Blog do Adriano Roberto


Caco Barcellos fala no seminário da FIEPE em Petrolina
Autor
Adriano Roberto

Caco Barcellos fala no seminário da FIEPE em Petrolina

O auditório do SENAI Petrolina ficou lotado na noite desta quarta-feira (22). O interesse todo era para ouvir Marcelo Ortega, um dos conferencistas mais aclamados do Brasil, e Caco Barcellos, jornalista da Rede Globo e que lidera o programa ‘Profissão Repórter’. Os especialistas fizeram uma megapalestra no Seminário de Gestão ‘Excelência Profissional e Inteligência em Vendas’, promovido pela Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE). 

Conhecido por grandes coberturas e pelo jornalismo investigativo, Caco Barcellos apresentou a participantes algumas de suas grandes reportagens para comentar os avanços, medos, a realidade social e econômica do país. “Quando eu apresentei o projeto [Profissão Repórter], me perguntaram: qual a sua ideia? Eu disse: a única condição que eu quero é que o profissional que trabalhe comigo nunca tenha trabalhado em televisão, nunca tenha pego microfone como esse aqui”, contou o repórter que atua na área há mais de 45 anos. 

No evento, dominado por vendedores, o conferencista Marcelo Ortega se sentiu em casa. Com 21 anos de atuação e mais de 500 mil pessoas por ele assistidas, o palestrante chamou a atenção dos presentes para a importância “de se fazer além daquilo que é pago para ser feito” e citou exemplos: “O garçom que só pensa como garçom morre garçom. O garçom que pensa como metre vira metre. O garçom que pensa como o dono do restaurante ou abre o seu ou vira sócio. É uma questão de atitude, é parar de reclamar e começar a pensar de uma forma mais empreendedora”.

Além das experiências dos dois profissionais aclamados, o evento da FIEPE também mostrou como inovação e determinação são fundamentais para o sucesso – práticas que podem servir de base para profissionais que estão dispostos a ousar nos seus segmentos de atividade.  Segundo o diretor regional da FIEPE, Albânio Nascimento, são esses diferenciais que determinam o êxito na carreira, sendo também um norte para os iniciantes.  “Saber lidar com situações e pessoas é muito importante no dia a dia do trabalho, principalmente se você não quer ser apenas mais um na empresa”, explicou. 

Albânio ainda comentou sobre a consolidação do Seminário de Gestão na grade da FIEPE. “Já trouxemos à Petrolina o treinador da seleção feminina de vôlei, José Roberto Guimarães; o poeta Bráulio Bessa; o apresentador da Shoptime, Ciro Bottini; o empresário Geraldo Rufino; dentre tantos outros nomes reconhecidos no país. O que buscamos com isso é proporcionar aos participantes um momento único que sirva de motivação para saída da zona de conforto”, concluiu.



Para Bolsonaro COAF não sai do governo e equipe de Moro continua
Autor
Adriano Roberto

Para Bolsonaro COAF não sai do governo e equipe de Moro continua

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) minimizou nesta quarta-feira (22) a derrota imposta pela Câmara ao ministro da Justiça, Sergio Moro, que teve tirado de seu comando o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).

"Continua no governo", resumiu Bolsonaro ao ser questionado sobre o tema durante evento em comemoração aos 71 anos da criação do Estado de Israel, em Brasília.

Após uma série de embates, o plenário da Câmara aprovou nesta quarta a medida provisória que reestrutura o governo Bolsonaro, incluindo o enxugamento do número de ministérios implantado no começo do mandato.

O Coaf, que havia sido transferido à Justiça, voltou ao comando do Ministério da Economia, o que representaria uma derrota a Moro. Mas o ministro da economia, Paulo Guedes, já adiantou que não vai mudar a equipe criada por Moro e vai manter a mesma estrutura.

Apesar dessa derrota, a aprovação da MP é positiva para Bolsonaro no geral, devido às dificuldades do governo para colocá-la em votação e ao risco de ela caducar até 3 de junho -o texto ainda precisará passar pelo Senado.

