios em dinheiro.

Destaques rejeitados
Todas as tentativas de mudar o texto (destaques) foram rejeitadas nesta quinta-feira. A maior polêmica foi sobre a renegociação do pagamento de outorga por emissoras de radiodifusão. PSB e PT tentaram retirar esse ponto do texto, mas a proposta acabou mantida.

O líder do PSB, Alessandro Molon (PSB-RJ), afirmou que a MP não trata da regulação do processo de outorga ou renovação de permissões ou concessões de radiodifusão e, por isso, defendeu a exclusão do dispositivo. “É matéria estranha à MP, é preciso retirá-la para evitar a inconstitucionalidade do texto”, disse.

Já o deputado Tiago Mitraud (Novo-MG) argumentou que o processo de licitação de radiodifusão é muito burocrático, sendo necessário facilitá-lo. “Essa proposta acelera o trâmite”, apontou.

Pelo texto mantido, as emissoras de radiodifusão poderão regularizar o pagamento da outorga com parcelas mensais pelo tempo previsto na concessão ou permissão com atualização pelo IPCA, exceto se o edital de licitação determinar outro índice para correção monetária. A correção será feita a partir da aprovação da outorga pelo Congresso Nacional. Além disso, o parcelamento do valor da outorga não inviabilizará o licenciamento da estação ou o funcionamento em caráter provisório ou precário.

Radiodifusão
Ainda conforme a proposta aprovada pela Câmara, as ações de distribuição gratuita de prêmios mediante sorteio, vale-brinde, concurso ou operação semelhante dependem de autorização do Ministério da Economia, que poderá ser concedida a uma emissora ou a todas do mesmo grupo econômico. Sorteios e brindes gratuitos de até R$ 10 mil mensais poderão ser realizados sem necessidade de aval do governo.

A participação nos sorteios será restrita aos maiores de 18 anos, com a necessidade de cadastro prévio do participante, por meio eletrônico ou por telefone, e a confirmação do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF).

Os sorteios precisam ter como base os resultados da extração das loterias federais, podendo ser admitidos outros meios caso o sorteio se processe exclusivamente em programas públicos nos auditórios das estações de rádio ou de televisão.

Emissoras que descumprirem as normas poderão ter a autorização cassada, além de pagar multa.

Sociedade civil
As organizações da sociedade civil também precisarão de autorização do Ministério da Economia para distribuir prêmios mediante sorteio, vale-brinde ou concurso. O objetivo da iniciativa deverá ser arrecadar recursos adicionais destinados à sua manutenção ou custeio.

Assim como as emissoras de radiodifusão, as organizações da sociedade civil não dependerão de autorização para distribuição gratuita de prêmios de até R$ 10 mil mensais. O Ministério da Economia deverá regulamentar a limitação do número de sorteios e da aplicação de taxa de fiscalização das operações promovidas por elas.

As organizações da sociedade civil autorizadas a realizar esse tipo de ação de marketing não poderão atuar em campanhas de interesse político-partidário ou eleitorais, sob quaisquer meios ou formas.

Repercussão
O deputado Paulo Guedes (PT-MG) criticou a autorização de telejogos. Para ele, as ações iludem os mais pobres, o que levou a Justiça a frear essas iniciativas na década de 1990. “Naquela época, era comum esse tipo de golpe, porque as pessoas eram iludidas. A mãe ia trabalhar, o filho pegava o telefone e ligava, e depois vinha uma conta absurda para pagar. É isso que estamos autorizando com a votação dessa MP”, condenou.

Por sua vez, o deputado Schiavinato (PP-PR) destacou que a proposta vai permitir investimentos e empregos no setor de radiodifusão. “O PP trabalhou este texto com o governo, a fim de criar novas oportunidades de emprego, e ajudar as rádios comunitárias, que são mais de 4 mil em todo o território nacional”, defendeu.

