Blog do Adriano Roberto


Na rádio Guaíba-RS Bolsonaro diz que vai pegar um país destroçado pelo PT
Autor
Adriano Roberto

Na rádio Guaíba-RS Bolsonaro diz que vai pegar um país destroçado pelo PT

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, afirmou na manhã desta terça-feira, 23, em entrevista à Rádio Guaiba de Porto Alegre, que se as urnas confirmarem seu favoritismo neste domingo, 28, e ele vencer as eleições, vai pegar um "país destroçado, principalmente do ponto de vista econômico". E culpou as gestões do PT por este cenário.

Na sua avaliação, não é apenas o Executivo Federal quem sofre os reflexos da má gestão petista, mas também os Estados, que no seu entender receberão igualmente "a herança maldita do PT". Bolsonaro alegou que a estratégia de sua campanha é não empenhar apoio neste segundo turno a candidaturas aos governos estaduais. "Manterei a neutralidade", disse, sob alegação de que se for eleito no dia 28, vai governar para todos.

Na entrevista, o candidato do PSL rebateu as críticas que estão sendo feitas à sua campanha, destacando que o PT não pode lhe chamar de corrupto. "Tudo que tinha de ruim e de terrorismo, na década de 80, quando eu já atuava no Exército, se juntou ao PT, quando esse partido foi criado." O militar da reserva disse que o adversário "prega a distribuição da miséria, quer controlar a mídia" e, por essas e outras razões é oposição a esse tipo de pensamento. "Não às pessoas, porque elas mudam."

Além do PT, o capitão da reserva criticou também o PSDB, lembrando que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que não votaria em sua candidatura. "O PSDB e o PT são semelhantes, e eu sou a oposição a tudo isso, emendou, dizendo que é esse o motivo de estar na liderança da preferência do eleitorado do País - e que espera que as urnas referendem isso neste domingo.

Bolsonaro falou também do episódio envolvendo seu filho, o deputado federal eleito Eduardo Bolsonaro, que disse que para fechar o STF bastava um soldado e um cabo, dizendo que já o repreendeu e voltando às críticas ao PT: "Foi o PT quem falou em fechar os tribunais, com o controle da Justiça que está previsto em seu plano de governo. Não somos ameaça à democracia, ao contrário, somos a garantia da democracia", destacou.

Na entrevista, o candidato do PSL desmentiu que sua campanha esteja fazendo uso de pacotes de mensagens do WhatsApp contra o adversário do PT, disse que é fake news a informação de que pretende cobrar mensalidade de universidades públicas e voltou a justificar a não ida aos debates, em razão de seu estado de saúde.

"Existe risco à minha saúde se eu ficar estressado, além disso não vou debater com o pau mandado do Lula", emendou. Bolsonaro reiterou que se eleito irá extraditar, dentro da lei, Cesare Battisti. "Vou mandar esse terrorista de volta pra Itália", garantiu. Com informações do Estadão Conteúdo.



Mais de 137 mil vagas com carteira assinada criadas em setembro
Autor
Adriano Roberto

Mais de 137 mil vagas com carteira assinada criadas em setembro

Em setembro foram criadas 137,3 mil vagas com carteira assinada, o melhor resultado para o mês desde 2013, de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho.
 
Os números foram divulgados nesta segunda-feira (22), e mostram que a criação de vagas formais foi superior também à de agosto, quando foram gerados 117,1 mil empregos com carteira.

O presidente Michel Temer comemorou o resultado em vídeo em rede social ao lado do ministro do Trabalho, Caio Vieira de Mello.

Com o resultado de setembro, o saldo nos primeiros nove meses do ano é positivo em 719 mil vagas, uma alta de 1,9% na comparação com o mesmo período do ano passado.

O melhor desempenho foi o do setor de serviços, que criou 60,9 mil vagas no mês passado. Em seguida, aparecem indústria de transformação (+37,4 mil vagas), comércio (+26,6 mil vagas), construção civil (+12,4 mil), serviços industriais de utilidade pública (+ 1 mil), administração pública (+954 vagas) e extrativa mineral (+403 vagas).

O único setor que eliminou vagas foi a agropecuária, com 2,6 mil vagas a menos no mês.