Já nas redes sociais, Bolsonaro comemorou a aprovação pelo Senado de uma medida provisória que abre 100% do setor aéreo ao capital estrangeiro.
 
"Aprovada no Senado a MP que libera capital estrangeiro em companhias aéreas brasileiras. Ganha a nossa economia e nossa população com os efeitos da competitividade e do livre mercado: melhores serviços e menores preços. Parabéns a todos que trabalharam na aprovação desta medida!", escreveu.

Bolsonaro participou na noite desta quarta de ato de comemoração aos 71 anos de Israel, na embaixada em Brasília.

Ao lado de ministros, o presidente fez acenos ao primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, dizendo que ele também é capitão. Bolsonaro é capitão reformado do Exército.

Sem mencionar diretamente ex-presidentes, ele disse ainda que Israel ficou um ano sem embaixador no Brasil "por questões políticas", mas cumprimentou o atual titular, Yossi Sheley, dizendo que ele "compensou e muito" a lacuna.

Bolsonaro, que visitou Israel em abril, disse que a relação com o estado foi estreitada.

Ele encerrou o discurso com sua frase de campanha, com gesto de homenagem.

"Brasil e Israel acima de tudo e Deus acima de todos", disse. Com informações da FolhaPress.



Sebastião Oliveira quer trabalhadores rurais fora da reforma da previdência
Autor
Adriano Roberto

Sebastião Oliveira quer trabalhadores rurais fora da reforma da previdência

Mais uma vez o esforço do deputado federal Sebastião Oliveira está voltado para garantir o direito dos trabalhadores rurais. Desta vez, o parlamentar pernambucano foca na busca de assegurar que a Reforma da Previdência não afete essa importante classe de trabalhador.  

Para isso, Sebastião, que é um dos líderes da Frente Parlamentar da Agricultura, caiu em campo e está visitando deputados de diversos partidos, visando colher as assinaturas necessárias que garantam  que os trabalhadores rurais não sejam afetados pela da Reforma proposta pelo Palácio do Planalto. 

“É preciso manter a situação atual. O trabalhador rural já é bastante prejudicado pela falta de políticas públicas que lhe beneficiem. Não podemos permitir que a Reforma da Previdência traga qualquer tipo de prejuízo. Não vamos medir esforços para garantir todos os direitos já conquistados”, justificou Sebastião Oliveira.

Essa não é a primeira que Sebastião Oliveira defende o interesse dos trabalhadores rurais. É de sua autoria o requerimento proposto pela Bancada de Líderes à Presidência da Câmara, que propõe a tramitação em urgência do Projeto de Decreto Legislativo (PDL) – número 34/2019. A medida visa devolver os subsídios de energia elétrica concedidos aos pequenos produtores rurais e às cooperativas de irrigação que foram retirados no final do governo do ex-presidente Michel Temer.



Chapa Quente da oposição larga na frente em Buique
Autor
Adriano Roberto

Chapa Quente da oposição larga na frente em Buique

Por Ricardo Resende - A pouco mais de um ano para as eleições Municipais, onde serão escolhidos, Prefeitos, Vices, e Vereadores, No Município do Buíque, a oposição ao Governo  do atual Prefeito Arquimedes Valença, saí na frente, e anuncia os nomes, do ex-prefeito Jonas Camelo e do Pecuarista Modésio Soares, como definidos, para formarem o que eles chamam "CHAPA QUENTE".

Segundo, informações, que chegaram a nossa redação, Jonas encabeçará a chapa, tendo Modésio como seu vice, o mesmo é esposo da atual Presidente da Câmara Municipal Vereadora Corina Galindo.

Hoje pela manhã, encontrei com o suplente de vereador Agnaldo Avelino (Peba da Ribeira), onde não escondeu a alegria, e disse: “Modésio, vice de Jonas, caiu na boca do povo e vem com força”. Ambos nas eleições de 2016, estiveram juntos no mesmo palanque, que elegeram o atual Prefeito.