Fonte: Agência Câmara de Notícias



Caixa libera 2ª parcela para 2,6 milhões de beneficiários de auxílio
Autor
Adriano Roberto

Caixa libera 2ª parcela para 2,6 milhões de beneficiários de auxílio

A Caixa Econômica Federal libera hoje (5) as transferências e os saques da segunda parcela do auxílio emergencial para 2,6 milhões de beneficiários nascidos em junho. O valor é de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras).O dinheiro é para fazer frente às dificuldades decorrentes do surto do novo coronavírus.

A liberação do saque e a transferência da poupança social da Caixa para outros bancos estão sendo feitas de acordo com o mês de nascimento dos beneficiários. Os recursos são transferidos automaticamente para as contas indicadas.

No último sábado (30), foram liberados o saque e a transferência para os nascidos em janeiro. Hoje, é a vez dos nascidos em junho. Amanhã (6), a liberação será para os nascidos em julho, e assim por diante até o sábado, 13 de junho, para quem nasceu em dezembro, com exceção de domingo (7) e do feriado de Corpus Christi (11).

Transferência

A transferência dos valores será feita para quem indicou contas para recebimento em outros bancos ou poupança existente na Caixa. Com isso, esses beneficiários poderão procurar as instituições financeiras com quem têm relacionamento, caso queiram sacar. Segundo a Caixa, mais de 50 bancos participam da operação de pagamento do auxílio emergencial.

Todos os beneficiários do Bolsa Família elegíveis para o auxílio emergencial já receberam o crédito da segunda parcela.

A Caixa informou que não é preciso madrugar nas filas. Todas as pessoas que chegarem às agências durante o horário de funcionamento - das 8h às 14h - serão atendidas. Elas vão receber senhas e, mesmo com as unidades fechando às 14h, o atendimento continua até o último cliente, garantiu o banco.



Professora da UFPE faz desabafo sobre a mídia comprada no caso Miguel
Autor
Adriano Roberto

Professora da UFPE faz desabafo sobre a mídia comprada no caso Miguel

APELO À MÍDIA PERNAMBUCANA

Sari Corte Real é esposa de Sergio Hacker, prefeito de Tamandaré, do PSB, partido que detém enorme poder em Pernambuco, mas é necessário dizer com todas as letras o que se passou!

NÃO CHAMEM HOMICÍDIO DE ACIDENTE! MIGUEL NÃO FOI VÍTIMA DE ACIDENTE! MIGUEL FOI VÍTIMA DE HOMICÍDIO! NÃO OMITAM O NOME DA HOMICIDA! ESSE CRIME TEVE AUTORIA!

O delegado do caso instaurou inquérito por HOMICÍDIO CULPOSO, pois Sari, a patroa, detinha a guarda legal temporária de Miguel, enquanto Mirtes, a mãe, estava passeando com o cachorro.

Vídeos mostram que Sari colocou Miguel sozinho no elevador de serviço. Sari foi autuada e liberada para responder o processo em liberdade, mediante fiança.

Se fosse o contrário, vocês acham que Mirtes responderia em liberdade? Muita gente tem defendido a tese de que, inclusive, houve homicídio DOLOSO, configurado dolo eventual.

Afinal, que adulto coloca uma criança de cinco anos, que está chorando pela mãe, sozinha, num elevador, e não calcula a possibilidade de um acidente?

Houve sim o cálculo de risco, porque com certeza essa adulta não faria o mesmo com os próprios filhos, ciente do perigo dessa conduta de abandono.

No caso de Miguel, é mais grave. Ele é morador do Barro, bairro pobre. Qual sua familiaridade com elevadores e andares altos? Trata-se de evidente desprezo e coisificação da vida negra, herança de nossa cultura escravocrata e racista.

Miguel era um menino robusto e alegre, diz sua tia. Ela não acredita na justiça dos homens. Com essas palavras, ela define o racismo institucional do judiciário.