POR REGIÃO

Todas as cinco regiões registraram crescimento no emprego formal. O melhor resultado foi registrado no Nordeste (+62,1 mil), seguido pelo Sudeste (+38,9 mil), Sul (+18 mil), Norte (+10,2 mil) e Centro-Oeste (+7,9 mil).

NOVAS MODALIDADES

Segundo dados da pasta, os desligamentos por acordo entre empregador e empregado somaram 13 mil casos em setembro, queda em relação a agosto, quando o número foi de 15,3 mil.

O Caged ainda registrou um saldo positivo de 4,2 mil vagas geradas na categoria trabalho intermitente, número estável em relação a agosto.

No caso do trabalho em regime de tempo parcial, foi registrado um saldo positivo de 1,9 mil vagas no mês passado, abaixo dos 3,2 mil empregos gerados nessa modalidade em agosto. Com informações da Folhapress.



Deputado eleito Fabrízio Ferraz visita bases para agradecer votos
Autor
Adriano Roberto

Deputado eleito Fabrízio Ferraz visita bases para agradecer votos

Concorrendo às eleições gerais de 2018 pelo PHS, Fabrizio Ferraz obteve 17.729 votos totalizados (0,39% dos votos válidos) e garantiu uma cadeira na Assembleia Legislativa de PE. Agora, o deputado eleito de Floresta está correndo nos municípios onde foi votado para agradecer aos eleitores.

No roteiro, passou por Inajá, onde teve 577 votos e garantiu que vai se aproximar ainda mais das lideranças do município para atender as demandas que estão sendo apresentadas.

"Vou agradecer em cada base que fomos votados e reafirmar o compromisso de atender, dentro do que for possível para meu mandato, aos pedidos de desenvolvimento e melhoria da vida das pessoas desses municípios." Afirmou Fabrízio.



TRF prende mais um e renova prisões temporárias na Operação Abismo
Autor
Adriano Roberto

TRF prende mais um e renova prisões temporárias na Operação Abismo

Nesta segunda, 22, o Tribunal Regional Federal da 5ª Região decretou a prisão de mais um suspeito, subindo para 23 o número de prisões decretadas; A prisão foi de um empresário e o local da sua prisão ocorreu em Boa Viagem quando estava chegando em sua residência por volta das 22h – e logo após tomar ciência de sua prisão ele foi encaminhado para o COTEL;

Ontem também foram renovadas por mais 5 dias todas as prisões temporárias e os materiais apreendidos de outros estados já estão começando a chegar em Recife/PE onde passarão por análise e perícia especializada – Dentre as apreensões estão dinheiro, carros de luxos, equipamentos de informática e documentos fiscais.

A investigação ainda está sob sigilo e informações mais aprofundadas ainda não poderão ser repassadas!



Bolsonaro envia carta ao ministro do STF, Celso de Mello
Autor
Adriano Roberto

Bolsonaro envia carta ao ministro do STF, Celso de Mello

Diante da dura reação de Celso de Mello às declarações do filho Eduardo sobre fechar o STF, o presidenciável Jair Bolsonaro resolveu enviar uma carta ao decano.

No texto, obtido em primeira mão por O Antagonista, ele afirma que o STF é o “guardião da Constituição” e “todos temos que prestigiar a corte”.

Para o deputado, “manifestações mais emocionais, ocorridas nestes últimos tempos, se mostram fruto da angústia e das ameaças sofridas neste processo eleitoral”.



Sem Bolsonaro Globo cancela debate e não entrevista Haddad
Autor
Adriano Roberto

Sem Bolsonaro Globo cancela debate e não entrevista Haddad

A Globo resolveu na noite desta segunda-feira (22) cancelar o debate presidencial programado para o próxima sexta-feira (26). A decisão foi tomada depois que a campanha de Jair Bolsonaro enviou uma carta à emissora informando que o candidato enfrenta "limitações em virtude da bolsa de colostomia" que carrega, em consequência do ataque a faca que sofreu em setembro.

Com a desistência de Bolsonaro, a Globo optou por não entrevistar Fernando Haddad no horário programado para o debate. "Na reunião de elaboração das regras do evento foi acertado com as assessorias dos candidatos que, se Jair Bolsonaro não pudesse comparecer por razões de saúde, o debate não seria substituído por entrevistas", informou a emissora.