Fala-se ainda, que outros nomes importantes da política local, estão também, tendo encontros com Jonas e Modésio, e já sinalizam possíveis apoios a chamada CHAPA QUENTE.


Peba da Ribeira e Modésio

Na verdade, esse cenário que hora se desenha, deve-se a forma que o GDB, vem agindo, cometendo os mesmos erros de muitos políticos, achando que após vencer eleições, aliados devem ser descartados e adversários abraçados.  E cá para nós, não existe um ser mais doido do que "Aliado Ferido".  

Agora com o anúncio da chapa das oposições, cremos que o atual  Governo Municipal, não vai deixar barato, e deve se mobilizar rapidamente, para reverter, ou quem sabe, amenizar os estragos causados por atitudes, que fizeram com que o mesmo, venha perdendo vários apoios significativos, como  aconteceu na Câmara de Vereadores.  

E isso ficou claro, no dia em que aconteceu o hasteamento das Bandeiras, em comemoração aos 165 anos de Emancipação Política de Buíque,onde apenas os Vereadores Peba do Carneiro, Elson, Felinho, Daidson e Euclides se fizeram presentes, diferente do ano passado, onde os quinze (15) Vereadores estavam juntamente com o senhor Prefeito durante a mesma Cerimonia.  Na ocasião, foram realizados vários sorteios de brindes, com o público presente,em comemoração ao aniversário de Buíque. 

Ricardo Resende é comunicador e proprietário da Rede Vale.



Continuam as derrotas de Luciano Duque no TCE-PE
Autor
Adriano Roberto

Continuam as derrotas de Luciano Duque no TCE-PE

O prefeito Luciano Duque sofreu mais uma derrota no TCE-PE (Tribunal de Contas de Pernambuco), assim como os secretários, Renato Godoy (administração), Márcia Conrado (Saúde), Josenildo André (Desenvolvimento Social) e Marta Cristina (Educação), foram penalizados com multas pela prática de ‘Contratações temporárias’, que de acordo com a relatora Alda Magalhães, ferem a legalidade.
 
O Processo TCE-PE nº 1855317-5, Cuida da análise de 1.097 (mil e noventa e sete) contratações temporárias realizadas pela Prefeitura Municipal de Serra Talhada para funções diversas no exercício financeiro de 2018, sob a gestão do Sr. Luciano Duque de Godoy, Prefeito.
 
Para relatora não ficou demonstrada a necessidade temporária, nem tampouco o interesse público para tais contratações, o que, na sua análise caracteriza-se “desvirtuamento do instituto da contratação temporária” e trata como exacerbada a contratação de tantos servidores, tal prática, na visão da relatora, que foi acompanhada dos demais Conselheiros, demonstra o “despreparo do Gestor na administração do quadro de pessoal do município”.
 
Diante das irregularidades a Relatora decidiu: “Proponho se julgue ilegais as nomeações constantes dos Anexos aplicando multa a Luciano Duque de Godoy Sousa, Prefeito e Marta Cristina Pereira de Lira Fonte, Secretária Municipal de Educação, conforme artigo 73, inciso III, da LOTE, à razão de 20% do teto legal, correspondente a R$ 16.480,00, a Renato Godoy Inácio de Oliveira, Secretário de Administração e a Márcia Conrado de Lorena e Sá Araújo, Secretária de Saúde, à razão de 15% do teto legal, correspondente a R$ 12.360,00, e a Josenildo André Barbosa, Secretário de Desenvolvimento Social, à razão de 10% do teto legal, correspondente a R$ 8.240,00, a serem recolhidas no prazo de 15 (quinze) dias do trânsito em julgado desta”.

 



Bolsonaro pública novo decreto das armas sanando erros
Autor
Adriano Roberto

Bolsonaro pública novo decreto das armas sanando erros

Depois de muitas críticas, o presidente Jair Bolsonaro publicou nesta quarta-feira, 22, várias retificações no chamado Decreto de Armas, que foi editado no início deste mês para facilitar o porte de armas no País. As correções constam de dois novos decretos.