Ela acredita na justiça de Deus. Com essas palavras, ela diz e sabe que Sari matou seu sobrinho. Eu também não acredito na justiça dos homens. Mas não podemos endossar mais essa violência, por trás da nossa omissão.

Não foi acidente. Não foi acidente. Não foi acidente. Termino com duas observações, sobre local e data. O local onde Miguel foi vítima de homicídio foi as famigeradas Torres Gêmeas, esse lugar horroroso que tem essa energia do mal, do crime, da corrupção.

Elas são um aborto em nossa paisagem e cenário de vários escândalos, desde que a Moura Dubeux as ergueu, entre liminares. Nesse momento, mais do que em outros, queria que a sentença demolitória do juiz Hélio Ourém tivesse sido executada.

Sobre a data: Miguel morreu no dia em que a PEC das Domésticas completou cinco anos! E é assim que se celebra o aniversário da legislação de proteção das Domésticas, o que diz muito sobre nosso país que não superou sua herança escravagista.

Miguel, presente! Deus te ilumine, te abençoe, te acolha, te dê um paraíso de paz, de amor e de alegria! Liana Cirne Lins Professora da Faculdade de Direito da UFPE.

Desenho - Laz Muniz



Bolsonaro participa de oração em favor das autoridades e do povo brasileiro
Autor
Adriano Roberto

Bolsonaro participa de oração em favor das autoridades e do povo brasileiro

O presidente Jair Bolsonaro confirmou por meio das redes sociais, nesta quinta-feira (4/6), que participará de uma oração, nesta sexta-feira (5/6), em conjunto com líderes religiosos a favor das autoridades e do povo brasileiro. O encontro será transmitido ao vivo e está previsto para às 16h.

Antes, no mesmo dia, a previsão é de que Bolsonaro participe da inauguração do Hospital de Campanha de Águas Lindas, em Goiás. O convite foi feito pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado. A inauguração está marcada para essa quarta-feira, mas foi adiada para contar com a presença do presidente. 

Trata-se do primeiro hospital de campanha construído pelo governo federal para enfrentamento ao novo coronavírus. O evento ocorrerá às 8h30 e contará com a presença do prefeito de Águas Lindas de Goiás, Hildo do Candango, Caiado e representantes do Ministério da Saúde.

Em 11 de abril, Bolsonaro visitou o local ainda estava em fase de construção. A obra começou no dia 7 do mesmo mês e será entregue com mais de um mês de atraso. 



Zeca Cavalcanti afirma que faculdade de Medicina será marco de desenvolvimento
Autor
Adriano Roberto

Zeca Cavalcanti afirma que faculdade de Medicina será marco de desenvolvimento

Em postagem nas suas redes sociais, o ex-prefeito Zeca Cavalcanti (PTB), comemorou o fato do Ministério da Educação ter finalmente autorizado o funcionamento da futura Faculdade de Medicina de Arcoverde, batizada de Faculdade de Medicina do Sertão que terá como mantenedora Sociedade Regional de Ensino em Saúde Ltda, mantenedora da Faculdade São Leopoldo Mandic, de São Paulo.

“Finalmente a nossa luta junto ao então Ministro da Educação, Mendonça Filho, concretizada em fins de 2017 com a confirmação de Arcoverde como um dos municípios escolhidos para receber o primeiro curso de Medicina do Sertão, começa a virar realidade com o credenciamento da futura Faculdade de Medicina de Arcoverde pelo MEC, em portaria publica no último dia 03 de junho”.

Ressaltando a conquista realizada, o ex-prefeito disse nçao ter ficado surpreendido com a boa notícia, pois a todo momento esteve acompanhando o processo de credenciamento.

“Não acordamos com a boa notícia, pois sempre tivemos acompanhando passo a passo o andamento desse sonho que foi possível graças a nossa intervenção política e a todo o trabalho feito na saúde ainda no nosso governo”.

Ele pediu ainda humildade a atual administração, afirmando que tal sentimento não faz parte dos que a comandam que não aprenderam a reconhecer os que tanto fizeram por essa terra (Arcoverde).