O debate estava programado para ir ao ar às 22h, com previsão de encerramento às 23h40. Sem o encontro entre os dois candidatos, a emissora exibirá a sua programação normal das sextas-feiras, com o "Globo Repórter" após a novela "Segundo Sol".

Com o cancelamento oficializado, esta será a primeira eleição desde 1989 sem debate presidencial no segundo turno (em 1994 e 98 não houve segundo turno). E Bolsonaro e Haddad chegarão às urnas sem jamais terem se enfrentado em um debate – no primeiro turno, dos sete encontros do gênero, o candidato do PSL esteve nos dois primeiros e o candidato do PT nos quatro últimos.

Veja a nota da Globo.

"Recebemos na data de hoje, último dia combinado com as campanhas dos candidatos à Presidência para confirmação do debate de sexta-feira próxima, email da campanha do candidato Jair Bolsonaro (transcrito abaixo), informando que o mesmo não poderá participar do evento, em razão de limitações de saúde. Já o candidato do PT, Fernando Haddad, confirmou sua disposição de estar presente. Como se trata de campanha de segundo turno, obviamente não há outros candidatos para viabilizar a realização do debate. Na reunião de elaboração das regras do evento foi acertado com as assessorias dos candidatos que, se Jair Bolsonaro não pudesse comparecer por razões de saúde, o debate não seria substituído por entrevistas".

E a carta enviada à Globo pela campanha de Bolsonaro:

"Como informado pelo Rodrigo Marcondes, na reunião do dia 9 de outubro pp., a presença do candidato Jair Bolsonaro ao debate da TV Globo precisaria ser confirmada por sua assessoria, tendo em vista o seu atual quadro de saúde.

Apesar de o Dr. Antonio Macedo ter reduzido o nível de restrição de suas atividades rotineiras, o candidato continua com limitações em virtude da bolsa de colostomia. Segundo explicado pelo aludido médico (vídeo anexo), o paciente com a bolsa de colostomia fixada ao lado direito do abdômen, como no caso do candidato, não tem qualquer controle intestinal. Com isso, o seu preenchimento total pode ser rápido e inesperado, podendo levar ao rompimento da bolsa, o que gera extremo desconforto e constrangimento ao paciente.

Além disso, por orientação médica, ele ainda deve evitar esforço físico, estresse excessivo ou ficar muito tempo em pé. Por esses motivos, ele não poderá comparecer ao debate marcado para o dia 26 de outubro, às 22 horas".



Haddad e Bolsonaro definem estratégias para semana final de campanha
Autor
Adriano Roberto

Haddad e Bolsonaro definem estratégias para semana final de campanha

De O Globo - Na última semana de campanha, os candiatos à presidência alinham suas estratégias em busca da vitória. Líder das pesquisas, Jair Bolsonaro (PSL), cuja campanha está sendo acusada de abuso de poder econômico por compra ilegal de disparo de mensagens falsas por whatsapp , não quer ir a debates ou agendas públicas para evitar desgaste. Já Haddad, vai manter a tentativa de desconstruir seu adversário, aproveitando as denúncias recentes.

No time bolsonarista, ordem é não se expor a ataques

Líder das pesquisas de intenção de voto na corrida pelo Palácio do Planalto, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) admitiu na última semana, sem medo de se frustrar, que está com “a mão na faixa” presidencial. Na reta final da campanha, o entendimento da cúpula do partido é aplicar a lei do menor esforço para garantir a vitória nas urnas no próximo domingo: sem ir a debates na televisão, sem fazer agendas públicas e, portanto, sem se expor a possíveis escorregões às vésperas da votação final.

Mesmo liberado pelos médicos, Bolsonaro pretende seguir em ambientes que lhe são confortáveis. Ou seja, recebendo visitas em sua casa na Barra da Tijuca e falando aos eleitores na internet, ambiente onde o deputado federal do baixo clero se catapultou como uma nova força política.

Será nas redes sociais, aliás, que ele concentrará esforços para contra-atacar a ofensiva preparada pelo seu adversário, Fernando Haddad (PT), nos últimos dias.