Em nota, o Palácio do Planalto explicou que um dos atos foi editado "com o objetivo de sanar erros meramente formais identificados na publicação original, como numeração duplicada de dispositivos, erros de pontuação, entre outros".

O outro decreto é "alterador". Segundo o Planalto, "ele modifica materialmente alguns pontos do Decreto nº 9.785, de 7 de maio de 2019, que por determinação do Presidente da República foram identificados em trabalho conjunto da Casa Civil, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ministério da Defesa e Advocacia-Geral da União a partir dos questionamentos feitos perante o Poder Judiciário, no âmbito do Poder Legislativo e pela sociedade em geral".

Mais de 20 pontos do decreto original foram modificados, segundo informação do Planalto. Dentre eles, o novo texto traz vedação expressa à concessão de porte de armas de fogo portáteis e não portáteis para defesa pessoal. Na prática, não será conferido porte de arma de fuzis, carabinas, espingardas ou armas ao cidadão comum.



Supremo pode tornar parte do Centrão réu na Lava Jato
Autor
Adriano Roberto

Supremo pode tornar parte do Centrão réu na Lava Jato

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decide nesta terça-feira, 21, se coloca lideranças do chamado Centrão no banco dos réus. Em pauta, uma denúncia contra o chamado "quadrilhão do PP", o maior partido do bloco informal da Câmara.

O colegiado discutirá se recebe ou não a acusação apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), na Lava Jato, contra o líder da Maioria na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), os deputados Arthur Lira (PP-AL) e Eduardo da Fonte (PP-PE) e o senador Ciro Nogueira (PP-PI), presidente nacional do partido. Os quatro são acusados pelo crime de organização criminosa.

O julgamento ocorre no momento em que o Centrão promove uma queda de braço com o presidente Jair Bolsonaro, impondo ao governo uma série de derrotas no Congresso.

Segundo apurou a reportagem, o Palácio do Planalto acompanha de perto a sessão, pois entende que uma eventual aceitação da denúncia pode ajudar a impulsionar os atos de apoio a Bolsonaro marcados para domingo (mais informações na pág. A4).

'Quadrilhão'

O caso do "quadrilhão do PP", como é conhecido, chegou ao Supremo em março de 2015. Em setembro de 2017, o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou denúncia por organização criminosa contra os parlamentares. Eles são acusados de participar de esquema de "cometimento de uma miríade de delitos" e arrecadação de propina por meio da utilização de diversos órgãos da administração pública, como a Petrobrás, a Caixa Econômica Federal e o Ministério das Cidades.

De acordo com a PGR, a organização criminosa teria sido concretamente estruturada após a eleição em 2002 do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso e condenado na Operação Lava Jato.

Pesam contra os parlamentares diversas acusações. Arthur Lira é acusado de receber vantagens indevidas por meio de doações eleitorais oficiais, em um total de R$ 2,6 milhões. De acordo com a denúncia, Ciro Nogueira solicitou e recebeu da empreiteira UTC Engenharia um total de R$ 1,875 milhão.

Contra Aguinaldo Ribeiro a acusação é a de "ordenar a captação e o repasse da propina" decorrente de contratos relacionados à diretoria de abastecimento da Petrobrás, em um esquema que também teria beneficiado Eduardo da Fonte.

Defesas

Os parlamentares negam as acusações e pedem a rejeição da denúncia. A defesa de Aguinaldo Ribeiro disse ao Supremo que há uma tentativa de "criminalizar o ato político e o partido político".