“Cumprimos nossa missão, deixando a cargo da prefeitura a sua parte e em breve a unidade estará funcionando. Será um marco em Arcoverde e região, beneficiando jovens e dezenas de municípios, abrindo um novo ciclo de desenvolvimento econômico e educacional em toda a região”.



Até o programa Pernambuco Conduz pode estar superfaturado no governo do PSB
Autor
Adriano Roberto

Até o programa Pernambuco Conduz pode estar superfaturado no governo do PSB

A Segunda Câmara do Tribunal de Contas do Estado (TCE) concluiu auditoria especial na "operacionalização e gestão do Programa Pernambuco Conduz (PE Conduz)", da Secretaria de Desenvolvimento Social de Pernambuco. O julgamento ocorreu em sessão, nesta quinta-feira (4), transmitida pelo canal do Youtube do TCE. O TCE, por unanimidade, julgou irregular a execução e fiscalização do contrato e aplicou multas em agentes públicos. O relator do processo, conselheiro Carlos Porto, acatou parecer do Ministério Público de Contas (MPCO).

Com base em relatórios dos auditores do TCE, o MPCO apontou várias supostas irregularidades na execução dos serviços, com possíveis prejuízos ao erário público. Segundo o relator Carlos Porto, as irregularidades e possível superfaturamento vinham de gestões anteriores na Secretaria. "Foi elaborado o Relatório de Auditoria DAUD/SCGE 003/2017 e também o Parecer DAUD/SCGE 055/2018, ambos da Controladoria Geral do Estado, apontando graves irregularidades na execução do contrato, inclusive falando em superfaturamento.

Ou seja, o próprio controle interno tinha graves achados sobre a execução do contrato em gestão e o ex-Secretário não adotou as medidas sugeridas pela própria Controladoria Geral do Estado", disse Carlos Porto, em trecho de seu voto. Os auditores do TCE apontaram que não havia qualquer controle da Secretaria sobre os serviços prestados por empresa privada no Programa PE Conduz. "Em resumo, o único registro sobre a prestação de serviços é o sistema da própria empresa contratada.

Estes registros mensais indicavam serviços de manutenção de veículos em determinados meses da execução contratual. A própria empresa reconheceu que seus registros foram, em parte, equivocados, fazendo correções posteriores de informações", disse o relator, no voto. O MPCO, no parecer, disse que a empresa contratada recebia a mais.

"Ficou claro que a empresa recebeu sim a mais pelo contrato, pois as faturas foram pagas sempre cheias, mês a mês, sem qualquer desconto pela manutenção de alguns dos veículos", disse o parecer do MPCO. Outra irregularidade apontada pelo MPCO foi a realização de despesas sem contrato assinado e sem dispensa de licitação formalizada. A empresa privada prestava os serviços "de boca", segundo o relator. Posteriormente, a Secretaria assinava com a empresa um Termo de Ajuste de Contas (TAC), pagando a empresa, mesmo sem ter contrato.

"Não pode a Secretaria lançar mão de execução de serviços de forma informal, sem contrato, com a devida vênia de boca, para pagar a uma empresa privada quantias de quase R$ 1,5 milhão mensais. Deve ser determinada, no Acórdão, a cessação imediata da utilização de Termos de Ajuste de Contas (TACs) para pagar os serviços do programa PE Conduz, devendo a Secretaria usar de processo licitatório concorrencial ou por processo de dispensa emergencial, este na forma prevista na Lei Federal 8.666/93, caso cabível", votou Carlos Porto, seguido pelos demais conselheiros.

Um outro item considerado importante, pelo relator do processo, foi que a Secretaria de Desenvolvimento Social não mandava os contratos para o visto obrigatório da Procuradoria Geral do Estado (PGE), também órgão do Poder Executivo, desobedecendo regras internas do próprio Governo do Estado. "No exame da documentação referente ao Contrato 008/2013, verificou-se que, dos oito termos aditivos formalizados, apenas o primeiro foi encaminhado à Procuradoria Geral do Estado (PGE)", apontou o relator, em seu voto.