E agora? TRE-RJ apreende jornais fake de Haddad contra Bolsonaro em Macaé
Autor
Adriano Roberto

E agora? TRE-RJ apreende jornais fake de Haddad contra Bolsonaro em Macaé

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cumpriu, neste sábado (20), um  mandado de busca e apreensão na sede do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF), no Centro de Macaé.

No local foram apreendidos milhares de jornais com conteúdos tendenciosos e propaganda irregular do candidato a presidente Fernando Haddad (PT). A ação foi deflagrada após denúncias. O mandado foi expedido pelo juiz eleitoral do município, Sandro de Araújo Lontra. No documento, Lontra destacou que o impresso continha matérias pejorativas em relação ao adversário de Haddad, o candidato Jair Bolsonaro (PSL).

Segundo a decisão do magistrado, o material, que faz propaganda para  PT não teve a origem do dinheiro declarada nas prestações de conta do candidato petista. E, portanto, por ser pago com dinheiro de fonte desconhecida a prática pode ser caracterizada Caixa 2.

Como o Sindipetro é uma instituição bancada com dinheiro público via imposto sindical obrigatório, há também configurado o crime de abuso de poder econômico e improbidade administrativa. O material apreendido seria distribuído na cidade de Macaé, bem como aos visitantes do sindicato. O órgão foi autuado e irá pagar uma multa que poderá  e variar entre R$ 2 a R$ 8 mil.



Lula é detento, e não comentarista politico, afirma Raquel Dodge
Autor
Adriano Roberto

Lula é detento, e não comentarista politico, afirma Raquel Dodge

A Procuradora-Geral da República Raquel Dodge enviou manifestação ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta sexta-feira, 19, contra os pedidos de entrevista da imprensa ao ex-presidente Lula, preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR) desde abril. Segundo a procuradora, ele é “detento, não comentarista político”.

Tudo começou quando o ministro Ricardo Lewandowski autorizou o jornal Folha de S. Paulo e o jornalista Florestan Fernandes Júnior a entrevistarem Lula de dentro da cadeia. No mesmo dia, o ministro Luiz Fux atendeu a um pedido do Partido Novo e cassou a decisão. Porém, dias depois, voltou a liberar as entrevistas e, dessa vez, foi barrado pelo então ministro Dias Toffoli. O presidente do STF reiterou que a proibição vale até o plenário analisar definitivamente a questão, o que só deve ocorrer após as eleições.

A procuradora, em sua manifestação, ressalta a liberdade de expressão, mas reitera que em algumas situações é possível proibir que presos concedam entrevistas. “A liberdade de expressão e a liberdade de imprensa são garantidas na Constituição de 1988, e seus limites na situação em exame clamam por decisão do Plenário do STF”. Ela ainda cita as “cinco diferentes” decisões proferidas pelos ministros “no intervalo de cinco dias”.

“Ocorre entre as finalidades da pena está o objetivo de que os presos a cumpram com discrição e sobriedade, ficando a salvo de qualquer tipo de sensacionalismo ou espetacularização”, observa a chefe da PGR, afirmando que presos “não são astros”, mesmo que possam ser figuras públicas fora do cárcere.

“A fim de permitir que as finalidades penais de retribuição, prevenção e de reinserção social possam se concretizar, o contato de presos com meios de comunicação social não pode produzir um excesso de notoriedade ou contribuir para a sua estigmatização como heróis ou vilões, sob pena de desvirtuar a finalidade da pena e a habilidade do sistema de lidar com a disciplina no ambiente carcerário”, completa Raquel. Com informações do Estadão Conteúdo.



Magno Malta prevê vitória de Bolsonaro em PE no 2º turno
Autor
Adriano Roberto

Magno Malta prevê vitória de Bolsonaro em PE no 2º turno

Em ato Pró-Bolsonaro realizado neste sábado (20), o senador Magno Malta (PR/ES) representou e defendeu propostas do presidenciável para uma plateia de mais de 1.000 líderes religiosos. O senador, que inicialmente foi cotado para ser vice na chapa do Bolsonaro, estava empolgado e contou sua forte ligação com Pernambuco. 

Relembrou o tempo que precisou residir no Recife para vencer a dependência química das drogas e destacou a importância do período que cursou Teologia no Seminário Batista da Rua Padre Inglês no Recife. “Eu sou baiano, mas tenho forte ligação com Pernambuco.