Para os advogados de Arthur de Lira, a denúncia é "lastreada em declarações prestadas por colaboradores, as quais, de modo solitário, não são suficientes para conferir validade às proposições acusatórias". Já Ciro Nogueira diz que a acusação não traça "quaisquer dados, provas, elementos idôneos específicos". A defesa de Eduardo da Fonte sustenta que a acusação é "manifestamente abusiva". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Articulação de Sebastião e Rogério leva Mutirão dos Endividados ao Sertão
Autor
Adriano Roberto

Articulação de Sebastião e Rogério leva Mutirão dos Endividados ao Sertão

O Governo do Estado, por meio do Procon-PE,  atendeu a solicitação do deputado federal Sebastião Oliveira e do deputado estadual Rogério Leão, e vai realizar, entre os próximos dias 27 e 31, um Mutirão dos Endividados, nos municípios de Serra Talhada e São José do Belmonte, no Sertão pernambucano.  

Sebastião Oliveira explicou que a iniciativa vai contemplar negociações de dívidas com a Celpe, a Compesa, os bancos e as empresas de telefonia. De acordo com o parlamentar, a ação vai possibilitar que as pessoas que possuam  dívidas tenham a oportunidade de negociar diretamente com as empresas, sem a necessidade de intermediários.  “Será uma grande oportunidade de negociação.

O acordo poderá beneficiar o devedor com a retirada de juros e multas, além do parcelamento dos débitos. Quanto mais pessoas tiverem com seus nomes limpos, será melhor para o comércio e para o desenvolvimento da economia dos municípios”, ressaltou Sebastião. “Agradeço ao Governo de Pernambuco por ter atendido o nosso pleito”, concluiu Sebá.  Mutirão dos Endividados  Serra Talhada Data: 27 a 29 de maio Local: Maria’s Recepções  São José do Belmonte Data: 30 e 31 de maio Local: Sindicato dos Trabalhadores Rurais



Moro demite delegado da PF investigado por receber propina
Autor
Adriano Roberto

Moro demite delegado da PF investigado por receber propina

O ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) demitiu o delegado de Polícia Federal Ênio de Paula Salgado. Por meio da portaria 498, o ministro excluiu de vez dos quadros da PF o delegado que foi investigado na Operação Inversão - suposto esquema de propinas instalado em 2016 na Delegacia de Crimes Previdenciários da Superintendência Regional da PF em São Paulo.

O ato de Moro é amparado em parecer da Consultoria Jurídica do Ministério da Justiça, Controladoria-Geral da União e Advocacia-Geral da União, datado de 23 de abril.

O parecer imputa ao delegado violação dos incisos VIII e IX da Lei nº 4.878, de 3 dezembro de 1965 (regime jurídico dos policiais), ou seja, "praticar ato que importe em escândalo ou que concorra para comprometer a função policial" e "receber propinas, comissões, presentes ou auferir vantagens e proveitos pessoais de qualquer espécie e, sob qualquer pretexto, em razão das atribuições que exerce".

A Operação Inversão, ação integrada do Ministério Público Federal e do Setor de Contra-Inteligência da PF, foi deflagrada em julho de 2016. Na ocasião, outros dois delegados federais da ativa e um aposentado foram presos. O inquérito principal da Inversão deu origem a outra investigação, que apontou para o suposto envolvimento de Ênio de Paula Salgado.

O esquema de propinas a policiais operou entre 2010 e 2015. Segundo a investigação, a vantagem ilícita era repassada a policiais federais por alvos de inquéritos sobre crimes contra a Previdência. A Operação Inversão foi deflagrada por ordem da 9ª Vara Criminal Federal de São Paulo.

Segundo a Procuradoria, um dos presos, Marivaldo Bispo dos Reis, o "Miro", dono de uma consultoria previdenciária, teria pago de R$ 500 mil a 800 mil, para engavetar uma operação policial que investigava seu envolvimento em fraudes em dezenas de agências do INSS em São Paulo e que movimentaria em torno de R$ 50 mil diariamente.

A investigação teve início em agosto de 2015, quando uma advogada investigada na Operação Trânsito foi procurada por pessoas que falavam em nome de policiais dizendo que se ela pagasse uma propina de R$ 15 mil poderia se livrar da investigação. Pedido este que depois subiu para R$ 150 mil.

Ela e o marido procuraram a Corregedoria da PF em São Paulo e denunciaram o esquema, revelando mais provas da suposta ligação de policiais, que passaram a ser investigados em ações de contra-inteligência da PF.