DETERMINAÇÕES

O TCE aplicou quatro multas de R$ 16 mil para quatro agentes públicos do segundo escalão da Secretaria. Além disso, o TCE fez determinações para impedir novas irregularidades no Programa e vai abrir nova auditoria especial, para investigar mais sobre os prejuízos ao erário. Ainda segundo o relator, a Secretaria deve parar "de utilizar imediatamente os Termos de Ajuste de Contas (TACs) para remunerar a empresa prestadora de serviços do programa PE Conduz, e providencie novo processo licitatório concorrencial ou abra processo de dispensa emergencial, nos termos da Lei Federal no 8.666/93, submetendo os novos contratos ao crivo prévio da Procuradoria Geral do Estado (PGE)".

OPERAÇÃO

O julgamento do TCE ocorre um dia depois da Polícia Civil, através do DRACO, deflagar operação que apura supostas irregularidades na compra de 200 mil cestas básicas pela Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado. As informações sobre a operação desta quarta-feira (3) foram divulgadas em coletiva, pela Polícia Civil e órgãos parceiros.



Patriota, presidido pelo deputado Pastor Eurico declara apoio a Alberto Feitosa
Autor
Adriano Roberto

Patriota, presidido pelo deputado Pastor Eurico declara apoio a Alberto Feitosa

O Partido Patriota, presidido em Pernambuco pelo Dep Federal Pastor Eurico, declara apoio a pré-candidatura do Dep Estadual Alberto Feitosa à Prefeitura da Cidade do Recife.

“Após ouvir os meus colegas da direção do Patriota em Pernambuco e em especial do Recife, entendemos que Feitosa é o melhor caminho para a mudança que o Recife precisa” declarou o Pr Eurico.

“Para mim é uma honra receber esse expressivo e importante apoio de um partido que tem a marca da defesa dos valores alinhados com a ética, família e Fé. Fico muito grato pela declaração e pelo gesto” disse Feitosa.



Prefeito de Brejo da Madre de Deus começa a responder positivamente ao tratamento
Autor
Adriano Roberto

Prefeito de Brejo da Madre de Deus começa a responder positivamente ao tratamento

As novas informações médicas sobre o estado de saúde do prefeito Hilário Paulo são animadoras em relação a ontem, segundo médicos que o acompanham na UTI ele passou a responder positivamente ao tratamento que esta sendo realizado, "Hilário teve uma melhora na gasometria, na oxigenação do sangue, depois que entubou ele deu uma melhorada, vamos aguardar" falou um dos médicos.

Seguimos nossas orações pela recuperação do Prefeito Hilário Paulo.

Assessoria de Comunicação.



Liberdade de expressão tem que ser para todo mundo, diz Bolsonaro
Autor
Adriano Roberto

Liberdade de expressão tem que ser para todo mundo, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (4) que "liberdade de expressão tem que valer para todo mundo". A declaração ocorreu em resposta a um apoiador que, na porta do Palácio da Alvorada, disse que o mandatário deveria processar críticos que se referem a ele como "genocida".

"Se o cara me chama de fascista por exemplo e eu processo, não acontece nada. Se eu chamo ele de fascista, levo R$ 20 mil no ombro. Não adianta, minha taxa de sucesso é próxima de zero. E outra coisa: se é liberdade de expressão, tem que valer pra todo mundo", respondeu Bolsonaro. A fala foi transmitida no perfil do presidente no Facebook.

Em meio à pandemia do novo coronavírus e após semanas de atos pró-Bolsonaro, o governo foi alvo de manifestações contra o presidente e a favor da democracia no domingo (31).