Aqui fiz muitos amigos e vou levar sempre comigo o amor e a gratidão por essa terra maravilhosa. Podem ficar tranquilos, o 'Jair' (Bolsonaro) vai cuidar do Nordeste como nenhum outro fez. 

O nordestino vai produzir e vai crescer, vai ter dignidade e o respeito que merece. O Nordeste acordou. Nosso capitão vai ganhar aqui também nesse 2º turno”, defendeu Malta que está percorrendo a região junto com o senador José Medeiros (PODE/MT) para intensificar a campanha na única região do País onde o Bolsonaro não foi majoritário no 1º turno.

A cada troca de fala dos integrantes da mesa, pastores de várias denominações, oficiais militares, representantes de outras religiões, lideranças do interior e a militância jovem gritavam entusiasmados: “eu vim de graça, eu vim de graça" - "nossa bandeira jamais será vermelha" e ainda "Brasil acima de tudo. 

Deus acima de todos". Entre as autoridades políticas presentes no ato, organizado pela deputada estadual eleita Clarissa Tércio (PSC), destaque para os ex-ministros Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB), o deputado André Ferreira (PSC), além dos vereadores do Recife, Fred Ferreira (PSC) e Renato Antunes (PSC).



Oposição em Belmonte atropela prefeito e elege presidente da Câmara
Autor
Adriano Roberto

Oposição em Belmonte atropela prefeito e elege presidente da Câmara

O vereador Zeca do Detran (PR), foi eleito presidente da Câmara Municipal de São José do Belmonte-PE, para o biênio 2019/2020. Zeca, que está no seu terceiro mandato e que faz parte do grupo político do deputado estadual Rogério Leão e do ex-prefeito Marcelo Pereira, disputou eleição da câmara municipal com chapa única e teve 8 (oito) dos 13 (treze) votos dos vereadores do poder legislativo belmontense, sendo que 5 (cinco) vereadores votaram em branco.

Zeca se elegeu com o apoio de vereadores da sua base e de outros que foram eleitos pela base do atual prefeito. Nas eleições de 2016, o grupo da oposição elegeu apenas 5 (cinco) vereadores, Paulo Pereira, Júnior de Erles, Zeca do Carmo, Ramon Feitosa e Erik Diniz, desses, provavelmente 2 (dois) votaram em branco e 5 (cinco) dos 8 (oito) que se elegeram em 2016 pelo grupo de Romonilson, votaram em Zeca do Carmo.

Segundo o novo presidente, que irá assumir em 1º de Janeiro de 2019, ele disse ao Blog do Silva Lima que quer fazer uma gestão de coalizão, ouvindo seus colegas e pares em busca do que for melhor para o parlamento belmontense e irá contar com o apoio de todos os vereadores e principalmente da nova mesa diretora que é composta pelos seguintes vereadores: Zeca do Detran (Presidente), Evandro da Águas Sertões (Vice-presidente), Paulo Pereira (1º Secretário) e Zé Lucas (2º Secretário).

Administrar uma Cidade sem ter o apoio da maioria dos vereadores e ainda ter como presidente da Câmara Municipal um vereador da oposição, não é nada confortável para qualquer gestor.
As coisas devem mudar na atual gestão em são José do Belmonte-PE, nos anos de 2019 e 2020.



Caso Bolsonaro: o que se sabe até agora e os passos dados na apuração
Autor
Adriano Roberto

Caso Bolsonaro: o que se sabe até agora e os passos dados na apuração

Três frentes foram abertas nesta sexta-feira (19) para esclarecer o financiamento por empresas do envio em massa de mensagens de WhatsApp contrárias ao PT, revelado pela Folha de S.Paulo.

O WhatsApp bloqueou contas ligadas a agências de mídia suspeitas da prática, que beneficia o candidato Jair Bolsonaro (PSL); o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) abriu investigação sobre o caso; e a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu à Polícia Federal um inquérito sobre a disseminação de fake news.

As três medidas são reações à reportagem publicada pela Folha de S.Paulo na quinta (18) que mostra o financiamento, por empresas como a varejista Havan, de uma campanha antipetista com pacotes de disparo de mensagens em massa.