Conversas de WhatsApp entre os intermediários e a vítima de extorsão foram entregues à corregedoria.

Para os procuradores responsáveis pelo caso, "os investigados transformaram a Deleprev, que deveria atuar na apuração de delitos previdenciários que tanto sangram os cofres da União num balcão de negócios e de impunidade".

O inquérito principal da Operação Inversão resultou na abertura de uma outra investigação, que acabou citando o delegado federal Ênio de Paula Salgado.

Na portaria 498, o ministro da Justiça é expresso. "Demitir Ênio de Paula Salgado, ocupante do cargo de Delegado de Polícia Federal do Quadro de Pessoal da Polícia Federal, Mat. DPF nº 8039, por infringir o disposto nos arts. 43, incisos VIII, IX e XLVIII, da Lei nº 4.878, de 3 dezembro de 1965, e132, inciso IV, da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990 (dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos), combinado com o art.9º, caput e inciso I, da Lei nº 8.429, de 2 de junho de 1992, ao praticar ato que concorra para comprometer a função policial; receber propinas, comissões, presentes ou auferir vantagens e proveitos pessoais de qualquer espécie e, sob qualquer pretexto, em razão das atribuições que exerce; prevalecer-se, abusivamente, da condição de funcionário policial e praticar ato de improbidade administrativa, observando-se, em consequência, o disposto nos arts. 136 e 137, parágrafo único, da Lei nº 8.112/1990, de 11 de dezembro de 1990."



Instituto Federal do Sertão-PE abre Concurso Público
Autor
Adriano Roberto

Instituto Federal do Sertão-PE abre Concurso Público

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano (IF SERTÃO-PE) abre novo Concurso Público que visa a contratação para os cargos efetivos de Técnico-Administrativos em Educação.

Há oportunidades disponíveis para os seguintes cargos: Contador (2); Engenheiro Agrônomo (2); Nutricionista (2); Psicólogo (1); Pedagogo (1); Zootecnista (1); Técnico de Laboratório/ Área Edificações (2); Técnico de Laboratório/ Área Física (3); Técnico em Audiovisual (1); Técnico em Edificações (1); Técnico em Tecnologia da Informação (1); Tradutor e Intérprete de Linguagem de Sinais (1).

A remuneração varia de R$ 2.446,96 a R$ 4.180,66, mais auxílio alimentação de R$ 458,00, auxílio pré-escolar R$ 321,00, auxílio saúde e auxílio transporte, referente a jornada de trabalho de 40 horas semanais.

As inscrições podem ser realizadas a partir de hoje, 20 de maio de 2019, somente via internet pelo endereço eletrônico concurso.ifsertao-pe.edu.br até às 00h do dia 20 de junho de 2019, de acordo com o horário de Petrolina - PE. Será cobrado taxa de inscrição com valor que varia de R$ 80,00 a R$ 120,00.

O Concurso Público compreenderá em Prova Objetiva de Múltipla Escolha de caráter eliminatório e classificatório para todos os cargos. Já para o cargo de Tradutor e Intérprete de Linguagem de sinais haverá Prova Prática de caráter eliminatório e classificatório. A data prevista para a realização das provas é 25 de agosto de 2019.

Para mais informações sobre o Concurso Público, acesse o Edital disponível em nosso site.



Assunto do dia aqui em Brasília: a trama para derrubar Bolsonaro e Mourão numa tacada só
Autor
Adriano Roberto

Assunto do dia aqui em Brasília: a trama para derrubar Bolsonaro e Mourão numa tacada só

A trama diabólica do PT e Centrão inclui tirar poderes de Mourão antes de derrubar Bolsonaro
A Constituição Federal (CF) diz que: tanto no impedimento como na vacância, quem assume primeiramente a Presidência da República é o Vice-Presidente.

Todavia, este assume a Chefia do Executivo enquanto durar o impedimento, enquanto que, havendo vacância, o Vice-Presidente assume até o final do mandato, em respeito ao art. 79, da CF.