Novos atos foram convocados para este fim de semana. Em reação, Bolsonaro classificou na terça (2) como marginais e terroristas os integrantes dos chamados grupos antifascistas que estão promovendo os protestos. "Começou aqui com os antifas em campo. O motivo, no meu entender, político, diferente [daquele dos protestos nos EUA]. São marginais, no meu entender, terroristas. Têm ameaçado, domingo, fazer movimentos pelo Brasil, em especial, aqui no DF", disse Bolsonaro.

Na segunda-feira (1º), o presidente já havia dito a seus apoiadores que eles não deveriam ir às ruas no próximo domingo (7), como fazem todos os finais de semana, já que, neste, está marcado um ato contra o fascismo e em oposição ao governo Bolsonaro.

Nesta quinta, Bolsonaro também conversou na entrada do Alvorada com um grupo de atiradores e colecionadores de arma de fogo. Eles agradeceram o mandatário pela edição de normas que facilitaram o acesso a armas e munições e pediram novas medidas para, segundo eles, "desburocratizar" procedimentos.

Bolsonaro determinou que um integrante do governo se reúna com o grupo para ouvir suas demandas em detalhe.



Blog afirma que Sileno Guedes do PSB é o alvo da operação policial em PE
Autor
Adriano Roberto

Blog afirma que Sileno Guedes do PSB é o alvo da operação policial em PE

Do blog de Noélia Brito - A Operação Inópia, desencadeada, ontem, em conjunto, pela 1ª DECCOR/DRACCO, pelo GAECO/MPPE, pela Polícia Federal e pela CGU, para investigar indícios da suposta existência de organização criminosa voltada para a prática de crimes relacionados a fraude à licitação na pandemia, além de apurar possíveis irregularidades em contrato elaborado com recursos públicos destinados ao combate da COVID-19, teve como um de seus alvos a Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Adolescente de Pernambuco, comandada pelo presidente estadual do PSB, Sileno Guedes. As buscas e apreensões na Secretaria foram confirmadas em coletiva, há pouco, pelo DRACCO.

A Secretaria comandada por Sileno Guedes celebrou, sem licitação, um contrato com a empresa Juntimed Produtos Farmacêuticos e Hospitalares Ltda, para fornecimento de 200 mil cestas básicas, ao custo de R$ 2,7 milhões, a serem entregues aos 184 (cento e oitenta e quatro) municípios pernambucanos, em consonância com os quantitativos e os endereços estabelecidos pela Secretaria Executiva de Assistência Social, para atender às demandas emergenciais da população vulnerável, impactadas pela PANDEMIA DO CORONAVÍRUS.

Durante a operação, além do mandado de busca e apreensão, cumprido na Secretaria de Desenvolvimento Social, foram cumpridos mandados, também de busca e apreensão, no endereço da empresa, em Paudalho e no Distrito Federal e em Goiás, onde, curiosamente, está registrado o telefone de contato da empresa, apesar de sediada no interior de Pernambuco.

Na coletiva, as autoridades que executaram a Operação revelaram que há suspeitas de incapacidade técnica da empresa para cumprimento do contrato. Inicialmente era uma gráfica e depois se transformou em empresa de venda de produtos medicamentosos e farmacêuticos. Diligências da Polícia Federal, que colaborou com a investigação, constataram, verificaram que a empresa não teria funcionários nem veículos em seu nome. Além disso, verificou-se uma diferença de quase 50% entre os valores pagos pelas cestas pela Prefeitura de Olinda, em torno de R$ 40 e a Secretaria comandada pelo presidente do PSB, em torno de R$ 60.

Os mandados foram cumpridos por determinação da Juíza da Vara de Crimes contra a Administração Pública e Ordem Tributária, da Capital.

Procurada pelo Blog, para se pronunciar, a Secretaria de Desenvolvimento Social não respondeu ao nosso contato. O Blog tentou, ainda, contactar a empresa, mas o telefone que consta no cadastro da empresa, junto à Receita Federal, cujo código de área é de uma cidade no interior de Goiás, não completou a ligação.