A prática é ilegal, pois configura doação de empresas à campanha de Bolsonaro - o que a lei eleitoral proíbe e pode configurar abuso de poder econômico. Além disso, os contratos, que chegam a R$ 12 milhões, não foram declarados. Procurada pela reportagem, a Havan negou ter conhecimento da prática.

O WhatsApp enviou notificação extrajudicial às agências Quickmobile, Yacows, Croc Services e SMS Market determinando que parem de enviar mensagens em massa e usar números obtidos a partir de bases de dados de terceiros.

A plataforma também suspendeu contas associadas às agências, algumas das quais usam bases de usuários de terceiros segmentadas por região e perfil, o que também é proibido. As mensagens podem ser enviadas apenas à base de usuários dos candidatos, com dados cedidos voluntariamente.

A agência AM4, contratada pela campanha de Bolsonaro, e outras estão sob investigação e serão notificadas se comprovadas irregularidades.

"Estamos tomando medidas legais para impedir que empresas façam envio maciço de mensagens no WhatsApp e já banimos as contas associadas a estas empresas", informou em nota o WhatsApp.

A plataforma, que pertence ao Facebook, afirma usar tecnologia de ponta para detectar contas com comportamento anormal para que elas não possam ser usadas para espalhar mensagens de spam.

Nesta sexta, o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidenciável, afirmou que teve sua conta no WhatsApp suspensa e publicou a foto de uma suposta mensagem do aplicativo que alegava que o número foi banido e o orientava a contatar o suporte técnico.

"A perseguição não tem limites! Meu WhatsApp, com milhares de grupos, foi banido DO NADA, sem nenhuma explicação! Exijo uma resposta oficial da plataforma", escreveu em uma rede social.

Depois, o senador eleito afirmou que o telefone suspenso era pessoal e já foi desbloqueado. "O próprio WhatsApp informou que o bloqueio foi há dias, antes da Fake News da Foice de SP", disse.

A reportagem apurou que a conta foi banida há alguns dias porque a plataforma detectou movimento anormal a partir de queixas de usuários que disseram ter recebido spam do número.

Pelo mesmo motivo, foi banida uma conta criada pela campanha de Dilma Rousseff (PT) ao Senado, chamada "DilmaZap" (não se trata da conta provada da ex-presidente).

No início da noite, o corregedor do TSE, ministro Jorge Mussi, atendeu ao pedido do PT e abriu ação para investigar a compra desses pacotes de disparos por empresas, mas negou a solicitação do partido de quebra de sigilo e de busca e apreensão.

Mussi mandou notificar Bolsonaro e deu cinco dias para ele se manifestar –até quarta (24). O segundo turno é dia 28.

Também na noite de sexta, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, oficializou o pedido da PGR para apurar se empresas têm disseminado, de forma estruturada, mensagens em redes sociais referentes a Bolsonaro e seu adversário no segundo turno, Fernando Haddad (PT).

Segundo nota da PGR, que cita as reportagens jornalísticas sobre fake news, "o objetivo é verificar a existência de eventual utilização de esquema profissional por parte das campanhas, com o propósito de propagar notícias falsas".

O processo no TSE teria que ser concluído em um mês, mas pode se alongar porque as partes podem pedir diligências ou o corregedor pode querer ouvir testemunhas; deslocamentos e a espera por perícia aumentariam a demora (a ação aberta para investigar a chapa Dilma Rousseff-Michel Temer após a eleição de 2014 durou quase dois anos).

O pedido do PT é um dos seis recebidos pelo TSE para investigar a campanha de Bolsonaro. As ações podem ser apensadas em um só caso e tramitarem juntas, porém.

Nesta sexta, o PDT entrou com pedido no TSE de anulação do primeiro turno da eleição presidencial alegando suspeita de abuso de poder econômico, veiculação de fake news e recebimento de apoio empresarial. O candidato do partido, Ciro Gomes, ficou em terceiro.

A presidente do TSE, ministra Rosa Weber, daria uma entrevista coletiva nesta sexta sobre fake news, mas a adiou para domingo. Ela se reuniu mais cedo com a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, que pediu celeridade. Com informações da Folhapress.