A Revista Sociedade Militar fez uma advertência sobre a qual vale a pena refletir: “Antes mesmo de Hamilton Mourão ser escolhido para vice na chapa de BOLSONARO, a presença de um militar na vice-presidência seria o maior empecilho contra a abertura de um processo de impeachment contra o presidente.”

Atento à esse fato, os deputados contrários não perderam tempo.

Partido dos Trabalhadores já trabalha nos escombros para alterar o artigo 79 da CF (citado acima). O PT não está morto e já apresentou uma PEC que, caso seja aprovada, poderá ‘excluir’ a possibilidade de que - afastado o presidente da república - Hamilton Mourão assuma o cargo.

A intenção dos comunistas é aprovar essa PEC e, em seguida, apresentar um pedido de impeachment contra Bolaonaro.

Toda a mídia seria cooptada para pressionar a aceitação … tanto da PEC quanto do impeachment.
A PEC, de autoria dos deputados petistas Henrique Fontana e Paulo Texeira, foi apresentada no dia 01/04/2019 e já pode ser acessada no site da Câmara dos Deputados.

O texto diz o seguinte:
“Art. 1º. A presente Emenda Constitucional altera os artigos 28, 29, I, 32, §2º, 77 e seu §1º, 78, parágrafo único, 79, 80 e 81 da Constituição Federal para dispor sobre a substituição do cargo de Presidente da República, bem como de Governadores e Prefeitos, em caso de impedimento temporário e eleição direta em caso de vacância do cargo, estabelecendo que em nenhuma hipótese o vice assumirá o cargo em definitivo.”

No site do PT, alerta a Revista Militar, o deputado Fontana diz que “o poder imediatamente volta ao povo para eleger o substituto através de eleições diretas 90 dias após a vacância do cargo. O vice terá a função de ocupar a Presidência na ausência do titular temporariamente, mas em nenhuma hipótese em definitivo”.

A PEC já conta com mais de 200 assinaturas, mas a adesão deve crescer depois do início da tramitação. A matéria vai para mesa diretora da Câmara que faz a distribuição nas comissões da casa para análise do projeto.

Para ser aprovada, a proposta deverá obter os votos de três quintos, no mínimo, do número total de deputados da Câmara em cada turno da votação. Ou seja, aprovação de 308 dos 513 deputados.

Toda esperança dos apoiadores de Bolsonaro está na reação popular contra toda essa trama e dia 26 está marcada uma manifestação pró-Bolsonaro nas ruas.



Alguém conseguiu dizer a mais pura verdade para o momento
Autor
Adriano Roberto

Alguém conseguiu dizer a mais pura verdade para o momento

"TEXTO APAVORANTE - LEITURA OBRIGATÓRIA

Bastaram 5 meses de um governo atípico, "sem jeito" com o congresso e de comunicação amadora para nos mostrar que o Brasil nunca foi, e talvez nunca será, governado de acordo com o interesse dos eleitores. Sejam eles de esquerda ou de direita.

Desde a tal compra de votos para a reeleição, os conchavos para a privatização, o mensalão, o petrolão e o tal "presidencialismo de coalizão", o Brasil é governado exclusivamente para atender aos interesses de corporações com acesso privilegiado ao orçamento público.

Não só políticos, mas servidores-sindicalistas, sindicalistas de toga e grupos empresariais bem posicionados nas teias de poder. Os verdadeiros donos do orçamento. As lagostas do STF e os espumantes com quatro prêmios internacionais são só a face gourmet do nosso absolutismo orçamentário.

Todos nós sabíamos disso, mas queríamos acreditar que era só um efeito de determinado governo corrupto ou cooptado. Na próxima eleição, tudo poderia mudar. Infelizmente não era isso, não era pontual. Bolsonaro provou que o Brasil, fora desses conchavos, é ingovernável.

Descobrimos que não existe nenhum compromisso de campanha que pode ser cumprido sem que as corporações deem suas bênçãos. Sempre a contragosto.

Nem uma simples redução do número de ministérios pode ser feita. Corremos o risco de uma MP caducar e o Brasil ser OBRIGADO a ter 29 ministérios e voltar para a estrutura do Temer.

Isso é do interesse de quem? Qual é o propósito de o congresso ter que aprovar a estrutura do executivo, que é exclusivamente do interesse operacional deste último, além de ser promessa de campanha?

Querem, na verdade, é manter nichos de controle sobre o orçamento para indicar os ministros que vão permitir sangrar estes recursos para objetivos não republicanos. Historinha com mais de 500 anos por aqui.

Que poder, de fato, tem o presidente do Brasil? Até o momento, como todas as suas ações foram ou serão questionadas no congresso e na justiça, apostaria que o presidente não serve para NADA, exceto para organizar o governo no interesse das corporações. Fora isso, não governa.

Se não negocia com o congresso, é amador e não sabe fazer política. Se negocia, sucumbiu à velha política. O que resta, se 100% dos caminhos estão errados na visão dos "ana(lfabe)listas políticos"?

A continuar tudo como está, as corporações vão comandar o governo Bolsonaro na marra e aprovar o mínimo para que o Brasil não quebre, apenas para continuarem mantendo seus privilégios.

O moribundo-Brasil será mantido vivo por aparelhos para que os privilegiados continuem mamando. É fato inegável. Está assim há 519 anos, morto, mas procriando. Foi assim, provavelmente continuará assim.

Antes de Bolsonaro vivíamos em um cativeiro, sequestrados pelas corporações, mas tínhamos a falsa impressão de que nossos representantes eleitos tinham efetivo poder de apresentar suas agendas.

Era falso, FHC foi reeleito prometendo segurar o dólar e soltou-o 2 meses depois, Lula foi eleito criticando a política de FHC e nomeou um presidente do Bank Boston, fez reforma da previdência e aumentou os juros, Dilma foi eleita criticando o neoliberalismo e indicou Joaquim Levy. Tudo para manter o cadáver procriando por múltiplos de 4 anos.

Agora, como a agenda de Bolsonaro não é do interesse de praticamente NENHUMA corporação (pelo jeito nem dos militares), o sequestro fica mais evidente e o cárcere começa a se mostrar sufocante.

Na hipótese mais provável, o governo será desidratado até morrer de inanição, com vitória para as corporações. Que sempre venceram. Daremos adeus Moro, Mansueto e Guedes. Estão atrapalhando as corporações, não terão lugar por muito tempo.

Na pior hipótese ficamos ingovernáveis e os agentes econômicos, internos e externos, desistem do Brasil. Teremos um orçamento destruído, aumentando o desemprego, a inflação e com calotes generalizados. Perfeitamente plausível. Claramente possível.

A hipótese nuclear é uma ruptura institucional irreversível, com desfecho imprevisível. É o Brasil sendo zerado, sem direito para ninguém e sem dinheiro para nada. Não se sabe como será reconstruído. Não é impossível, basta olhar para a Argentina e para a Venezuela. A economia destes países não é funcional. Podemos chegar lá, está longe de ser impossível.

Agradeçamos a Bolsonaro, pois em menos de 5 meses provou de forma inequívoca que o Brasil só é governável se atender o interesse das corporações. Nunca será governável para atender ao interesse dos eleitores. Quaisquer eleitores. Tenho certeza que esquerdistas não votaram em Dilma para Joaquim Levy ser indicado ministro. Foi o que aconteceu, pois precisavam manter o cadáver Brasil procriando. Sem controle do orçamento, as corporações morrem.

O Brasil está disfuncional. Como nunca antes. Bolsonaro não é culpado pela disfuncionalidade, pois não destruiu nada, aliás, até agora não fez nada de fato, não aprovou nada, só tentou e fracassou. Ele é só um óculos com grau certo, para vermos que o rei sempre esteve nu, e é horroroso.

Infelizmente o diagnóstico racional é claro: "Sell".

Autor desconhecido"